ANAEL - Parte A - Novembro 2017


ANAEL - Parte A - 13 de Novembro de 2017
Mensagem de 13 de novembro de 2017 (publicada em 23 de novembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio



Eu sou Anael Arcanjo.  Bem amados filhos do Único, eu rendo graças ao vosso acolhimento, à vossa Presença, à vossa escuta e à vossa leitura.  Antes de começar a trocar, a questionar, instalemo-nos, se vocês querem, alguns minutos no silêncio da Verdade, na comunhão do coração.

… Silêncio…

Intervenho neste dia de 13 de novembro de vosso ano de 2017, enquanto Arcanjo da Relação, da comunicação e do Amor.  Essa Relação, essa comunicação e esse Amor, hoje, concernem ao que está prestes a se reunir em vocês, a saber a Eternidade e o efêmero.  Assim então eu me proponho a esclarecer esta etapa final da ascensão da Terra e de vossa liberação através de vossos questionamentos concernentes ao processo que está em operação, traduzindo-se talvez, como vocês o vivem, por manifestações novas e inéditas, pelos reposicionamentos de vossa consciência, e também pela solução, de diferentes maneiras, do que ainda pode  obscurecer a visão da Verdade e vossa vivência da Verdade.
Assim, através de vossos questionamentos concernentes a esta etapa – final -, eu me proponho a vos dar, de algum modo, os elementos marcadores e de informação permitindo-vos a aquiescer ao que se desenrola em vocês, e isso, qualquer que seja o teor. 
Bem-amada, eu te escuto

Questão : desde um mês, o ponto AL entre as duas sobrancelhas manifesta-se sob a forma de pressão e de palpitações. Você pode me esclarecer em relação ao processo em curso ?
Bem-amada, neste processo final, as percepções inéditas manifestam-se na tela de vosso efêmero, traduzindo a emergência, e não mais somente a colocação em atividade, do que corresponde ao potencial de vossa eternidade.  Isso foi nomeado em seu tempo Estrelas de vossa cabeça, Portas de vosso corpo, que de fato são apenas os pontos de restituição à vossa eternidade, sobre o qual se ressintetiza e se manifesta novamente aquilo de que vocês foram privados. Efetivamente, existem diversas manifestações, uma dessas manifestações pode corresponder à questão que foi colocada.
A insistência de percepções de um dos novos corpos no nível dos pontos que vocês conhecem, situados sobre o eixo sagital mediano anterior, correspondente às Portas nomeadas OD, ER, IM, IS, AL, encontram-se hoje ativadas de maneira importante e final, ligadas à colocação em movimento, como vocês talvez o vivem, da Merkabah interdimensional coletiva e pessoal. Assim o fato de sentir de maneira inabitual uma dessas Portas ou um desses corpos, induz a uma colocação em manifestação, uma colocação em consciência da função representada no nível desse corpo.
Aqui, você está situada no nível do ponto AL revertido, quer dizer no que foi nomeado Triângulo do Fogo.  O que se passa no nível desse ponto AL, entre tuas sobrancelhas, está ligado diretamente ao 12º corpo, e também à emergência do Fogo Ígneo tomando todo o espaço e toda a consciência.   O Fogo Ígneo, quando ele é vivido, é uma consumação de Amor conduzindo-te a se reposicionar a cada minuto, de maneira não voluntária e não consciente, em alinhamento com tua verdade e em alinhamento com tua eternidade.  O que se produz no nível desse ponto AL corresponde à finalização da dissolução da alma, iniciada desde um certo tempo, nomeada reversão da alma da matéria para o Espírito.
Portanto existe uma colocação em serviço e uma colocação em ação da conjunção do Andrógino primordial, nomeado 12º corpo ou Porta AL no nível do nariz, e a ponta do Triângulo elementar de Fogo, nomeando-se também AL, mas de ponta para baixo.  O Fogo Ígneo está portanto presente, em Eternidade é claro, mas também se manifesta de diferentes maneiras em meio ao vosso efêmero, colocando abaixo, se posso dizer, as últimas facetas salientes de vossa personalidade, de vossos comportamentos, que pertencem ao efêmero, deixando então a Alegria desse Fogo Ígneo aparecer em meio à vossa consciência ordinária e induzindo, de maneira lógica, a um reposicionamento muito fino em meio à Alegria, à Evidência, em qualquer atividade que seja em meio ao efêmero.
A percepção de qualquer um desses pontos do corpo ou das Estrelas, vai fazê-los perceber, além da ressonância localizada e no nível da colocação em ação, também um certo número de circuitos pertencentes ao vosso corpo de Existência, que, eu vos lembro, manifesta-se à vossa consciência ordinária, permitindo a ele então desaparecer a fim de que vossa consciência de Eternidade tome posse desse veículo efêmero, a fim de levar à sua dissolução, seu desaparecimento, quando do Apelo de Maria ou quando do apelo final do planeta-grelha terminal.
Portanto trata-se de uma preparação ativa produzindo-se por ela mesma, pela Inteligência da Luz a partir do instante em que você relaxa o apego a tua própria pessoa, a tua própria história, deixando livre espaço à manifestação da Luz, do Amor, da Verdade, ao mesmo tempo da tua Presença e ao mesmo tempo em relação a este mundo.  A relação com você mesmo torna-se então mais autêntica e não pode mais ser ocultada ou obscurecida por quaisquer fatos proeminentes dos hábitos comportamentais ligados à pessoa, ligados às experiências.  Trata-se então da tradução real e concreta da saída de toda história, de todo cenário e de todo hábito.
Assim você talvez constatou, ou foi constatado ao teu redor, existe uma maior disponibilidade à Eternidade, e isso nas circunstâncias, mesmo as mais desagradáveis, se posso dizer, que podem existir em meio à pessoa, que isso concerne ao corpo, que isso concerne à tua própria relação à tua eternidade e tua relação com o mundo, neste mundo como em todo mundo.  Isso também pode se traduzir, evidentemente, por uma modificação da intensidade dos sonhos como da intensidade do que se desenrola em meio aos vossos espaços de alinhamento, de meditação ou de desaparecimento.
Todavia existe uma especificidade em relação ao que é sentido em teu caso, como em cada caso, colocando de algum modo adiante a colocação em função das funções que, para você, são as mais importantes no nível do teu corpo de Eternidade desdobrando-se neste mundo.  Assim o que é concernido aqui está relacionado ao Andrógino Primordial e ao Fogo Ígneo, à alquimia do Fogo Ígneo permitindo-te reencontrar com evidência tua dimensão de Andrógino primordial, de criança interior, de espontaneidade, de vacuidade e de Verdade.
Entre cada questionamento e a sequência da minha resposta, se não houver outro questionamento concernente à mesma questão, nós nos estabeleceremos no silêncio e na verdade de vossa Presença e de minha Presença, permitindo-nos assim estabelecer em cada um de nós o que foi nomeado por Maria « Endofania », e permitindo-vos entrar em relação mais íntima, mais consciente, com vossa própria eternidade, ali onde não há mais pessoa, ali onde nem vocês nem eu somos nem necessários nem indispensáveis. Isso vos será proposto por alguns instantes após cada questão.

