ANAEL - Parte B - Novembro 2017


 ANAEL - Parte B - 13 de Novembro de 2017
Mensagem de 13 de novembro de 2017 (publicada em 24 de novembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio




Não há mais questões escritas, mas talvez há questões orais.
Terei de qualquer modo um número de elementos a vos comunicar se estes não estiverem presentes em meio aos vossos questionamentos, mas era sedutor deixar-vos a palavra para exprimir, mesmo se são vossos testemunhos, mesmo se não há questões, pois a cada vez isso me permitirá avançar através de vossas experiências e de vossas vivências sobre o que se desenrola neste momento, e as diferentes formas possíveis que isso pode tomar. No momento nós vimos algumas.
Então, não há perguntas ou testemunhos no nível oral ?

… Silêncio…

Enquanto há o silêncio, nós permaneceremos juntos nessa comunhão.

… Silêncio…

Eu prossigo então.

Assim,  para aqueles entre vocês que o vivem, vocês constatam que a percepção da vibração não concerne mais somente às Portas e Estrelas, mas concerne cada vez mais frequentemente a alguns segmentos de vosso corpo físico.  Esses segmentos não estão sempre ligados, é claro, em ressonância com Portas ou Estrelas, uma vez que como vocês observaram, essas zonas de vibração começam o mais frequentemente pelas extremidades, dando-vos a impressão de habitarem um outro corpo, essa impressão sendo de fato real.  Efetivamente, quando isso se produz, é vossa consciência que passa na Eternidade.  Pode então vos chegar de sentirem um membro, que não é o vosso em meio ao efêmero, mover.  Por exemplo, vocês estão deitados, a impressão de que vossas pernas estão cruzadas, e quando vocês olham, elas estão descruzadas, e no entanto as pernas de Eternidade estão, elas, realmente cruzadas.  Essa é a prova indubitável de que vossa consciência já habita, em algumas ocasiões, esse corpo de Eternidade e não mais a consciência corporal.

Há então perdas particulares produzindo-se por momentos, correspondentes a um desaparecimento da propriocepção, quer dizer a capacidade para sentir a localização de seu corpo pois, no caso e exemplo que acabei de dar, vocês sentem um outro corpo. Portanto não é mais questão simplesmente de vibrações em meio ao vosso corpo físico, ao invés de nos locais que foram nomeados Portas e Estrelas, nem de circuitos particulares ligados à Eternidade, que isso seja a Onda da Vida ou o Canal Mariano ou as Coroas ascensionais, mas bem mais a totalidade de vosso corpo físico que se apaga e desaparece, permitindo à vossa consciência instalar-se de agora em diante nesse veículo de Eternidade como além de todo veículo.  Nesse momento então, não há mais forma e simplesmente essa Luz branca, que vocês são.

Do mesmo modo e de maneira prévia, eu vos expliquei já desde muito tempo que quando da dispersão e acumulação das partículas adamantinas constituindo a Luz, existiam as possibilidades de sentir pontualmente, fora das Portas e das Estrelas, sensações de vibração, de picotamento, de golpes de agulha, traduzindo aí também a tomada de posse de vosso corpo eterno sobre vosso corpo físico.

O aparecimento do corpo de Eternidade em meio à consciência ordinária vai traduzir-se também por uma maior capacidade para verem-se em meio ao vosso personagem, em meio aos diferentes estados de vosso ser pessoal, em função das circunstâncias, das relações, da moral ou das convenções. É justamente o fato de ver isso que vos levará a constatar que o conjunto de vossas relações presentes na superfície deste mundo, mesmo em toda honestidade e em todo amor, são coloridas pela história, coloridas pelos hábitos, e portanto não são livres.

O posicionamento em meio à criança interior, traduzindo-se pelos sintomas que nós evocamos neste momento mesmo, traduzem-se também em meio à vossa consciência por um sentimento de maior evidência, e também, às vezes, de maior confusão, porque não é mais possível orientar-se com a ferramenta mental, em relação à vossa vivência anterior ou ainda pelas experiências contadas, obrigando-vos então a viverem isso na disponibilidade e na presença imóvel e silenciosa da testemunha. É assim que mesmo vossa consciência ordinária toma posse, ela também, de vosso corpo de Eternidade.  As primícias disso foram a Paz e a Alegria, o resultado é a felicidade permanente, não dependendo de nenhum corpo, de nenhuma ideia, de nenhuma experiência nem mesmo de nenhum estado.


