MENSAGENS DE JUNHO DE 2017


1 - Aïvanhov - Q/R

     ... Parte 1A - AQUI - (Com Áudio)

     ... Parte 1B - AQUI - (Com Áudio)

2 - Aïvanhov - Parte 2 - AQUI - (Com Áudio)


Pentecostes: A Nova Tri-Unidade

3 - Jesus Cristo - AQUI - (Com Áudio)

4 - Maria - AQUI - (Com Áudio)

5 - Miguel - AQUI - (Com Áudio)


06 - Teresa de Lisieux - AQUI - (Com Áudio)

07 - Ram - AQUI - (Com Áudio)

08 - Um Amigo - AQUI - (Com Áudio)

09 - Uriel - AQUI - (Com Áudio)

10 - Irmão K - AQUI - (Com Áudio)

11 - Ivone-Amada de Malestroit - AQUI - (Com Áudio)

12 - O Ancião dos Dias - AQUI - (Com Áudio)

13 - Aïvanhov - Q/R

     ... Parte 3A - AQUI

     ... Parte 3B - AQUI

14 - Aïvanhov - Parte 4 - AQUI



Nota: e-book (contribuição do Les Transformations) ( Versão 1 ) ( Versão 2 )




18 comentários:

  1. Agradecemos ,desde, já pelo amor compartilhado

    ResponderExcluir
  2. Depois do Comunicado sobre as Traduções, motivado pelo impasse surgido naquela oportunidade, em que não apenas as mensagens de junho estavam em perigo de não poderem ser traduzidas, onde o blog corria o risco de perder momentaneamente seu próprio rumo, gostaria de fazer neste comentário as seguintes considerações:

    - A oferta de ajuda das novas tradutoras, além de providenciais, foram de gratíssima surpresa, pelo menos para mim, que não as conhecia, pois têm se mostrado de qualidade admirável.

    - Sendo as novas tradutoras, na maioria, de origem portuguesa, observa-se alguns termos menos usuais para nós brasileiros, assim como alguma diferença ortográfica.

    - A questão do português brasileiro e o português europeu, digamos assim, com essas poucas diferenças, podem à primeira vista surpreender um pouco, aos menos avisados, como eu mesmo; mas aqui gostaria de dizer que até já me acostumei e gostei; mas diria principalmente que minha revisão será exclusivamente a nível de eventual falha de digitação, e nada mais; até porque não teria mesmo nada a corrigir significativamente, e até porque o texto é da Tradutora, e aí não se caberia fazer alterações, por princípio.

    - Os motivos para Gratidão para com estas Tradutoras são enormes, e isso certamente não apenas por parte da administração do blog, mas que se estende a todos os demais envolvidos e em especial aos seus leitores.

    - No momento as tradutoras brasileiras estão em minoria, o que não significa que continuará assim (rs); contudo, vale lembrar que elas sempre foram a totalidade, até antes do impasse.

    - Termino dizendo que quantos forem os novos tradutores (as), que ainda se ofertarem, ou mesmo retornarem, serão acolhidos (as) com a melhor das boas vindas e com o agradecimento, e reconhecimento, naturalmente cabíveis. Enfim, os Tradutores (as) são pilares para a existência desse blog, sem os (as) quais, como vimos a poucos dias, o próprio blog ficaria à deriva.

    ResponderExcluir
  3. Rendo Graças!!!
    Aos organizadores do blog e as tradutoras das mensagens, por serem canais e meios através da Graça Divina, desse Serviço da Luz chegar até nós!

    Abençoado PENTECOSTES à todos nós!!!
    De Coração a Coração!

    ResponderExcluir
  4. https://ultimasleiturasdaluz.blogspot.com.br/2017/06/pontos-estrelas-elementos-portas.html?m=1


    Link para postagem sobre as estrelas /portas

    ResponderExcluir
  5. Grata a tantas pesssoas que se dispõe a nos trazer esse material importante e que nos ajuda a cada vez mais entrarmos em nosso coração do coração, bjs a todos

    ResponderExcluir
  6. Veio-me como oportuno reproduzir aqui este comentário da Sara (OHGLORIA) feito em Comunicado sobre as Traduções [ https://ultimasleiturasdaluz.blogspot.com.br/2017/06/comunicado-sobre-as-traducoes.html ], onde consta também uma resposta minha.



    Comentário da Sara:

    Apesar de tardia, manifesto meu total apoio e solidariedade caso surja, espero que não,necessidade de apoio financeiro ao trabalho de tradução.