… Silêncio…

Outra questão bem-amada.

Questão : colocando meus punhos sobre as Portas AL e Unidade, eu me tornei um vórtice, ou eu tinha a sensação de estar em um vórtice, e em minha visão interior, uma multidão de informações se sucediam a toda velocidade sobre uma tela, no que me parecia estar em desordem, eu tinha vertigem. O que se passou ?
Bem amada, quando a Eternidade se manifesta em meio à tua consciência ordinária, e tomando e sobrepondo-se a todo espaço, existem diversas percepções vibrais, cuja noção de espiral e de movimento ao redor de um ponto imóvel podem ser vividas e percebidas.  Além disso, o que você descreve corresponde à instalação da tua consciência, devido à comunhão, à relação e ao Amor, entre a Eternidade e o efêmero que te constituem, dando-te a ver o conjunto dos possíveis.  O que se desenrola atrás da tela mental corresponde então ao supramental e é a ilustração do que se desenrola no instante em que tua consciência de Eternidade permanece imóvel, dando-te a ver o conjunto dos possíveis e prefigurando de algum modo o que você é, quer dizer, o Absoluto, anterior à toda Luz, à toda consciência e à toda experiência.
Nos primeiros tempos em que isso se produz, quer isso se realize no nível atrás da tela do mental no nível da cabeça, ou quer isso se realize em consciência situando-se no centro de uma esfera onde aparecem o conjunto dos possíveis, convém naquele momento permanecer tranquila e não ser atraída em meio ao ordinário por uma necessidade de compreensão, por uma necessidade de visão, de explorar, ou do que quer que seja.  Assim, isso se produz, e isso se reproduzirá, basta simplesmente permanecer tranquila, não buscar observar, deixar passar e atravessar o que aparece na tela de tua consciência, e naquele momento você basculará, de maneira lúcida, em meio ao Absoluto.
A partir do instante em que a consciência não é mais atraída por qualquer elemento visual ou qualquer elemento vibratório, ela não pode mais ser desestabilizada, e a Graça da Luz, a Inteligência da Luz, a partir desse momento, te levará a conscientizar, se posso dizer, a a-consciência que você é, devido mesmo à imobilidade e à estabilidade da Infinita Presença ou da Última Presença, não acarretando em reivindicações nem de tomada de poder pela consciência efêmera, do que se desenrola em Eternidade. É assim como eu falei, nesta intervenção, de comunhão, de Amor, de relação e de comunicação entre vossa parte efêmera e a totalidade de vossa eternidade.  É assim que vocês amam a Verdade, é assim que vocês amam além de qualquer medida e de qualquer condição, e vocês amando assim em meio à Eternidade, vocês alimentam o conjunto da Vida.
Não há portanto nem de se inquietar nem de buscar explorar o que quer que seja, mas pensar naquele momento de permanecer tranquilo, pois lembrem-se, nestes últimos tempos, o pensamento segue a consciência.  O mental, sobreposto à consciência eterna, permite dirigir vossa consciência ordinária ali onde vocês o querem.  Aqui, trata-se de imobilidade, de vacuidade, de silêncio, de não movimento. Quaisquer que sejam os movimentos de aparecimento de imagens ou o sentimento de estar em um vórtice, convém permanecer firmemente no observador e na Infinita Presença até que esse desfile e essas percepções desapareçam, para deixar lugar, como eu disse, à vacuidade total, que é a fonte da Luz e a fonte da tua consciência.

… Silêncio…

Outra questão bem-amada.