… Silêncio…


À medida de minhas explicações, e quando eu paro, vos é permitido, antes que eu recomece, interrogar sobre o que eu acabei de dizer, é claro.


… Silêncio…


À medida em que a liberação atualizar-se de maneira cada vez mais extensiva e em um número sempre maior de irmãos e de irmãs humanos encarnados, vocês constatarão facilmente o desaparecimento, não da pessoa, mas o desaparecimento de tudo o que está ligado à pessoa.  Isso concerne tanto às necessidades vitais como às necessidades sociais, como às necessidades afetivas.  Qualquer necessidade que seja será magnificada por essa felicidade que saciará toda sede, todo desejo, toda necessidade, onde quer que esteja situado, a partir do instante em que vocês aceitam acolher, não refletir, a partir do instante em que vocês aceitam o que se desenrola nessa tela vibratória.  É isso que transformará talvez alguns pesos e alguns sofrimentos em vocês, mesmo se vos é sempre indispensável conduzir bem vossa vida, mas isso será conduzido em condições diferentes onde nem desejos, nem impulsos, nem história, nem memórias, nem hábitos e nem projeções terão o menor lugar.

Isso desencadeará, em muitos entre vocês, um certo número de carismas, que isso seja a bilocação, que isso seja a decorporação (experiência fora do corpo), que isso seja falar em línguas, e  que não estão ligados à alma, mas à alegria do Espírito reencontrado. Enquanto o veículo físico estiver presente, isso vos será dado a viver em algumas circunstâncias, vindo sempre vos reforçar no amor da Eternidade, no amor da Verdade, e colocando fim ao apego a essa forma, a esse corpo e a essa vida, se todavia vocês permanecem no Acolhimento e na vacuidade de vosso mental, de vossas prerrogativas ou de vossa vontade.


… Silêncio…


Eu vos lembro também, o movimento da consciência ordinária que é conduzir a si, como ao Si, que é profundamente diferente da consciência de Eternidade, sobretudo em manifestação em meio a este mundo, que é um dom total e livre por si mesmo, nomeado sacrifício e ressurreição, e que se traduzirá também, em vosso ordinário que resta a viver, pelo sentimento de viver intensamente o que se desenrola, sem aí ter nenhuma implicação nem nenhuma emoção, simplesmente porque isso é e porque naquele momento vocês compreenderão que não são vocês quem dirige vossa vida, o que quer que vocês pensem, mas sim a Luz, e em todos os setores de vossa vida.  Isso vos demonstrará então, caso seja necessário, mas a própria felicidade é a demonstração, que vocês não têm necessidade de qualquer história, simplesmente estar no instante presente e na nudez desse instante presente.


… Silêncio…


É mesmo em meio a esta liberação final do efêmero que vocês constatarão que a felicidade, a Alegria e a Paz não podem ser desestabilizadas pelo que se desenrola em meio ao efêmero, porque vocês o verão, não pelos apoios e resultados, sob a forma de imagens, de símbolos ou de conceitos, mas vocês aceitarão a Evidência que vocês são. É esta aceitação da Evidência que vocês são, e que entra em manifestação, que permite finalizar o luto, se posso dizer, da perda do efêmero e de suas histórias ilusórias.  Isso concorrerá a um sentimento de alívio e de leveza sempre maior, mostrando-vos a imutabilidade de vossa Presença, que não tem mais necessidade  de experiências, mas simplesmente do Branco e dessa felicidade.  Essa é realmente a antecâmara do Absoluto, testemunho do Absoluto no nível da fonte da Fonte.


