MENSAGENS DE OUTUBRO DE 2017



MARIAAQUI - (Com Áudio)

MIGUELAQUI - (Com Áudio)

ANAELAQUI - (Com Áudio)


BIDI - Q/R

- Parte 1 AQUI - (Com Áudio)

- Parte 2AQUI - (Com Áudio)

- Parte 3AQUI - (Com Áudio)

- Parte 4AQUI - (Com Áudio)

- Parte 5 AQUI - (Com Áudio)

- Parte 6AQUI - (Com Áudio)

- Parte 7AQUI - (Com Áudio)


ANDROMÉRID AQUI - (Com Áudio)


OMA - Q/R

- Parte 1AAQUI - (Com Áudio)

- Parte 1B AQUI - (Com Áudio)

- Parte 2 AQUI - (Com Áudio)

_______________________________________


 

3 comentários:

  1. Falando de Miguel, eis que me veio a ideia de comentar sobre a ação do elemento fogo que tem devassado grandemente algumas regiões, notadamente Portugal, onde reside três das nossas valorosas tradutoras. Tendo tido alguma dificuldade em contatá-las, cheguei mesmo a supor que isso poderia ser em decorrência dos rigorosos incêndios havidos por lá. Agora, através do que já me contaram, de fato minha suposição foi meio que confirmada. O bom é que elas sendo naturalmente micaélicas e residentes do coração, tudo ficou no nível de muita compreensão e tranquilidade, como era de se esperar. Particularmente, envio-lhes o mais sincero abraço, certo que participarão normalmente destas traduções do corrente mês.

    ResponderExcluir
  2. Para quem já acordou, realmente é muito simples tudo ou quase tudo que continua sendo dito como âmago dessas Mensagens, pois é justamente o que ele vive, e assim não podendo sequer enxergar outra coisa. É claro que esse acordar aconteceu, e foi acontecendo mais e mais, não tendo sido pois nenhuma obra pessoal, de quem quer que seja. Para qualquer pessoa, seja de qual nível for, cujo prisma é necessariamente subordinado ao conhecido, onde ela acha inclusive que protagoniza sua própria vida, é evidente que todas essas falas dos intervenientes são o que existe provavelmente de mais estranho e inadmissível, digamos assim. Como seria possível alguém vê ou ouvir alguma coisa, e logo não tentar identificá-la e procurar nominá-la, por exemplo? Como seria possível alguém perceber algo, e se restringir exclusivamente à percepção ocorrida, sem emitir qualquer pensamento a respeito? Como reconhecer tanto valor numa consciência meio que de criança, que nada sabe, que nada avalia, que nada mede, que nada compara, que nada julga? Como seria possível aceitar que é "morrendo" que se vive? Como seria possível conformar-se com a ideia de que um mero pensar já adultera (faz uma coisa virar outra)? Como seria possível consentir e concordar que é fundamental o desaparecimento das construções mentais e emocionais? ... Bem, de qualquer modo, por sorte, existe esse acordar individual, já realidade para muitos, mas sobretudo o acordar coletivo vindouro, tão prometido. É claro também, que esse acordar individual, já efetivo em muitos, não necessariamente se reflete em plena e total consciência para todos estes, mas que já se reflete em suficiente ressonância com esse conteúdo tão impessoal, por exemplo; o que já é marcador e garantia de um novo viver.

    Em se tratando de conteúdo impessoal, onde mesmo querendo não se alcança, pois trata-se de pura Graça, resta lembrar que somente no Apelo Coletivo, em conjunto com os demais eventos ascensionais, é que tudo isso ficaria divinamente claro e consumado, onde todas as pendências dos verdadeiros postulantes se dissipariam.

    ResponderExcluir
  3. Se tivesse que escolher uma frase como a mais notável, mais sintética, mais significativa, mais presente na minha vida... provavelmente escolheria essa: "o ideal é a vida viver, e não, viver a vida". Para maior contentamento, observa-se que os intervenientes dizem isso o tempo todo, de vários modos. Assim, nesse caso, como não abraçar intensamente o conteúdo dessas mensagens ?!?!?!

    ResponderExcluir