MIGUEL - Pentecostes: A Nova Tri-Unidade - 4 de Junho de 2017

Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio

Miguel - Pentecostes : A Nova Tri-Unidade - 04 de Junho de 2017
Mensagem de 04 de junho de 2017 (publicada em 07 de junho)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations




Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes. Bem amados filhos da Lei do Um, que a Paz e o Fogo do Amor estejam convosco.


… Silêncio…

Eu intervenho neste dia de Pentecostes enquanto terceiro mandato da nova Tri-Unidade. Como eu vos anunciei, há muitas semanas que foram semeadas as águas da Terra e que a própria Terra foi lavrada. Hoje, neste dia de Pentecostes, pela graça do Espírito Santo, pela graça do Paráclito, pela graça da nova Tri-Unidade, eu semeio os vossos códigos vibratórios em ressonância com a Eternidade da vossa Presença neste mundo.

Chegou a hora de se afastar do que só passa. Chegou a hora de acolher o Espírito da Verdade, acompanhado da minha espada que vem cortar e iluminar o que ainda precisa de o ser no seio da vossa Presença.

Acolhamos juntos, se vocês não se importarem, o Espírito da Verdade, gerando, assim, neste dia e nos dias seguintes, um poder inigualável de percepção do Fogo Ígneo, no vosso peito e no Espírito da vossa cabeça descendendo ao Coração do Coração, realizando a junção terminal do efémero e do Eterno na vossa Presença.

As regras e a dualidade inerentes a este mundo encontram-se hoje em vias de transformação, devido à intensidade do Espírito presente sobre a terra e à intensidade das partículas adamantinas, tendo conduzido, até à vossa intimidade, o Fogo do Espírito.

A Unidade, princípio de toda a vida livre, manifesta-se mesmo no seio da dualidade residual deste mundo em extinção, para dar lugar à verdadeira Vida na Eternidade. O que acontece na vossa terra, ou seja, no vosso corpo físico, está hoje diretamente ligado e religado à ação dos quatro Elementos já presentes, desde há muitos anos em vós, mas aos quais se junta a partir de agora o Éter primordial, realizando a última etapa da fusão dos Éteres mesmo no seio do vosso corpo de carne. Assim, a transubstanciação celular, material, está em curso junto de muitos de vós, permitindo à Luz não mais ser travada pela existência da vossa matéria, independentemente de toda a noção ligada aos vossos envelopes subtis.


A Perfuração das camadas isolantes do vosso corpo termina hoje, dando a cada um a livre possibilidade de se confiar ao Espírito da Verdade, para deixar, na totalidade e na exclusividade, a Luz guiar os vossos passos e a vossa vida.

Nesta etapa, neste dia e nos dias seguintes ao Pentecostes, realiza-se em vós, por esta transubstanciação, a emergência das novas leis chamadas leis do Um, aqui mesmo neste mundo onde vocês estão, dando-vos a perceber, a viver, a sentir, o que acontece nesse corpo de carne conforme vocês estejam alinhados com o Espírito ou alinhados com a vossa pessoa.

Esta forma de confrontação é uma resolução dos últimos antagonismos por vezes presentes, ainda, em alguns de vós, correspondendo ao hábito e à adesão a este mundo, de qualquer forma que seja. Este novo olhar, este estado último da consciência manifestada neste mundo, vem literalmente consumir os últimos obstáculos à emergência da Luz no seio da vossa carne, como do vosso coração.

Assim realiza-se a totalidade da Nova Eucaristia, fazendo desaparecer uma forma ilusória, substituindo-a pela forma eterna do Corpo de Existência. As manifestações ligadas a esta alquimia acontecem no vosso corpo com uma intensidade que nunca foi observada até ao presente. A modificação das necessidades ligadas à corporalidade da carne desaparecem umas após as outras, para permitir ao corpo ocupar o lugar e todo o espaço da vossa Presença.

Pela graça do Fogo Ígneo e pela graça do Paráclito, este processo alquímico toca agora o conjunto da vossa vida efémera, quer seja no vosso corpo, nos envelopes subtis como no vosso meio ambiente.