    Rendo Graças e honro a todos que participam, participaram e participarão, aqui cabe o amanhã (quem Sabe?), deste tão digno e especial trabalho de tradução.
    Luz e Paz..Sara



    Minha resposta:

    Sara, aproveito seu ótimo comentário para atualizar um pouco a situação resultante deste comunicado, dizendo o seguinte: as ofertas de tradutores (as) foram excelentes e em número muito bom, tornando provável uma tendência de tranquilidade para estas traduções daqui para frente, e quiçá até o fim (rs). Aqui vale um capítulo a parte, que é o retorno da Ligia Borges, ausente 11 dias por falta de internet e telefone, mas que agora se encontra com tudo isso resolvido e que continua ofertada como sempre foi. Assim, o quadro não poderia ser mais favorável neste mister, até confirmando que depois da tempestade vem mesmo a tranquilidade.

    ResponderExcluir
  7. Amém Egídio, Amém!
    Sejam benvindos todos os participantes dessa linda família celestial, Eu (pessoa e Presença) os Amo, Honro e Agradeço.

    ResponderExcluir
  8. Manoel, bom dia! Poderia nos esclarecer se a mensagem de Irmão K ainda será traduzida? E qual o problema para esse lapso temporal imenso para a sua tradução, se é que Irmão K ainda seja trafuzida. Desde já, agradeço seus esclarecimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, a msg do Irmão K será traduzida, sim. O que é aconteceu é que a tradutora encontra-se em viagem e houve imprevisto de percurso. A próprio tamanho da msg, que é das grandes, dificultou também a situação. A própria transcrição nos chegou bem mais recente do que pode parecer, até por ser um texto que também demorou a ser transcrito. De qualquer modo, pelo que tenho sido informado, a tradução tem transcorrido da melhor forma, estando mesmo muito prestes a ser concluída.

      Excluir
    2. Obrigado, irmão em unidade, pelos esclarecimentos e presteza de sempre.

      Excluir
  9. Eu posso pedir uma coisa. Com todo o respeito, e carinho que tenho por todos vocês. Mas as mensagens do Omraam desse mês, quando eles forem traduzidas, não fiquem uma coisa meio "mesoclisada", parecendo um erudito do século XVIII. Mas algo mais moderno, voltado a época do qual estamos vivendo. Eu sei perfeitamente, que existem excelentes tradutores de Portugal, e há certas nuances entres a línguas, isso é inegável. Mas como às mensagens do Omraam são entrevistas, elas poderiam ter uma linguagem mais fácil de ser assimilada, como acontecia anteriormente. Obviamente, respeitarei interamente a decisão tomada; e sei que houve imprevistos com às tradutoras, que fizeram um trabalho de suma importância, e merecem nossos respeitos, e todas às nossas homenagens pelo trabalho profissional por parte das traduções. É somente uma dica! agradeço profundamente a oportunidade, e estarei com vocês sempre em UNIDADE E VERDADE. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, gostaria de lhe responder, mas aproveitando para acrescentar mais algumas elucidações sobre o que envolve esse trabalho de tradução, embora certo que não terei grande êxito (rs). Aliás, o próprio Aïvanhov tem se desdobrado em muitas e extensas explicações, nos últimos mais de 10 anos, e se observa que as questões que lhes foram dirigidas ainda não ficaram tão bem compreendidas por alguns.

      Dito isso, eis o que considero super importante ainda dizer sobre estas Traduções, que são a alma desse blog:

      - Existem mensagens que giram em torno de 3 mil palavras; mensagens que giram em torno de 5 mil palavras; mensagens que giram em torno de 8 mil palavras; mensagens que giram em torno de 12 mil palavras; mensagens que giram em torno de 16 mil.

      - Existem mensagens que demandam desde um dia a vários dias para serem traduzidas.

      - Existem tradutoras brasileiras e portuguesas, com seus estilos próprios e seus vínculos linguísticos peculiares.

      - Existem as defasagens de fusos horários e também no tempo de entrega das transcrições, recebendo primeiro os franceses (textos no idioma original); depois, em segundo lugar, os espanhóis (textos para serem traduzidos no idioma espanhol), e depois, em terceiro, nós aqui, brasileiros (textos para serem traduzidos no idioma português). Normalmente as publicações no original francês ocorrem depois de terem sido entregues as transcrições. No passado chegou-se a se publicar os originais apenas após terminadas todas as traduções, mas quase não tem ocorrido mais assim.

      - As traduções envolvem além do denodo dos tradutores (as), envolve sobretudo suas disponibilidades temporais, que raramente são apenas dedicadas a este mister. Trata-se de trabalho voluntário e abnegado, eventualmente gratificante, mas sem dúvida, contam com dificuldades das mais variadas, até a de não se poder escolher o texto a traduzir, pois nem sempre a escala, ou a ordem de recebimento das transcrições, permite tal flexibilidade.

