ÉRIANE - Setembro de 2017


Ériane - Setembro de 2017
Mensagem de 19 de setembro de 2017 (publicada em 28 de setembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations



Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio





Eu sou Ériane, Rainha dos elfos da aldeia de Éridan. Irmãs e irmãos na unidade da Luz, dou graças pela vossa presença efectiva na orla da minha aldeia.

Silêncio...

O que tenho a dizer-vos diz respeito especificamente a este lugar em que nos encontramos, mas, por analogia, o mesmo se passa quanto à orla de qualquer aldeia élfica, pelo menos no que se refere aos elfos dos bosques. Como se vê, temos a água, da qual tivemos ocasião de falar repetidamente, e a árvore, a árvore dirigente, como lhe chamamos. Ela tem um nome, aqui como em qualquer lugar.

Já tive oportunidade, com outros elfos, de vos explicar o papel particular que desempenhamos no período da Terra que ora se vive. Não é segredo que as orlas das nossas aldeias são lugares privilegiados onde, a partir de agora, vos podeis banhar na Luz autêntica, livre.

As nossas aldeias, onde quer que se encontrem, estão ligadas entre si. Nós participámos activamente no estabelecimento das linhas de Luz e participaremos, de forma igualmente activa, chegado o momento, e caso disso necessitem, no vosso acolhimento definitivo, antes da partida, rumo à liberdade. Aliás, algumas das nossas aldeias foram denominadas, julgo eu, lugares de pré-agrupamento.

As nossas aldeias, tal como a sua periferia, são banhadas pela Luz unificada, amplificada pela árvore dirigente e pela água.

Este é o dia da nossa cerimónia, que se desenrolará mais tarde; se alguns dos presentes tiverem coragem, convidamos individualmente os que o desejarem a reunir-se connosco nesta própria noite, a partir das 21h30. A nossa cerimónia de Outono será um pouco mais longa do que o habitual. Podeis simplesmente passar, a qualquer hora entre as 21h30 e a meia-noite. Nós seremos discretos, o mais importante não é a nossa presença mas, de certo modo, o trabalho realizado nesse lugar. Como se sabe, já beneficiais de certas vibrações de há uns dias para cá e também naqueles que se seguirão à Lua Nova.

A árvore dirigente, nesta ocasião, por intermédio do tronco, veicula uma consciência particular que é assimilável a uma conexão directa à Fonte e representa Metraton, de certa forma. Durante esses dias, será possível, então, não apenas recolher a nossa água, que é benzida, mas também recolher, no vosso ser, a vibração da Luz metratónica com os seus diferentes códigos. Basta que, a partir de agora, mas de maneira talvez mais viva no momento da nossa cerimónia, vos coloqueis simplesmente - é suficiente - sob a folhagem da árvore, sentados, deitados, com as costas apoiadas na árvore, pouco importa. Isso...

...Cai um ramo grosso da árvore dirigente...

O que acaba de acontecer está ligado, de alguma forma, não a um problema intrínseco da árvore mas, real e concretamente, à acumulação de Luz em certos pontos, o que impediu que certas estruturas resistissem. Como se pôde constatar, para lá do ruído, ninguém foi afectado. O que se ouviu foi o rebentamento da estrutura e isso não aconteceu por acaso neste momento.

Assim, da mesma forma, sem que se quebre alguma coisa em vós, as árvores dirigentes das nossas aldeias são portadoras da intensidade máxima, se assim lhe posso chamar,  da luz vibral.

Aqueles de entre vós que o desejarem, durante a cerimónia mas igualmente a partir deste momento, podem, enquanto falo, verificar as minhas afirmações aproximando-se agora da árvore, se lá não estão, ou daqui a pouco. As árvores, como é sabido, desempenham um papel importante como acumuladoras de Luz,  como condutoras de Luz até à terra. É este fluxo de vibrações autênticas que vos é acessível de forma talvez privilegiada nos locais em que nos encontramos.

Isto ocorre tal como acontece com a água das nossas aldeias que possui certos códigos, e disso não vou falar mais, já tive ocasião de o explicar. O que digo hoje deve ser depurado das noções temporais deste dia e que dizem respeito aos que aqui estão presentes. Sobretudo é preciso fixar que, nos acontecimentos que chegam actualmente à Terra 3D dissociada, tal consiste, para cada um que o deseje, em acelerar a finalização do seu frente-a-frente e, de certo modo, em preparar activamente os impulsos de Luz  que  foram anunciados, assim como o Apelo de  Maria.

Para lá das nossas cerimónias que terminarão, recordo, no fim do Outono, é possível, junto destas árvores dirigentes, onde quer que elas se situem, experimentar o mesmo processo - com a aproximação ao Coração do Coração - de libertação e ascensão.