Eu particularizo também que quaisquer que sejam as modificações que sobrevenham nos processos de liberação final, que essas modificações concirnam ao vosso quadro de vida, concirnam às vossas relações, em vocês mesmos e no exterior de vocês mesmos, o elemento predominante será essa felicidade e esse Branco, e não mais as circunstâncias, as condições ou as experiências.  É assim que o princípio que foi nomeado refutação se vê hoje atualizado pela Luz.  O fato de vivê-lo não tem mais necessidade de um conceito qualquer que seja, nem da utilização de uma consciência ordinária sobre um objetivo qualquer que seja.  Lembrem-se, naquele momento, é a Evidência que prevalece e não mais as estruturas efêmeras da pessoa, que isso seja o mental ou vossos hábitos tomados em meio a este mundo.


… Silêncio…


Assim talvez vocês percebam em meio a este Silêncio, a vacuidade é uma plenitude onde nada pode faltar, nem forma, nem história, nem cenário. Quando a consciência está imóvel, nesse momento vocês reencontram isso.  O exercício mais importante em meio a vossa pessoa hoje, para colocar em operação, não é a meditação, nem mesmo a experiência a mais transcendental, mas sim de vos habituarem a essa vacuidade, de pensamentos, de emoções, de imagens, de conceitos, de vibrações, ou de percepções do corpo. O que quer que seja que possa ser percebido, as percepções passarão ao segundo plano a partir do instante em que vocês acolhem esse Silêncio e essa vacuidade particular.  Tudo decorre daí.


… Silêncio…


É vivendo isso, quer isso seja de maneira efêmera, uma única vez, ou se reproduza de maneira permanente, que vocês constatarão vossa capacidade para permanecerem tranquilos, vossa capacidade para serem preguiçosos e para acolherem, e então para viverem, desde agora, essa ressurreição


… Silêncio…


Eu vos disse também, em muitas vezes, que doravante a consciência segue o pensamento.  Portanto, mesmo os gestos que eu vos comuniquei podem ser doravante, em um certo estado de vacuidade, podem ser realizados no ordinário de vossa vida pelo pensamento, sem utilizar os gestos, após uma certa aprendizagem.  Isso trará ainda mais evidência quanto ao mecanismo de funcionamento da consciência, não mais sujeita a um corpo denso, mas em meio à liberdade da Eternidade, que isso seja em meio a esse corpo de Eternidade presente como em meio à alguma forma

As consequências que decorrerão disso, e neste período mesmo que vocês vivem antes do Apelo de Maria, culminarão em uma espécie de sublimação do observador, porque mesmo o observador não poderá mais ser atribuído à uma história, à uma forma ou ao vosso efêmero.  O observador está nu, ele não tem outra intenção a não ser estar aí, estar presente ao mesmo tempo que ausente.


… Silêncio…


No nível, doravante, do que é observável diretamente no funcionamento desse corpo comum, aí estão, soltos, os elementos que podem ser os testemunhos do que se produz no decorrer desta liberação final :  as variações térmicas importantes reproduzem-se em certos horários, os suores noturnos, os desequilíbrios que não são vertigens como antes, os desaparecimentos que não estão mais em meio ao nada mas na estabilização da Infinita Presença e no desaparecimento de vossa forma ordinária, as vibrações nos múltiplos lugares, a percepção clara e nítida de vosso corpo de Eternidade quanto aos seus circuitos, quanto às suas composições de Luz, fazendo-vos ultrapassar largamente o contexto do que vos é conhecido até o presente e que foi vivido, que isso seja a Onda de Vida, o Canal Mariano, os chakras, as Portas, as Estrelas.  Breve, todas as estruturas de penetração da Eternidade em meio ao efêmero serão agora substituídas pela percepção real e concreta da percepção desse corpo de Eternidade.  No momento, esse processo é perceptível no nível do corpo físico, é o exemplo que eu vos dei no nível de vossas pernas, por exemplo a sensação de ter cruzado as pernas quando elas estão descruzadas.  A impressão também, de que vocês não percebem totalmente, sem dores e sem vibrações, uma parte de vosso corpo, mesmo se não há outro membro no lugar. Isso vos parece, nesses estados interiores, por exemplo, que vocês não têm mais braço. A propriocepção desse braço desapareceu, sem contudo ser substituída pela propriocepção do corpo de Eternidade.