Esta mudança de regras e de manifestações, mesmo no seio do efémero e antes do Apelo de Maria, oferece-vos a possibilidade de ver claramente o que ainda não foi visto por muitos de vós. Trata-se aqui também, como foi especificado quando das Teofanias, de um ajuste extremamente fino permitindo, nós esperamos, a um grande número de vós, presentes na carne, viver esta passagem nas condições que sejam as mais tranquilas, as mais ligeiras e as mais felizes.

Lembrem-se que nestes tempos de Graça e de Teofania, não é mais tempo de trabalhar sobre a história pessoal de qualquer modo que seja, mas de realizar o vosso coração. Não existe mais lugar para procurar a mínima causa para a emergência do novo que não depende, eu lembro-vos, de nenhuma causa nem de nenhuma reação mas que é a expressão do jogo livre da consciência, aqui mesmo neste mundo vivendo, este mês, os seus últimos sobressaltos e resistências ao que é dual.

Estão convidados, neste dia de Pentecostes e durante todo o mês de Junho deste ano de 2017, a deixar morrer o que se afasta de vós. Não há nada a perder, há justamente a ganhar a verdade da Eternidade, sem esforço, a partir do instante em que não exista em vós nenhum questionamento, nem nenhuma interrogação sobre a realidade da Luz e a verdade do que vocês vivem.

Entregar o vosso Espírito nas mãos da Eternidade, é aceitar, sem olhar para trás, o novo e o desconhecido, que não é uma esperança embora já, para muitos de vós, depois de muitas semanas, uma verdade inabalável e inalterável que se revela ao vosso ritmo. Este ritmo que vocês viveram, que foi vosso durante as Teofanias e até esta quinta feira inclusa, serão substituídas, progressivamente ou brutalmente, pelos sinais celestes, os sinais terrestres e os sinais humanos.

Cabe-vos, desde o fim das Teofanias programadas pela Confederação Intergalática dos Mundos Livres e pela própria Maria, viver em Teofania permanente e perpétua. Vocês constatarão, se adotarem esta regra de estarem em Teofania perpétua, que o alívio, a ligeireza, a serenidade e a fluidez se tornarão a vossa rotina quotidiana sem a qual não poderão passar, fazendo com que mais nada do passado possa atrair a vossa consciência, ou mesmo que alguma projeção num futuro hipotético não interfira na realização da Eternidade no seio do vosso instante presente.

Se vos parecer existir, apesar da presença do Manto Azul da Graça e de Maria no vosso Canal Mariano, resistências ainda presentes, quer elas estejam manifestadas ao nível do corpo de carne ou manifestadas no seio dos vossos pensamentos ou emoções, cabe-vos então pedir a minha ajuda ainda que a do Arcanjo Uriel possa aligeirar o que deve ser aligeirado.

As Teofanias realizadas a pedido, com o Arcanjo Uriel ou comigo mesmo, serão, a partir de 10 de Junho deste ano, atribuições que vos serão dadas para ajudar, se o posso dizer, a deixar evacuar o que já está morto. Foi-vos especificado que o mecanismo final ascensional da Terra começou há alguns meses, no início do mês de Março. As Teofanias realizadas durante nove semanas, chegam ao fim dentro de dias, assinalando a instalação espontânea, em cada um de vós, da possibilidade de se virarem para o vosso coração sem serem retidos por qualquer sofrimento, qualquer crença ou qualquer ilusão que seja.

Se isto não vos parece fácil, ou evidente, cabe-vos colocarem-se sob a proteção da vossa Mãe e cabe-vos chamar Maria, e cabe-vos realizar uma Teofania com o Cristo e também com o Arcanjo Uriel e eu mesmo. É nestes apelos e nestes pedidos, para além das Teofanias espontâneas, que vocês vivem este alívio com o maior dos sorrisos e a maior das alegrias.

Cabe a cada um de vós verificar os meus dizeres, verificar a ação do Espírito em vós, verificar a transubstanciação do vosso corpo de carne. Assim que vocês facilmente o constatarem, não existirão mais desculpas válidas, o que quer seja que vocês tenham que conduzir ainda no seio deste mundo, caso vocês tenham profissão, família, obrigações. Estas obrigações, e por vezes os fardos que vos parecem trazer ainda, se aliviaram a si mesmos perante a evidência destas Teofanias, perante a evidência da instalação da Eternidade, e isto, quaisquer que sejam os acontecimentos ligados Às tribulações humanas.