Questão : na festa dos Arcanjos, em posição sentada, senti algo em mim bascular atrás, e me senti ir para trás na água e em uma Luz branca deslumbrante.  Depois, suspensa no vazio e no negro, eu desapareci.  Reabrindo os olhos, eu não sabia mais onde eu estava nem quem eu era.  Diante de mim um homem estava sentado, depois eu reconheci meu lugar de vida, o homem era meu companheiro. Tinha se passado uma hora desde o início da meditação e em meu coração eu ouvi « a-consciência ».  A experiência se renovou quatro dias depois, sozinha ao volante do meu carro, durante dez minutos.  Quem conduziu meu veículo durante esse tempo ?
Bem-amada, a resposta que eu poderia trazer seria sensivelmente a mesma resposta precedente concernente à Infinita Presença em meio mesmo ao efêmero.  Assim como você descreve, o movimento vivido permitiu bascular e reverter tua consciência, permitindo ao teu efêmero ver a Eternidade e à Eternidade ver o efêmero, o que explica a visão desse homem diante de você, que não é outro senão teu companheiro.  Assim portanto, a repetição do que você chama « experiência » é de fato a tradução da instalação em meio à Infinita Presença e da Última Presença, permitindo-te viver a vacuidade, desde a a-consciência até a supraconsciência, sem dificuldade.
Lembrem-se, até o presente, o mais frequentemente havia presença e depois desaparecimento. Aí há a presença, Infinita Presença que ilumina os possíveis, e imediatamente depois, vivência da a-consciência, como te disse a criança interior.  Portanto esse processo é similar à instalação e à emanação, assim como eu estipulei no preâmbulo, do aparecimento, em meio à vossa consciência ordinária e em meio a este mundo, e em breve à vista de cada um, da Eternidade.  Isso se tornou possível pelas graças importantes atribuídas pela Inteligência da Luz neste desdobramento final, permitindo a um número cada vez maior entre vocês de viverem a Verdade mesmo em meio a este efêmero, e sem desaparecer.
Até o presente, lembrem-se disso, o que era possível viver, exceto por alguns indivíduos, era unicamente bascular da Alegria da Infinita Presença ao desaparecimento, sem sinais, sem percepção, sem visões e o mais frequentemente sem vibrações, em qualquer ponto que seja.  A estabilidade da Eternidade e a profusão de Luz presente na terra, ao redor de vocês e em vocês, permite, para um número cada vez maior entre vocês, viver esses mecanismos de conscientização, permitindo estabelecer, através do personagem, o estado de vacuidade, permitindo à Luz de vossa eternidade, de vossa Presença eterna e de vosso corpo de Eternidade finalizar a alquimia, tanto no nível da consciência ordinária residual como no nível de vosso corpo de carne, e qualquer que seja vosso futuro, a fim de vos colocar de algum modo, pela Inteligência da Luz e não por qualquer vontade, nas melhores disposições para viverem o Apelo de Maria, a fim de viver vossa ressurreição sem resistência, sem reticências e com evidência.
Eu particularizo também desde agora, que seja o que for que eu vos explique concernente à compreensão intelectual de vossa vivência, o importante não está aí, mas em vos lembrar das minhas explicações quando isso se produzir, a fim de vos conduzir a não reagir, a não mover, a nada querer, a nada decidir, a acolher em totalidade essa revelação final que permite, como eu disse, para muitos entre vocês, ter uma amostra aqui mesmo, em meio à Ilusão, da vida em eternidade.  Traduzindo-se, é claro, em meio ao vosso efêmero por um alívio dos pesos da personalidade residual, por um alívio do conjunto dos sofrimentos podendo se manifestar em meio às vossas relações como ao vosso corpo.
Isso significa concretamente que o que vocês são em verdade e em eternidade toma o passo de maneira formal e visível sobre o que correspondia até o presente à vossa consciência efêmera, pessoal, ou à vossa busca, colocando fim deste modo para muitos de vocês, não pela repetição das experiências, mas pelas consequências diretas dessas experiências em vossa vivência a mais comum, levando-vos a constatar então um sentimento inabitual de equilíbrio face às circunstâncias da vida quaisquer que elas sejam, levando-vos doravante a deixar a Luz trabalhar de maneira concreta, em meio ao vosso efêmero, ao vosso corpo, à vossa vida, como no conjunto das consciências presentes no planeta.