      - Depois de tudo isso, tendo recebido a tradução, concluída e revisada pelo tradutor (a), eis que se faz ainda necessária uma leitura das mais atentas, pois o próprio editor e formatador do blogger assim requer, para evitar que se faça uma publicação com erros banais ou mesmo algumas anomalias. As próprias traduções, por mais bem revisadas pelos próprios tradutores (as) , podem apresentar alguma falha ortográfica de digitação, por exemplo. Também existe essa coisa das nossas mentes já não funcionarem como antigamente, que é muito bom por um lado (rs), mas que acabam exigindo sempre nossa maior atenção (rs).

      - Até para constar que determinada mensagem encontra-se em tradução, lá na página inicial do blog, fica complicado fazer isso (exceto em alguns casos), pois são muitas as variáveis envolvidas que não seriam contempladas, e mesmo poderia adicionar ainda mais peso para os tradutores (as).

      - As solicitações como esta que o caro anônimo fez, por exemplo, diante disso tudo já discorrido, fica claro que não têm como serem atendidas. Além do mais, vale ressaltar que essa própria modernidade aqui aludida pelo Anônimo, por exemplo, são mais variáveis que se somam, questionáveis e inconciliáveis (rs), pois nem todos nós somos tão modernos assim, até por idade e até por preferência.


      É claro que esta resposta não se limita ao Anônimo que fez a respeitosa formulação, mas visou um esclarecimento bem mais abrangente, pois senti que já era hora de se aprofundar mais no assunto. Aliás, muitos comentários, mesmo não formulados, ou mesmo apenas de bastidores, denotam grande desconhecimento do que efetivamente é preciso acontecer, das muitas implicações intrínsecas, para que essas mensagens venham à tona. É claro que muitos já percebem, inclusive internamente, disso tudo que acabo dizer, mas mesmo para estes, sinto que esta exposição seria de alguma utilidade.

      Excluir
    2. Anônimo, tudo que o Egídio disse creio eu ter ficado bem explicado para todos nós leitores.
      A poucos dias atrás como leitores nos deparamos com tal situação/impasse por assim dizer de que poderíamos aí ficar sem as traduções, o que aí certamente nos obrigaria a ter-nos de contentarmos a nós mesmos traduzir as mensagens via "Google tradutor" ou qualquer outro recurso semelhante, e creio que isto sim seria ou deixaria as leituras aí sim completamente limitadas e por outras vezes incompletas, e se caso isso viesse a ocorrer, não teríamos nenhum local para se quer externarmos tais insatisfações, tamanha a limitação em que poderíamos estar neste momento caso não surgissem irmãos que se doassem às traduções.

      Creio que mais do que nunca, é momento de deixarmos de lado alguns caprichos.
      Temos aí as traduções praticamente todas deste mês de Junho já feitas e por si só isso já é motivo de alegria e já basta pra mim ao menos.

      As traduções atuais com os novos tradutores(as) são perfeitas, o que mais precisamos?
      Ou será que o "Google tradutor" traduz melhor?
      Compreendo perfeitamente suas colocações, porém aí também não podemos como foi muito bem abordado pelo Egídio, de que quem agora faz as traduções, esses irmãos e irmãs tem eles aí cada um tem suas particularidades e formações/conhecimento técnico sobre tal idioma, a saber: O Francês, a tradução, a forma de se fazer, além dos compromissos pessoais que cada um ainda possa vir a ter no dia a dia etc.

      E creio eu que bem mais que a linguagem utilizada na tradução seja aí o mais importante de tudo é o que vai e está "além das letras e da linguagem utilizada" que é a "Vibração" ou, o aporte vibratório que estas mensagens possuem/trazem.

      Excluir
    3. Douglas, testemunho e dou fé!!
      Eu amo, Honro e Agradeço a todos.




      Excluir
  10. Quero agradecer imensamente, pelas explicações frutíferas e concisas, acerca da mensagem. Muio obrigado.

    ResponderExcluir
  11. Muitas histórias são contadas nesse mundo. São histórias de todo tipo; história de fim de mundo, também (rs). As próprias conversas entre as pessoas, aliás, são predominantemente baseadas em se contar histórias ou "causos" (como se diz aqui em MG, onde moro).

    Um ponto de grande relevo nestas histórias, é como as pessoas as ouvem, e principalmente como as repassam. É claro que a maioria dessas histórias ficam a nível da boa conversa, tornando-as mesmo animadas; mas também existem eventuais histórias muito especiais e até impactantes, digamos assim.