Eu convido-vos, portanto, a partir de 10 de Junho, a comprometerem-se firmemente com o que vos é oferecido e que vocês se ofereceram: a capacidade de viver a Eternidade enquanto ainda habitam um corpo efémero. Não esqueçam que o corpo de Existência está agora presente, quer vocês o percebam ou não, o vivam ou não. Cabe-vos portanto, de qualquer modo, se vocês não vivem nada disto, adotar ao nível pessoal uma atitude de espírito onde a única obsessão, se o posso dizer, presente na vossa consciência, é a Luz, o coração, e o Amor, mesmo para além das representações que nós assumimos enquanto nova Tri-Unidade.

Vocês vão, portanto, descobrir, por vezes com estupefação, por vezes com felicidade, mas sempre aquiescendo, a verdade da Eternidade, por aqueles de vós que ainda não tiveram acesso. Da vossa capacidade de virar a vossa consciência e os vossos pensamentos sobre a permanência da Luz em vós, resultará uma facilidade mais ou menos grande para viver este período do mês de Junho. Em qualquer país que vocês vivam, em qualquer lugar do planeta em que vocês estejam, é preciso aceitar as tribulações humanas referentes ao conjunto da humanidade, mesmo se o território em que vocês estão não é tocado diretamente na sua materialidade.

Esta transubstanciação refere-se ao conjunto do coletivo humano como ao conjunto da Terra. Não há nenhum lugar, nenhum espaço onde se refugiarem para tentar escapar à inevitabilidade que é, eu lembro-vos, a alegria e a felicidade da Eternidade.

A partir do instante em que tiverem deslumbrado o Coração do Coração, mesmo sem jamais terem vivido a totalidade das Teofanias propostas e realizadas por vós mesmos, isso não fará nenhuma diferença, ilustrando ainda uma vez mais o que disse Cristo quando da sua vinda: « Os últimos serão os primeiros » a se apressarem para a Eternidade. Com efeito, alguns humanos encarnados na carne estão a dormir neste momento. Nós sempre vos dissemos, nós Arcanjos, assim como as Estrelas e os Anciãos, que mesmo que vocês nunca tivessem vivido os processos de subida vibratória, isso ia mudar, e chegou a hora de viver isso.

Assim, portanto, alegrem-se, aqueles entre vós que até ao presente, apesar da sua fé, apesar da sua certeza, nunca tiveram acesso à verdade do coração, de poder enfim descobrir e instalar-se com conforto e facilidade. Só é necessário e indispensável simplesmente virar o mais rápido possível, a partir de 10 de Junho de 2017, os vossos pensamentos sobre a Luz. Pensar na Luz não quer dizer compreender ou explicar o que quer que seja, é um ato de lealdade à Verdade, de lealdade à Luz e de lealdade à vossa Eternidade.

Não se trata de orar, não se trata de repetir uma ladainha (o rosário), mas realmente e concretamente que a vossa consciência, os vossos pensamentos, a vossa tensão para o Abandono, sejam unicamente dirigidos para a Luz autêntica e verdadeira, aquela que nunca é visível no écran interior, exceto, por vezes, pelo Branco. Aquela que, para muitos de vós, nunca foi vivida, revelará uma verdade inabalável a partir do fim das Teofanias da Confederação Intergalática dos Mundos Livres.

Lembrem-se que a partir de 10 de Junho, a conclusão da minha missão e do meu papel que, eu vos lembro, é também de ceder o lugar, nesta última reversão, ao Arcanjo Uriel, anjo da Presença e Arcanjo da Reversão. Eu sou, de qualquer modo, a partir de 10 de Junho, aquele que vos facilitará o trabalho de se abandonarem na totalidade à vossa Eternidade. Pouco importa a forma como procedem, vocês não têm necessidade de invocações, vocês não têm necessidade de ladainhas, vocês não têm necessidade de outra coisa senão da vossa própria consciência virada para a Luz e para nós, sem nada pedir, sem nada esperar, simplesmente dirigir o vosso pensamento e também a vossa consciência, sempre que possível, nos vossos dias, à noite, nas vossas noites se vocês acordarem, o que será o caso para muitos de vós, ilustrando então na perfeição a frase do Cristo: « Vigiem e orem. »

Alguns de vós, já desde há algumas semanas, vivem de certa forma estes processos de transubstanciação. A transubstanciação acontece a partir do instante em que a Leminiscata sagrada, por intermédio das Teofanias, realiza a emergência do coração, se o posso dizer, ao nível da cabeça, no seio da pequena Coroa onde se realizam a fusão dos Éteres e a fusão do Éter.