… Silêncio…

Questão : quando a experiência se renovou conduzindo, eu tive confiança na Luz.  Quem conduzia o veículo já que a consciência não estava mais lá ?
A partir do instante em que esse gênero de experiência é vivido, qualquer que seja a forma ou quaisquer que sejam suas percepções e visões, existe uma capacidade bem real de vossa consciência efêmera de agir, eu diria, em toda autonomia e em todo hábito.  Isso pode ir, assim como você vivenciou, a se interrogar sobre quem conduzia o carro naquele momento.  Isso durou dez minutos, isso poderia ter durado várias horas sem lembrar do que se desenrolava durante esse tempo no nível do efêmero, mas como você assinala, com uma lembrança cada vez mais nítida do que se desenrolou quando dessa viagem em meio à tua eternidade.  Existe portanto uma forma de liberdade muito harmoniosa e ressonante entre o que se vive em meio ao efêmero e ao Eterno, permitindo, como eu vos disse, permitir a evacuação, a dissolução e o desaparecimento do que pode restar de pessoa ou de personagem no que é para viver para cada um de vocês nesta fase final da Ascensão.
O importante não é saber quem conduzia o carro, porque antes, era indispensável, quando vocês sentiam isso, parar o carro, pois vossa consciência ordinária não era autônoma nem sob a influência, se posso dizer, da Inteligência da Luz.  Hoje as coisas são diferentes, levando muitos de vocês, assim como vocês vão constatar através de diversas questões, a viver o mesmo processo de Amor entre o efêmero e o Eterno, e isso, quaisquer que sejam as circunstâncias de vossa vida.
Esse processo vai concernir um número sempre maior de irmãos e irmãs humanos.  É lógico e vos permite, como eu disse, conscientizar e ver a Verdade ao invés de conceitualizá-la, de imaginá-la, ou de vivê-la simplesmente através das vibrações.  Trata-se, como isso foi dito, da consciência pura de felicidade, Sat Chit Ananda, testemunho da Morada de Paz Suprema, ou Shantinilaya, desembocando na Endofania, a Teofania perpétua, e sobretudo um estado de Graça a nenhum outro semelhante.
Hoje, vosso efêmero pode perfeitamente, por exemplo, continuar uma conversação árdua, mesmo científica, e ao mesmo tempo desaparecer.  A consciência estando colocada cada vez mais em meio à Eternidade e ao vosso veículo que é presente e eterno, vocês constatam que desta vez, ao contrário do que se passava de maneira precedente e anterior a esta época da Ascensão, onde o desaparecimento não reconduzia a nenhuma lembrança do que se passava, se posso dizer, em eternidade, hoje é o inverso, o efêmero prossegue e a lembrança do que é vivido em eternidade, em meio ao que, aí também, é nomeado experiência, reflete a realidade do que é vivido e dessa alquimia terminal.  Conduzindo ao desaparecimento, desta vez, da totalidade da consciência efêmera, e então terminando, no momento oportuno, seja no Apelo de Maria, seja no planeta-grelha final, à emergência, ao nascimento e à manifestação de vossa eternidade, e isso mesmo em meio a esta  dimensão 3D unificada.  Isso anuncia e são as primícias de vosso desaparecimento que é em breve.
Como isso foi dito pelos Arcanjos, por Maria e pelo Cristo, não haverá nenhum prazo suplementar, não há data a buscar porque o que é importante é viver o que a Inteligência da Luz vos propõe, e observar, sobretudo depois, as mudanças que acontecem de maneira inevitável nas maneiras de funcionar de vossa personalidade residual, e também em vosso acesso, então, à Eternidade, e à essa visão da Eternidade, podendo em alguns casos ultrapassar toda forma, ali onde existe apenas a Luz branca ofuscante, e que no entanto não ofusca, aquece e no entanto não queima, que é a Infinita Presença e a primeira emanação, desde o Absoluto, da Luz Primordial, antes mesmo daquela que se focaliza no que é nomeado a Fonte, localizada, como vocês o sabem, no nível de uma das estrelas das Plêiades.
Assim realiza-se em vocês o Juramento e a Promessa, desta maneira, antes mesmo de viver o Apelo de Maria.  Portanto, para aqueles entre vocês que persistirão nesta dimensão após o Apelo de Maria, qualquer que seja a presença do corpo físico ou não, o corpo de Eternidade assumirá, a consciência ordinária não será mais do que uma lembrança, que desaparecerá de qualquer maneira em totalidade no momento do planeta-grelha final, exceto, é claro, aqueles cujas memórias devem ser recuperadas devido sua utilidade, não pessoal mas nos processos de liberação dos mundos.
Portanto vos será dado constatar que podem existir interrogações dessa natureza concernentes a quem conduz o carro, quem fala, quem se exprime. Isso não corresponde a um estado esquizofrênico ou de duplicação, mas sim à realidade da manifestação do observador e da testemunha, e do posicionamento de vossa consciência no limite de seu próprio desaparecimento, enquanto estando instalada em meio à supraconsciência.  O mais importante é, qualquer que seja a natureza das experiências ou dos estados que vocês vão me apresentar, é certamente o que se desenrola na sequência dessas experiências, quanto ao desenrolar de vossa vida comum, permitindo-vos então apreciar as modificações, objetivas, sensíveis e palpáveis de tudo o que faz vossa vida em meio a este mundo, e também de vossa eternidade presente neste mundo.
O que conduz é tua consciência ordinária, sobreposta, se posso dizer, pela Inteligência da Luz.  Tua supraconsciência, nesse momento, não tem necessidade de outra coisa além disso. É nesse sentido que nós muitas vezes dissemos que era necessário deixar a Vida vos viver ao invés de viver vossa vida.  Isto é a ilustração através das experiências que são para viver, que foram vividas, e que certamente de agora em diante vão se ampliar a cada dia.
Aliás parece-me que Maria vos disse que quaisquer que sejam os eventos de vossa vida, quaisquer que sejam os eventos acontecendo na tela deste mundo, que isso seja confrontação, que isso seja guerra, que isso seja desolação, pouco importa porque a Alegria crescerá à medida dessa dissolução do que aparece na tela deste mundo.  Isso será facilmente constatável, e de agora em diante, para muitos entre vocês, também facilmente visto.
É claro, os automatismos, no retorno, fazem você colocar esta questão, pois quem, efetivamente, conduzia esse carro se você mesma não estava lá ?  A consciência ordinária não tem necessidade de testemunha.  Em alguns casos, ela evolui, eu diria, por inércia, da maneira a mais conforme, não para vossos hábitos, mas para a própria Inteligência da Luz, quer vossa consciência esteja presente ou não.  Assim manifesta-se um certo número de carismas, experimentados há muito longo tempo pelos apóstolos do Cristo.  Isso poderá ir até aí, e mesmo bem mais do que o que foi descrito.  O Cristo vos disse :  « As coisas que eu fiz, vocês as farão, e ainda bem maiores ».  Esse « bem maiores » necessita certamente do desaparecimento da consciência ordinária, o apagamento do ego, o apagamento da pessoa, não por qualquer vontade, mas pela precedência da Luz e seu impulso, que está ligado à presença de vosso corpo de Eternidade e também de vossa consciência eterna, de maneira cada vez mais sensível e evidente.

… Silêncio…

Outra questão bem-amada.