    Uma coisa curiosa nessas histórias, que mais gostaria de destacar, pois sempre chamou muito minha atenção, é que as pessoas costumam ouvir tais histórias como se elas fossem realidades. Uma ilustração disso, por exemplo, seria alguém contar que presenciou ou soube de determinado acidente, e logo os ouvintes saírem dizendo da existência do tal acidente; enquanto que eu, por exemplo, apenas diria que alguém contou que houve um acidente.

    Das histórias mais fantásticas e famosas que provavelmente se tem contado, certamente se situam aquelas relativas aos fins dos ciclos; onde é inevitável o surgimento dos protagonistas mais evidentes, tais como: Arca de Noé; as Profecias; textos bíblicos; passagens de milênios; Atlântida; armas de destruição em massa; degradação moral; mudança climática; astro invasor; abrigos subterrâneos; confrontos geo-políticos... e sobretudo, a oportunidade única de se sair da ilusão desse mundo.

    Bem, chegado a este ponto dessa história que está sendo contada aqui (rs), acredito que já se pode dizer a coisa mais importante cabível às histórias, mas que pouco se tem dito, ou enfatizado, ou assimilado. Mas, que coisa importante seria essa? A resposta seria o fato da história não ser a realidade do fato e nem tão pouco sua causadora; mas que, pelo contrário, é a realidade do fato que justamente faz a história. Isso pode parecer sutil ou estranho, ou pouco nítido, para muitos, mas é incrível como essa inversão de atributos entra na vida das pessoas, de tal modo, tão determinante, que faz as pessoas viverem mais sob a ótica da história do que sob a ótica da realidade.

    Agora, para finalizar, deixando maior clareza sobre os efeitos do que faz a história e do que faz a realidade, segue a seguinte história:

    Quando surgiram essas mensagens de origem francesa (dos intervenientes), o impacto foi tremendo. Alguns blogs, por exemplo, aderiram com entusiasmo jamais visto, e não sem razão, pois o conteúdo era realmente extraordinário. A maioria dos blogs que vieram a tomar conhecimento disso, contudo, foram mais e mais se colocando na oposição, por vezes quase na radicalidade. As mensagens falaram de datas e isso fez acalorar ainda mais os ânimos, animando mais ainda os entusiastas das mensagens e enraivecendo ainda mais os seus opositores. Depois veio a não confirmação das datas, e surgiram zoações e frustrações. Particularmente fui um dos mais empolgados, desde o início, e isso prosseguiu num crescendo, cada vez mais, até hoje, sem jamais sofrer uma mínima oscilação. E aqui, confesso que isso que me ocorreu, de sempre maior contentamento, só foi possível porque vejo a história como história e vejo a realidade como realidade. Assim, quando disseram que tudo acabaria em 2012, por exemplo, apenas ouvi ou li a história, e sempre repassava o que tinha ouvido ou lido, ipsis litteris, na maior felicidade, porque a história era linda e consistente. Quando vieram os fatos, onde nada acabou, aí então, vi os fatos simplesmente, sem nada mais e nada menos (sem análises, por exemplo). Isso não significa que os fatos não ocorrerão e nem que a linda história não se realizará, evidentemente; mas, o mais importante nisso tudo é o entendimento de que a história só é verdadeira quando vista e vivida como história e não como realidade, e que a realidade só é verdadeira quando vista e vivida como realidade, e não como história.

    ResponderExcluir
  12. Egídio, antigo amigo, personagens que somos, nos acostumamos a ver e perceber o mundo pelos sentidos do ser humano. Ao ponto de acharmos que somos o próprio personagem. Cada história eihm... Outro amigo, já havia me dito que qualquer informação que vem a nossa mente, não é uma verdade, e sim parte do enredo da história. Passamos a encarnação achando que somos um Ser Humano quando na verdade Somos todos Um, internamente. Como personagem e fazendo parte do enredo, o personagem vive sua vida enquanto internamente pode haver o despertar. Despertou, a paz e a felicidade se instala internamente, se torna um liberado vivo e o personagem, continua vivendo o enredo da história. Datas que nos informam e acontecimentos do enredo da história influenciam em nós personagens, e esperamos que internamente não. Que bom que você continuou com o trabalho da Célia. Parabéns pelo Blog. Romulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romulo, grato por sua presença. Fiquei feliz por seu comentário, tanto à medida que o lia, e sobremodo quando apareceu seu nome. Forte abraço, Amigo, e seja bem-vindo!!!

      Excluir