A partir do instante em que o vosso coração for conectado de maneira permanente à vossa cabeça, pela perceção, desta vez – mesmo para aqueles de vós que nunca vibraram nada -, da pequena Coroa da cabeça, ou de uma dor na zona do topo do crânio acoplada a uma qualquer sensação que seja no vosso peito, assinala para vós, nesse momento, a obrigação de se estabelecerem nessa Eternidade. E além disso vocês constatarão, a partir desse momento, se já não foi feito, que todo o interesse relativo a este mundo desaparecerá instantaneamente perante a alegria do coração encontrada, afastando de vós as preocupações quotidianas, as obrigações quotidianas, as crenças habituais e, também, afastando de vós as últimas resistências, as últimas ilusões.

Isto não é substituído por um vazio mas bem mais por uma plenitude e uma alegria da vossa Presença, e isto, eu repito, quaisquer que sejam as contingências do vosso efémero, que passarão de forma natural para segundo plano, e em seguida para plano de fundo. A Luz, vocês compreenderam, ocupa, portanto, todo o espaço no vosso corpo de carne. Não há nenhuma escapatória. Não serve de nada manter o que quer que seja que vocês conheçam, não serve de nada querer preservar qualquer ilusão que seja, porque nenhuma ilusão poderá manter-se no campo da vossa consciência depois de concluída a última Teofania programada. Alguns de vós viveram as primícias, acordados, libertados ou a dormir.


Há, portanto, um verdadeiro alívio do que é efémero relativamente à vossa consciência efémera, perante a intensidade da Luz e a revelação vivida em cada fibra da vossa consciência, em cada fibra dos vossos corpos físicos e subtis, não deixando espaço a nenhuma dúvida nem a nenhuma interrogação.

Se, no entanto, existirem ainda dúvidas ou o sentimento de ter uma qualquer escolha, é nesses momentos que convém que o vosso pensamento e a vossa consciência sejam virados, da maneira mais justa e mais certa, para o vosso coração, a vossa Eternidade, porque nesse momento, a partir de 10 de Junho, a Luz seguirá o percurso dos vossos pensamentos e o percurso  da vossa consciência. Aqui, trata-se da atualização do Masculino e do Feminino sagrados, fazendo-vos reunir de maneira evidente, para além da vibração percebida por alguns de vós ao nível do que é nomeado o 12º corpo ou o Andrógino Primordial… esta evidência irá por fim, como eu disse, a toda a interrogação e a toda a dúvida.

Se a vocês parecer não viverem isto após o 10 de Junho, e estiverem ainda em interrogação e em questionamento, não se esqueçam de me chamar, não se esqueçam de chamar Maria, e não se esqueçam de ligar antes todos os vossos pensamentos e a vossa consciência na Luz, mesmo que vocês não a conheçam, mesmo que não a tenham vivido. Para aqueles que vivem, recentemente ou há muito tempo, os processos e os mecanismos vibratórios, corresponde à descida da Eternidade no seio deste mundo, vocês constatarão por vós mesmos  que qualquer que seja o lugar onde vocês se situem ainda hoje, ele não será o mesmo na manhã de 10 de Junho.

Este presente (dádiva) está destinado antes de mais nada a vos permitir viver a tribulação humana coletiva sem serem afetados de maneira nenhuma ao nível da vossa eternidade. Além disto, vocês constatarão com facilidade que quanto maior for o pandemónio da terra, mais vocês estarão em paz e mais vocês estarão na alegria, não a alegria do que pode ver destruir o que quer que seja, mas uma alegria saudável, mostrando-vos a verdade do vosso coração, prevalecendo e apagando todas as ilusões ainda presentes neste mundo.