Questão : o Arcanjo Rafael procedeu a uma efusão cardíaca de Luz branca ligeiramente colorida de verde no Triângulo da Nova Eucaristia, particularizando que isso me permitirá acolher a Luz sem limite e sem restrição. Você pode precisar como isso vai se manifestar ?
Bem-amada, as manifestações correspondem às questões que, em totalidade, vão ser colocadas hoje ; isso pode ser uma dessas manifestações ou o conjunto. Portanto eu espero que através de vossas questões vocês terão um painel, se posso dizer, das possibilidades de compreensão quando de vosso retorno em meio ao efêmero, mas compreendam bem que não é jamais, e sobretudo agora, a compreensão que vai vos esclarecer, porque o esclarecimento se faz pela Luz, e isso é uma intuição direta que não tem necessidade de vosso mental.  Em tudo o que é para viver agora, exceto em vossos questionamentos de hoje, pois eles podem ser úteis para cada um entre vocês, convém compreender que quando essas experiências são vividas, não há nada a compreender porque nada disso pode ser compreendido, isso apenas pode ser vivido, na humildade, na simplicidade e Acolhimento.  O importante está aí, e a colocação em funcionamento desse corpo de Eternidade, de vossa consciência eterna, não obedece à nada de vossa compreensão ou de vossa vontade pessoal.
Trata-se portanto de um processo comum cujas manifestações e as experiências podem ser muito variadas.  É suficiente simplesmente acolher, atravessar, viver, e nada modificar, por qualquer intenção, por qualquer compreensão ou desejo de apreender-se da experiência ou do estado.  Isso pede para assentar, de algum modo, a vacuidade, e deixar a Vida trabalhar ao invés de querer controlar o que quer que isso seja ou quem quer que seja.  É o ego e sempre será o ego quem o quer, ora nisso não há nada a querer, há somente de ser, e de maneira integral e permanente.  A compreensão vem por ela mesma, e ela não passa pelo mental, nem pela razão. Ela passa pela vivência, e unicamente pela vivência.

… Silêncio…

Todavia eu vos lembro,  e assim como foi dito, parece-me, quando da intervenção da tri-Unidade, na véspera de 13 de novembro, que cada Estrela e cada Porta viu atribuir-se um nome, além das entidades que as portam.  Esse nome é extremamente preciso, não foi escolhido ao acaso, e corresponde, no nível vibral, ao que poderia ser o mais exato, permitindo a conexão entre o conceito e a vivência.  O conceito é o nome, por exemplo Estrela Clareza, a vivência corresponde então a um esclarecimento, não ligado ao mental, mas ao impulso da Luz e ao esclarecimento da Luz, assim como ao esclarecimento do Amor e da Eternidade, sobre as circunstâncias de vossa vida.
Compreendam bem que o mental não vos é de nenhuma utilidade nisso, a não ser em um primeiro tempo, e assim como eu o faço hoje, de vos tranquilizar talvez , de vos estabilizar e de vos evitar buscar, da maneira antiga, uma compreensão, uma razão ou uma lógica.  A lógica do Amor não tem nada a ver com a lógica da razão.  A lei do Um não é de maneira alguma sobreponível à lei de ação-reação, vocês o sabem.  As condições de vida em meio a este mundo não são nada, comparadas às condições de vida ou de experiência da consciência em meio aos mundos livres.  Vocês não têm nenhum meio de vos representar o que quer que seja em relação a isso, a não ser de vivê-lo, e isso, sem interferir de maneira alguma com vossa consciência ordinária.
É assim que vocês irão, mais ou menos progressivamente, mais ou menos subitamente, para o desaparecimento do efêmero pelo acolhimento incondicional da Luz, e sobretudo permitindo-vos então viver em toda liberdade a crucificação e a ressurreição da Eternidade.  É o que se desenrola neste momento, e isso necessita de vocês apenas uma coisa, o Acolhimento incondicional, o desejo de não passar pelo mental para compreender, mas sim de deixar a experiência desenrolar-se, vivendo-a da maneira a mais neutra possível, assim como uma criança que acolhe o que está em meio ao instante presente.
Esses reflexos do mental que hoje nos servem para vos fazer apreender o que se desenrola quando de vossas experiências futuras, não tem necessidade de serem trazidos à consciência, nem mesmo de serem explicados.  O que é importante, e eu o repito de maneira firme, são as mudanças observadas nos fatos os mais ordinários e comuns de vossa vida, e também no funcionamento de vosso corpo e de vossa consciência.  Vocês o sabem, o mental é chamado a desaparecer em totalidade, as lembranças e as memórias são chamadas a desaparecer em totalidade, pois nada do que pertence à Ilusão, exceto nas circunstâncias particulares que vocês conhecem, não vos será de nenhuma utilidade uma vez liberados.

… Silêncio…

Outra questão bem-amada.

Questão : Um Amigo, em 2011, falou das sete etapas do Samadhi, sete estados se sucediam ou não....
Sete estados que se sucedem ? Não entendi. Quais estados ?