Estais, pois, convidados, aqui, particularmente, e em qualquer outro lado, durante o período anunciado, a encontrar, junto das nossas aldeias e destas árvores dirigentes um refúgio de paz, um refúgio de resolução e um lugar em que a vossa eternidade transparecerá de maneira mais intensa, ajudando-vos, de certa forma, a resolver minuciosamente os últimos processos de ajustamento e transubstanciação.

Quanto aos aqui presentes, muitos são aqueles que já vieram homenagear-nos, encontrar-se connosco e viver a Paz e a Alegria particulares destes espaços preservados, mesclando a 5ª e a vossa 3ª dimensão na qual ainda, por um curto espaço de tempo, estais em vida. 

Dou-vos graças por terdes vindo aqui viver esta Teofania e beneficiar dos primeiros influxos metratónicos transmitidos às árvores de modo extensivo. Ficai tranquilos, está fora de questão que uma parte do tronco vos caia em cima a cada experiência. A sobretensão, digamos, que corresponde, para além disso, ao que pode manifestar-se em vós aquando desse frente-a-frente entre a Verdade e a Ilusão, representa exactamente o mesmo processo, o que já vos foi longamente explicado.


Claro que passamos a Eternidade, no nosso jogo de elfos, a preservar as nossas aldeias, tanto quanto possível, através de cerimónias dedicadas à Luz, mas compreende-se que a própria árvore dirigente, como é fácil de crer, se vê obrigada a alimentar-se, apesar de tudo, daquilo que a rodeia, para lá da Luz, e que, por vezes, certas alquimias do efémero e do Eterno, tal como se passa convosco, podem acarretar rupturas. Isto foi-vos muito longamente explicado durante este ano, me parece.

Ora então estais   convidados, nesta noite, de forma individual, mas também nos dias a seguir, não apenas a procurar a natureza mas, no caso de algum elemento ou acontecimento vos parecer resistir no interior do corpo físico ou do vosso funcionamento normal, a não hesitar em ficar alguns instantes sob uma das árvores dirigentes, onde quer que esta esteja situada, na orla das nossas aldeias ou nas numerosas florestas das vossas terras onde se encontram as chamadas árvores-mestras.

Dou graças mais uma vez  pela vossa dedicação, os vossos contactos, seja qual for o seu teor, qualquer que tenha sido a forma de comunicar connosco. O importante, hoje, não é tanto dialogar ou intercambiar mas antes, no que vos diz respeito, chegar, cada vez mais profundamente, à vossa intimidade e aos nossos espaços.  As árvores dirigentes dos nossos lugares são certamente, neste período, as mais propícias para viver este frente-a frente que, recordo-vos, seja qual for a fraternidade, quaisquer que sejam as  trocas entre vós ou connosco, ocorre a sós.

Foi-me pedido que não me alongasse no tempo; por isso transmiti-vos o essencial acerca desta forma de evolução vibratória que há muito tem vindo a processar-se, embora ultrapassando, de certa forma, um nível suplementar, a partir desta noite.

Em nome da aldeia de Éridan e em nome de todos os elfos, dou graças pela vossa presença, dou graças pela Luz. Eu sou Ériane. Talvez, a alguns que tiverem coragem, diga: até logo à noite.

Que a Paz, a Alegria e a Verdade estejam convosco.

Saúdo-vos e a aldeia inteira transmite-vos a sua simpatia, a sua amizade e alegra-se por vos ver cada vez mais distintamente devido à Luz que de vós irradia.

Resta-me desejar-vos, em nome de todos os elfos juntos, grandes alegrias, grandes redescobertas, neste período que se inicia.

Digo-vos até breve, até sempre, na Verdade.


...Silêncio...


***


Tradução do Francês: Maria Teresa Santos


PDF (Link para download) : ERIANE - SETEMBRO DE 2017


2 comentários:

  1. Para lá das nossas cerimónias que terminarão, recordo, no fim do Outono, é possível, junto destas árvores dirigentes, onde quer que elas se situem, experimentar o mesmo processo - com a aproximação ao Coração do Coração - de libertação e ascensão.

    ResponderExcluir
  2. A nossa cerimónia de Outono será um pouco mais longa do que o habitual. Podeis simplesmente passar, a qualquer hora entre as 21h30 e a meia-noite. Nós seremos discretos, o mais importante não é a nossa presença mas, de certo modo, o trabalho realizado nesse lugar. Como se sabe, já beneficiais de certas vibrações de há uns dias para cá e também naqueles que se seguirão à Lua Nova.
    Rendo Graças

    ResponderExcluir