A Luz vai intimar-vos, quer seja em sonhos, que seja pela intuição fulgurante, quer seja pelo caminho exterior de um amigo, de um irmão ou de um ser de Luz, para se decidirem, porque muito em breve vocês não poderão mais conciliar ao mesmo tempo as atividades efémeras e o estado de Eternidade. Cabe-vos ver, cabe-vos decidir, cabe-vos escolher onde está a verdade para vocês. Ela está na Verdade imutável do coração ou ela está na atração da matéria e da vida no seio desta dimensão?

Vocês têm, vocês sabem, uma liberdade total de se estabelecerem no que vos parece ser a vossa verdade. Contudo, e vocês sabem, o Apelo de Maria virá necessariamente pôr fim a todo o efémero de maneira temporária, realizando realmente e concretamente o que foi nomeado a estase, e que na realidade é uma verdadeira morte seguida de uma verdadeira ressurreição, seja acompanhada pelo vosso corpo de carne transmutado, seja diretamente no seio do vosso corpo de Existência, seja no seio do Absoluto, não dependendo mais, então, de mundo nenhum, de forma nenhuma nem de dimensão nenhuma.

Aqui está a vossa liberdade, mas como em toda a passagem, qualquer que seja, no seio dos mundo confinados, o nascimento como a morte são igualmente difíceis. Não se trata de um nascimento nem de uma morte mas antes de uma ressurreição, o que quer dizer que não há nada de novo propriamente dito, para descobrir, mas apenas o que eu poderia nomear, sem nenhuma noção temporal, o que sempre esteve aí, o Velho (o Antigo), esse Velho dos Dias e esse Velho das Noites que não são senão a vossa eternidade não sendo intimidada nem oprimida por nenhuma servidão nem nenhum limite.

Como vocês já sabem, por muitos de vós o terem experimentado durante alguns anos, a natureza, os povos da natureza, a Confederação Intergalática, agora os Arcanjos, são ajudas inestimáveis para manter e alimentar, se o posso dizer, esta Eternidade, sem fazer apelo a qualquer elemento pessoal ou conhecido.

A Luz vos chamará com cada vez mais precisão. Isso não será simplesmente uma injunção da Luz mas a evidência da Luz e da Graça, a partir do instante em que o vosso pensamento, a vossa consciência se voltarem para ela. Basta simplesmente ter um pensamento para a Luz autêntica e verdadeira, um pensamento para mim, um pensamento para Maria, um pensamento para Uriel, para constatar, além de todo o protocolo e de toda a subida vibratória, a realidade da nossa Presença e a realidade da vossa eternidade.

Certamente, durante este mês de Junho, exceto se o Apelo de Maria ocorrer antes do fim deste mês, vocês terão a possibilidade de constatar, por vós mesmos, as diferentes localizações da vossa consciência, das vossas ideias e dos vossos pensamentos. Num caso, vocês sentirão a alegria e a ligeireza, no outro caso, vocês sentirão o peso, o desconforto e a dor. Cabe-vos, então, muito naturalmente decidir, aí onde vocês estão, o melhor para além da qualquer entidade. É um problema íntimo para resolver sozinho, mesmo que nós estejamos aí, ao vosso lado. Porque, mais uma vez, e de maneira muito presente hoje, somente vocês podem realizar isto. Nem o Cristo, nem a Fonte, nem mesmo Maria, o podem fazer no vosso lugar.

Cabe-vos constatar e viver o que acontece quando vocês pensam na Luz. Cabe-vos constatar e viver o que acontece se vocês caem no funcionamento habitual da pessoa e da vossa história. Para cada um de vós, mesmo instalado na Liberdade total de um Libertado Vivente, como para aquele que dorme, da mesma maneira vos será dado a constatar com uma evidência formal a diferença entre o coração e o que não é o coração, entre a Eternidade e o efémero. Vocês não têm necessidade de interrogar nem o vosso mental, nem as cartas, nem o pêndulo, nem um irmão, nem uma irmã. O que será importante nesse momento, é justamente esta noção de evidência.