Questão : haveria sete etapas do Samadhi.
Há sete etapas correspondentes aos sete nomes do Nada. Vocês estão bem longe dessas sete etapas, elas foram ultrapassadas há muito longo tempo.  Esta etapa não pode ser vivida em meio ao efêmero.  O que se desenrola agora é o vosso desaparecimento consciente e vossa aceitação da Eternidade, traduzindo-se por essa Luz branca ofuscante onde nenhuma forma é detectável e nenhuma consciência pode se exprimir ou se manifestar, que isso seja através dos conceitos, que isso seja através das formas.  Aqui, há uma comunhão ao mais íntimo do que vocês são e não com uma forma qualquer que seja ou com uma dada dimensão.  Assim como eu especifiquei, isso não é, propriamente dito, um Samadhi, nem mesmo um êxtase, mas o desdobramento da Verdade, que não tem o que fazer dos sete estados tais como eles foram observáveis até o presente por todos os seres humanos que viveram os processos de Despertar e de Liberação.
Nós estamos além de todo estado e de toda etapa, porque o que vos é permitido viver, quando isso vos chega, é unicamente o estado de beatitude da Verdade, ligado à Última Presença e à primeira emanação de Luz desde o Absoluto.  Isso não concerne a nenhuma entidade, isso não concerne a nenhuma forma, isso não concerne a nenhuma dimensão, e é portanto a Verdade Primordial.
A diferença, contrariamente ao que vocês podem viver, para alguns entre vocês desde anos, que isso seja com os povos intergalácticos, com os mundos multidimensionais ou com os povos da natureza, acompanha-se sempre de percepções de forma ou de consciência ordinária.  Nos processos e nas questões que vocês colocam, vocês constatam bem que há simplesmente a Luz branca e que todo o resto desaparece, mesmo se efetivamente em alguns casos é visto todos os possíveis, podendo ainda levar a consciência a ser desestabilizada até a náusea.  Convém compreender que é suficiente permanecer tranquilo, nada apreender, nada querer, nada pedir, e contentar-se em estar ali.
Nenhum qualificativo pode se aproximar do que é vivido nisso. Não se trata nem de um Samadhi nem, propriamente dito, de um êxtase, mas bem mais do que foi nomeado, mesmo por Maria, Endofania, e hoje é nomeado, se vocês o querem, íntase.  A íntase realiza em vocês, de maneira antecipada, tal como isso foi anunciado e se produz, pela própria Fonte, nomeado o Juramento e a Promessa, e isso, independentemente do Apelo de Maria que, como vocês o veem, ainda não aconteceu.
Portanto, quaisquer que sejam os estratagemas e os mecanismos colocados em operação por aqueles que se opõem à Luz, em qualquer plano que seja, a simultaneidade das manifestações vividas pela consciência coletiva da humanidade, e em particular do que nós elucidamos hoje, permite efetivamente realizar o Juramento e a Promessa, assim como a Ressurreição, para muitos entre vocês, permitindo estabilizar sempre mais a Luz, sempre mais a Eternidade em meio a este mundo, e isso, mesmo independente do Apelo de Maria.  Aí estão o que foi nomeado, parece-me, as graças excepcionais, ligadas às circunstâncias do que se desenrola neste momento, quer dizer o fim da ascensão da Terra, vossa liberação, e a liberação das consciências da Terra.
O que é vivido aí não tem nada a ver com o Si. É por isso que foi chamado Última Presença ou Infinita Presença, a fim de diferenciar bem, no momento em que isso seria vivido, com o que concerne ao Si que, eu vos lembro, é apenas um espelhamento do ego espiritual.  O Si é, no entanto, geralmente indispensável, para chegar ao não-Si, ou ao não-ser.
Hoje as coisas são diferentes porque muitos de vocês poderão passar, sem as etapas vibratórias prévias, sem nenhuma percepção, desde a consciência ordinária, diretamente até a Infinita Presença ou Última consciência.  É nisso que vocês não podem trazer conceitos ou vos referir ao que é cognoscível, vivido, ou que nós desenvolvemos para vocês durante todos esses anos, pois aí agora, não é mais questão, nesse nível, de gestos.  Todavia os gestos prévios, eu vos dei há algumas semanas, mas hoje tudo isso é supérfluo a partir do instante em que o ordinário é esquecido sem nenhuma vontade de vossa parte, e é substituído por essa magnificência da Luz branca, ali onde não existe nenhuma forma, e anterior a toda forma.
Mais do que nunca, através do que se desenrola hoje, vocês não devem se apreender de nada, vocês não devem explicar nada, vocês devem viver somente a totalidade do que a Vida vos apresenta, estando literalmente e concretamente absorvidos pela experiência e a vivência.  É assim que os últimos fragmentos de vosso mental, de vossa história e de vossos hábitos desaparecerão por eles mesmos diante dessa magnificência, sem esforço, sem trabalho, sem técnicas e sem rituais.  Aí está a verdadeira beatitude, bem mais do que a Alegria, bem mais do que a manifestação da consciência, pois nesse momento vocês se situam de maneira inegável na fonte da consciência.  A fonte da consciência que é portanto anterior à própria Fonte, realiza então nesse momento a atualização do Juramento e da Promessa, levando-vos, antes mesmo da estase a viver vossa ressurreição.

… Silêncio…  

É nesse sentido também que nós vos propusemos, por diversos intervenientes, de vos introduzir no caminho da preguiça, o Caminho da Infância, o caminho da inocência, da espontaneidade.  Hoje, isso encontra todas as suas aplicações nessa alquimia final que se desenrola em vosso peito e em vossa consciência.
Mais e melhor possível vocês permanecem tranquilos, inscritos em meio à vossa vida efêmera, sem nada pedir e sem nada buscar, melhor vocês viverão esta etapa que, eu vos lembro, será comum à humanidade no momento do Apelo de Maria, e sobretudo, durante a estase, que não é nada mais do que a morte quase completa de tudo o que constituía o efêmero, e também o corpo.

… Silêncio…

Outra questão bem-amada.

Questão : vivo atualmente vertigens importantes, a sensação de que a terra foge sob meus pés ou de que minha cadeira está sobre o vazio, muito desagradável, sensação de desequilíbrio.
Bem-amado, nesta fase de liberação e de parto da Terra em meio a sua nova dimensão, como nós vos dissemos, a Terra da nova dimensão, quer dizer em 5D, já está criada. Não falta mais do que a passagem da consciência presente no núcleo cristalino da Terra diretamente para essa nova matriz crística da Terra de 5ª dimensão.
O processo que se desenrola na Terra desenrola-se exatamente em vocês da mesma maneira, para alguns de vocês.  Portanto o sentimento de desequilíbrio, e não mais de vertigens rotatórias, corresponde não somente às modificações que a Terra vive, mas também àquelas que vocês vivem, prefigurando o que é para viver.  Não há portanto nenhuma inquietude a ter, isso corresponde ao processo de reversão da Terra que vos foi enunciado e anunciado, correspondente ao basculamento dos polos, que está bem engrenado, pelas oscilações presentes no nível dos polos magnéticos
Portanto, o que vocês observam na Terra como atividades elementares produz-se evidentemente da mesma maneira em vocês, e segundo a predominância de tal elemento ou tal elemento, em proporções respectivas, vocês são levados a viver às vezes acontecimentos dolorosos na tela do efêmero.  Mas essas circunstâncias dolorosas são apenas o meio de vos assentar na Eternidade a fim, se posso exprimi-lo assim, de desestimulá-los, realmente e concretamente, de tudo o que é efêmero e que apenas passa.  E é posicionando-se em meio à Eternidade que vocês veem claramente o que é ilusório, o que apenas passa e que mesmo se ainda vos afeta, não tem nenhum peso em relação à primazia da Eternidade, em meio às experiências ou estados vividos interiormente.
Assim o que se produz para a Terra, que eu nomeei basculamento dos polos, produz-se em você pelo basculamento da consciência desde o Coração e desde a cabeça. Fusionando e alquimizando um ao outro.  A cabeça reúne-se  ao Coração, o Coração reúne-se à cabeça, para fazer o milagre de uma só coisa e de uma única verdade, ali onde não pode mais haver distância entre o Coração e o que se passa no que vocês chamam o cérebro, que pessoalmente eu nomeio a cabeça, pois como vocês o sabem, nós todos temos cabeças, em qualquer dimensão que seja, e essas cabeças têm sensivelmente as mesmas funções que o vosso cérebro, mas concernem ao corpo de Eternidade.  E sobretudo, o cérebro espiritual, corresponde às doze Estrelas e às doze funções espirituais, é controlado, se posso dizer, pela Inteligência da Luz, por vossa eternidade, e isso em qualquer plano dimensional que seja, em qualquer experiência de vida que seja, e em qualquer forma que seja.

… Silêncio…

Outra questão bem-amada.

Questão : a instalação do corpo de Eternidade é um marcador da Ascensão ?
É mais do que um marcador ou um testemunho da Ascensão, corresponde à ascensão da Terra e à vossa liberação. É a tradução disso neste plano.

… Silêncio…

No que vos concerne, enquanto filhos do Um, trata-se realmente e concretamente de vossa liberação ; quer vocês ascensionem ou não, quer vocês guardem vosso corpo ou não, não faz diferença.  Trata-se do Juramento e da Promessa que se atualizam em um número sempre maior de irmãos e de irmãs humanos, assim como nós o vemos por nossa proximidade.

… Silêncio…

Eu especifico que os silêncios que nós fazemos após cada resposta permitem iniciar, para alguns entre vocês, que eu espero numerosos aqui ou em outros lugares, esse processo de vivência do Sem-forma, ali onde está a Luz branca.

… Silêncio…

Eu particularizo também que para os mais avançados entre vocês no caminho da liberação, e não em qualquer avanço espiritual ou de superioridade, em um dado momento, tudo o que pode ser vibral, tudo o que pode ser percebido com a visão interior ou a visão cardíaca, tenderá a se apagar para ser substituído por essa Luz branca ofuscante onde nenhuma forma é visível, nem nenhuma história, nem nenhum cenário pode ser construído. Daí decorre a felicidade, e não das experiências, qualquer que tenha sido sua intensidade até o presente. Essas continuarão, para muitos entre vocês, pois elas são, de algum modo, os meios de vos tranquilizar, até o momento em que vocês soltam, em consciência, as últimas atrações a esse corpo e a essa forma.  Naquele momento, o fim da história efêmera se manifestará para vocês.
E então o que será o mais evidente, o que quer que seja que vocês tenham a viver neste mundo, será esse sentimento de felicidade, que não é nem a Paz nem a Alegria, mas bem mais intenso e bem mais estável do que a Paz e a Alegria. Então vocês estarão na Verdade, e tudo o que sairá de vocês em meio ao efêmero, será de algum modo magnificado e colorido por essa Eternidade, por essa Luz branca.

… Silêncio…

***


Tradução do Francês: Ligia Borges
https://lestransformations.wordpress.com/



PDF (Link para download) : ANAEL - PARTE 1A - NOVEMBRO 2017


7 comentários:

  1. A partir do instante em que a consciência não é mais atraída por qualquer elemento visual ou qualquer elemento vibratório, ela não pode mais ser desestabilizada, e a Graça da Luz, a Inteligência da Luz, a partir desse momento, te levará a conscientizar, se posso dizer, a a-consciência que você é, devido mesmo à imobilidade e à estabilidade da Infinita Presença ou da Última Presença, não acarretando em reivindicações nem de tomada de poder pela consciência efêmera, do que se desenrola em Eternidade.
    .........
    O Cristo vos disse : « As coisas que eu fiz, vocês as farão, e ainda bem maiores ». Esse « bem maiores » necessita certamente do desaparecimento da consciência ordinária, o apagamento do ego, o apagamento da pessoa, não por qualquer vontade, mas pela precedência da Luz e seu impulso, que está ligado à presença de vosso corpo de Eternidade e também de vossa consciência eterna, de maneira cada vez mais sensível e evidente.
    .........
    Vocês o sabem, o mental é chamado a desaparecer em totalidade, as lembranças e as memórias são chamadas a desaparecer em totalidade, pois nada do que pertence à Ilusão, exceto nas circunstâncias particulares que vocês conhecem, não vos será de nenhuma utilidade uma vez liberados.

    ResponderExcluir
  2. É, estamos em processo de fechamento do efêmero para uma abertura para a eternidade. Só nos resta acolhermos o que nos vier sem qualquer questionamento ou mentalização. Acolhemos.

    ResponderExcluir
  3. Sim estamos onde nossa consciência mental está. Por isso esteja em ti mesmo no retiro secreto do altíssimo. Ayam, Ayam Eu Sou Ayam

    ResponderExcluir
  4. E então o que será o mais evidente, o que quer que seja que vocês tenham a viver neste mundo, será esse sentimento de felicidade, que não é nem a Paz nem a Alegria, mas bem mais intenso e bem mais estável do que a Paz e a Alegria. Então vocês estarão na Verdade, e tudo o que sairá de vocês em meio ao efêmero, será de algum modo magnificado e colorido por essa Eternidade, por essa Luz branca.