Assim, se o posso dizer, vocês terão em mãos, durante este mês de Junho, todas as cartas que é possível ter. Cabe-vos ver se vocês querem estar na Fluidez da Unidade, na evidência da Eternidade ou na resistência pessoal, que conduzirá necessariamente a negação e a raiva a um estado que vocês nunca viveram até ao presente. Será, então, possível, pensamos nós, para a maioria dos humanos encarnados, acordados ou a dormir, escolher o que lhes corresponde.

Resta-vos, portanto, em termos humanos, um máximo de três semanas, a contar de 9 de Junho ou de 10 de Junho, para estabelecer a verdade do que vocês são. É neste período, durante as tribulações, que acontecem efetivamente as maiores graças, porque não haverá mais nada para manter neste mundo. Eu não anuncio com isto os mecanismos de dissolução catastróficos. Se eles acontecerem, a instalação da vossa consciência no vosso coração, de maneira perpétua, assegurará que nada vos poderá afetar, em qualquer perda evidente que seja, em qualquer situação evidente que seja.

Lembrem-se disto, e isto é efetivamente muito importante: se o vosso pensamento, as vossas ideias, os vossos atos estiverem voltados para a Luz, então a Luz vos preencherá; se os vossos pensamentos, as vossas ideias e a vossa consciência estiverem voltados para a vossa pessoa, então a Luz vos parecerá ausente e isso se traduzirá, como eu disse, pelas dores, resistência, raiva ou negação.

Não permaneçam na negação mas testem por vós mesmos, realmente e concretamente, mesmo o facto de experimentarem, para aqueles que estão acordados, sair da Luz, reentrar na pessoa, e vocês verão. Aí vocês constatarão por vós mesmos onde está a evidência, onde está a verdade. Não se contentem com o que eu digo, não se contentem em acreditar ou não acreditar, eu convido-vos, assim como Maria fez,, a verificarem isto por vós mesmos, porque só vocês podem saber e viver isto, e situarem-se. Ninguém o poderá fazer no vosso lugar, e vocês não o poderão fazer por ninguém, mesmo pelos mais próximos, junto de vós.

Não se trata de um momento de solidão mas antes, realmente, de momentos de plenitude, sobretudo para aqueles que até agora se lamentam de não ter vivido os processos vibratórios, porque para eles representa o fim da espera, o fim de crença e a experiência direta da Luz.

Lembrem-se também que se houver « pessoa » e « personagem », há, de uma maneira ou de outra, sofrimento e incompletude. Desde que haja Eternidade, há Alegria, Leveza e felicidade. Isto não é um conceito, Não basta dizer « eu estou no coração », porque isso não quer dizer nada, isso são estratagemas do ego. É preciso verificar, será preciso verificar, na vossa consciência e na vossa carne, o que quer que vos diga o vosso mental e o que quer que vos diga a vossa pessoa, se realmente a felicidade está aí ou se ela não está, e ajustarem-se consequentemente.

Não se esqueçam também que nós podemos impulsionar a ajuda inicial mas que, uma vez iniciada essa ajuda das nossas Presenças ao vosso lado, são só vocês, somente vós, que fazem, de qualquer forma, esta experiência que é bem mais que uma experiência, que é realmente e concretamente a finalidade da compreensão intima, para além de todo o mental, do que é a Eternidade e do que é o efémero. Nós não estamos só, agora e a partir de agora, nos processos de Despertar, de vibração, de expansão da consciência, mas nós tocaremos, convosco, a partir de 10 de Junho, a parte mais intima e a mais verídica do que é a Vida e do que ela não é.

Aproveitem também, certamente, as Teofanias espontâneas, quer elas sejam raras ou permanentes, para voltar – mesmo durante essas Teofanias espontâneas, e mesmo programadas . A vossa consciência, não para a perceção da Luz pela vibração mas diretamente sobre esta palavra: « Luz ». Se esta palavra vos incomoda porque em vós ela não evoca nada, se não for a Luz do dia, então pensem simplesmente na « Luz-Amor ». Não procurem compreender, nem procurem conduzir. Lembrem-se do que eu disse: a Luz segue o pensamento e segue a consciência. É assim que vocês demonstram, de algum modo, a vós mesmos o que é a Verdade e o que ela não é, para além de todo o conceito, de toda a crença, de toda a perceção, de toda a visão.

Este mecanismo participa, de algum modo, não somente no estabelecimento do Último ou da Infinita Presença, mas diretamente na eliminação do Si e na vivência do que vocês são, ou seja, o Absoluto.

… Silêncio…

Bem amados filhos da lei do Um, neste dia de Pentecostes, nesta semana de Pentecostes, qualquer que seja o momento em que vocês escutarem ou lerem estas palavras, eu convido-vos a deixar o Paráclito abençoar o topo do vosso crânio e florescer no vosso Coração do Coração, e deixar a Luz e a Alegria ocupar todo o espaço.

… Silêncio…

Eu sou o Arcanjo Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes. Que o Paráclito e a fusão dos Éteres sejam a minha bênção em vós.

… Silêncio…

Eu sou Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestes. Bem amados filhos da lei do Um, vão em paz na vossa Eternidade. Vocês são abençoados, nós estamos convosco, e afirmem e demonstrem, pela vossa simples Presença, a vossa Autonomia e a vossa Liberdade.

Eu rendo graças à vossa escuta, eu rendo graças ao vosso acolhimento, eu rendo graças à beleza da Luz.

Até breve.

… Silêncio…


 ***


Tradução: Cristina Marques





PDF (Link para download) : MIGUEL - 4 Junho de 2017



5 comentários:

  1. Com efeito, alguns humanos encarnados na carne estão a dormir neste momento. Nós sempre vos dissemos, nós Arcanjos, assim como as Estrelas e os Anciãos, que mesmo que vocês nunca tivessem vivido os processos de subida vibratória, isso ia mudar, e chegou a hora de viver isso.

    ResponderExcluir
  2. Sim, sim, sim!! Luz, Luz, Luz!!
    Eu Sou a Luz, Eu sou a Luz, Eu sou a Luz e bendito seja o Seu,o Meu,o Nosso Nome!!
    OHGLORIA, OHGLORIA, OHGLORIA!!!

    ResponderExcluir
  3. Entregar o vosso Espírito nas mãos da Eternidade, é aceitar, sem olhar para trás, o novo e o desconhecido, que não é uma esperança embora já, para muitos de vós, depois de muitas semanas, uma verdade inabalável e inalterável que se revela ao vosso ritmo. Este ritmo que vocês viveram, que foi vosso durante as Teofanias e até esta quinta feira inclusa, serão substituídas, progressivamente ou brutalmente, pelos sinais celestes, os sinais terrestres e os sinais humanos.

    ResponderExcluir
  4. (...)

    "Cabe-vos, desde o fim das Teofanias programadas pela Confederação Intergalática dos Mundos Livres e pela própria Maria, viver em Teofania permanente e perpétua. Vocês constatarão, se adotarem esta regra de estarem em Teofania perpétua, que o alívio, a ligeireza, a serenidade e a fluidez se tornarão a vossa rotina quotidiana sem a qual não poderão passar, fazendo com que mais nada do passado possa atrair a vossa consciência, ou mesmo que alguma projeção num futuro hipotético não interfira na realização da Eternidade no seio do vosso instante presente.

    (...)

    Resta-vos, portanto, em termos humanos, um máximo de três semanas, a contar de 9 de Junho ou de 10 de Junho, para estabelecer a verdade do que vocês são. É neste período, durante as tribulações, que acontecem efetivamente as maiores graças, porque não haverá mais nada para manter neste mundo. Eu não anuncio com isto os mecanismos de dissolução catastróficos. Se eles acontecerem, a instalação da vossa consciência no vosso coração, de maneira perpétua, assegurará que nada vos poderá afetar, em qualquer perda evidente que seja, em qualquer situação evidente que seja.

    (...)

    Lembrem-se também que se houver « pessoa » e « personagem », há, de uma maneira ou de outra, sofrimento e incompletude. Desde que haja Eternidade, há Alegria, Leveza e felicidade. Isto não é um conceito, Não basta dizer « eu estou no coração », porque isso não quer dizer nada, isso são estratagemas do ego. É preciso verificar, será preciso verificar, na vossa consciência e na vossa carne, o que quer que vos diga o vosso mental e o que quer que vos diga a vossa pessoa, se realmente a felicidade está aí ou se ela não está, e ajustarem-se consequentemente."


    Paz e Bem em todos os corações!!!

    ResponderExcluir