    OHGLORIA, OHGLORIA, OHGLORIA!!

    Em Luz, Sara.

    ResponderExcluir
  5. Todavia eu vos lembro, e assim como foi dito, parece-me, quando da intervenção da tri-Unidade, na véspera de 13 de novembro, que cada Estrela e cada Porta viu atribuir-se um nome, além das entidades que as portam. Esse nome é extremamente preciso, não foi escolhido ao acaso, e corresponde, no nível vibral, ao que poderia ser o mais exato, permitindo a conexão entre o conceito e a vivência. O conceito é o nome, por exemplo Estrela Clareza, a vivência corresponde então a um esclarecimento, não ligado ao mental, mas ao impulso da Luz e ao esclarecimento da Luz, assim como ao esclarecimento do Amor e da Eternidade, sobre as circunstâncias de vossa vida.
    Compreendam bem que o mental não vos é de nenhuma utilidade nisso, a não ser em um primeiro tempo, e assim como eu o faço hoje, de vos tranquilizar
    A lógica do Amor não tem nada a ver com a lógica da razão. A lei do Um não é de maneira alguma sobreponível à lei de ação-reação
    Vocês não têm nenhum meio de vos representar o que quer que seja em relação a isso, a não ser de vivê-lo, e isso, sem interferir de maneira alguma com vossa consciência ordinária.
    Grato Ligia
    Do meu coração ao coração de todos

    ResponderExcluir
  6. Eu entao intervenho aqui nesse momento novamente ja que foi citado,com o proposito de vos elucidar ainda mais sobre a realidade da vivencia em meio as experiencias com o eterno.A mais ou menos duas semanas, enquanto deitado,tive justamente essa percepçao do 12 corpo ,e entao logo em seguida sai dentro da minha mente, onde fiquei alguns segundos no escuro porem lucido,entao perguntei cade o sonho? e uma imagem começou a se formar,entao sai dentro de um cenario qualquer era no meio da rua e eu estava em um corpo,logo comecei a mexer os braços para constatar que eu estava lucido do sonho,logo tive a ideia ja que eu estava ciente do sonho de voar,foi ai que ocorreu um bloqueio em que senti meu rosto na parte da arcada dentaria superior e mais acima do rosto,dando como se fosse um shock especifico na regiao que me ocasionou um certo desconforto,em seguida me surgiu a pergunta 'vc gostaria de desencarnar agora' e eu por ventura estava lucido tambem da minha historia entao pude responder que nao poderia partir naquele momento pois ainda tinha algo a resolver com relaçao a vida de minha mae.Acredito que deve ter ocorrido um respeito a liberdade da consciencia ordinaria kkkk e eu acordei ou abri os olhos kkkk.No mais eh isso,tomar agua de coco,banho de rio,regar o jardim e ve se brota umas gatinhas na horta.

    ResponderExcluir
  7. "(...) A consciência ordinária não tem necessidade de testemunha. Em alguns casos, ela evolui, eu diria, por inércia, da maneira a mais conforme, não para vossos hábitos, mas para a própria Inteligência da Luz, quer vossa consciência esteja presente ou não. Assim manifesta-se um certo número de carismas, experimentados há muito longo tempo pelos apóstolos do Cristo. Isso poderá ir até aí, e mesmo bem mais do que o que foi descrito. O Cristo vos disse : « As coisas que eu fiz, vocês as farão, e ainda bem maiores ». Esse « bem maiores » necessita certamente do desaparecimento da consciência ordinária, o apagamento do ego, o apagamento da pessoa, não por qualquer vontade, mas pela precedência da Luz e seu impulso, que está ligado à presença de vosso corpo de Eternidade e também de vossa consciência eterna, de maneira cada vez mais sensível e evidente. (...)"

    " (...) É nesse sentido também que nós vos propusemos, por diversos intervenientes, de vos introduzir no caminho da preguiça, o Caminho da Infância, o caminho da inocência, da espontaneidade. Hoje, isso encontra todas as suas aplicações nessa alquimia final que se desenrola em vosso peito e em vossa consciência.
    Mais e melhor possível vocês permanecem tranquilos, inscritos em meio à vossa vida efêmera, sem nada pedir e sem nada buscar, melhor vocês viverão esta etapa que, eu vos lembro, será comum à humanidade no momento do Apelo de Maria, e sobretudo, durante a estase, que não é nada mais do que a morte quase completa de tudo o que constituía o efêmero, e também o corpo.(...) "

    " (...) A estabilidade da Eternidade e a profusão de Luz presente na terra, ao redor de vocês e em vocês, permite, para um número cada vez maior entre vocês, viver esses mecanismos de conscientização, permitindo estabelecer, através do personagem, o estado de vacuidade, permitindo à Luz de vossa eternidade, de vossa Presença eterna e de vosso corpo de Eternidade finalizar a alquimia, tanto no nível da consciência ordinária residual como no nível de vosso corpo de carne, e qualquer que seja vosso futuro, a fim de vos colocar de algum modo, pela Inteligência da Luz e não por qualquer vontade, nas melhores disposições para viverem o Apelo de Maria, a fim de viver vossa ressurreição sem resistência, sem reticências e com evidência. (...)"

    " (...) parece-me que Maria vos disse que quaisquer que sejam os eventos de vossa vida, quaisquer que sejam os eventos acontecendo na tela deste mundo, que isso seja confrontação, que isso seja guerra, que isso seja desolação, pouco importa porque a Alegria crescerá à medida dessa dissolução do que aparece na tela deste mundo. Isso será facilmente constatável, e de agora em diante, para muitos entre vocês, também facilmente visto. (...)"

    Em profundo estado de Gratidão a tudo e por tudo, alegremente rendo graças!!!

    ResponderExcluir