As modificações de vossa fisiologia, importantes, concernentes às necessidades qualificadas de vitais, quer isso concirna aos alimentos, quer isso concirna à palavra, à necessidade de falar, o silêncio se imporá como a melhor evidência e a melhor resposta a qualquer problemática que seja, a fim de acolher a injunção da Luz e a Inteligência da Luz, e de deixá-la pôr-se em obra.

Modificação do ritmo e da frequência de vossas micções. Modificações às vezes importantes de vossos ritmos de sono.  Vocês poderão facilmente constatar que muitos entre vocês têm necessidade, seja de dormir mais, seja de dormir menos, mas vocês terão também os momentos em que terão necessidade de relaxar, independente do sono.  Aliás vocês terão a surpresa, se houver a injunção da Luz a descansá-los, ou a dormir, que no espaço de alguns minutos, uma noite completa foi efetuada, o que quer dizer que naquele momento vocês realmente e concretamente saíram da linearidade do tempo, visto que vocês habitaram, durante esse sono, vosso corpo de Eternidade.

Modificação das necessidades fisiológicas em alimentos, em contatos, em relações.  O silêncio será de algum modo mais falante do que as palavras e os conceitos pois haverá uma compreensão direta do silêncio, correspondente ao que foi evocado como os esboços do que vocês poderiam nomear telepatia.

A capacidade progressiva para transladar vossa consciência eterna em todo corpo de Eternidade, em todo ponto dimensional, em todo ponto deste mundo como em todo ponto do universo, não por qualquer vontade, mas simplesmente pela Inteligência da Luz que vos faz viver o que vocês têm a viver para que uma vacuidade sempre maior instale-se a cada dia.  A modificação dos gostos alimentares, a modificação dos gostos de vestuário, a modificação de vossas expressões de frases. De fato, as palavras são substituídas pelo Verbo, quer vocês o queiram ou não.  Portanto, vocês perceberão a futilidade das tagarelices, a futilidade dos julgamentos e dos discursos estéreis, que contudo são o apanágio do ser humano em meio a este mundo confinado.

Uma atração cada vez mais importante, não para a espiritualidade, as experiências, mas pelo silêncio em meio à natureza, pelo silêncio em meio às vossas atividades efêmeras.  A necessidade de fugir, não para se prevenir, de tudo o que vos aparece como tumultuoso, como incômodo.  Falo em particular, aí, da aglomeração dos humanos nas cidades, por exemplo.  Tudo o que vos parecia útil no desenrolar de vossa vida, vos parecerá totalmente inútil, isso concerne aos reflexos comportamentais, aos hábitos de orientar-se por horários, em relação, por exemplo, aos horários das refeições – vocês não seguirão mais os ritmos do efêmero, mas os ritmos da Eternidade.

Vocês constatarão também, à medida dos dias, uma diminuição de vossa reatividade aos eventos, como se esses eventos se desenrolassem por eles mesmos e não implicam em nenhuma adesão de vossa parte, uma vez que a própria vacuidade e o silêncio são muito mais eficazes e muito mais ativos do que o que vocês gerarão a partir de vossa pessoa ou de vossa história.

A disponibilidade e a presença em meio ao instante presente será também muito mais precisa, levando-vos a imergirem na beleza do instante presente, que isso seja em uma relação, na natureza, ou não importa qual circunstância onde as palavras e as explicações não têm mais nenhuma utilidade diante da intensidade dessa vacuidade e dessa felicidade.


… Silêncio…


A percepção conjunta e simultânea, no mesmo espaço e no mesmo tempo, da ressonância entre a Coroa cardíaca e a Coroa da cabeça, e em particular a pequena Coroa da cabeça com vosso coração, mostram a alquimia desenrolando-se aqui, no nível da Merkabah interdimensional.

Os processos de vibração verão substituir as próprias percepções vibratórias pelo aparecimento e pela imersão nessa Luz branca, brilhante.  Vocês constatarão facilmente que é essa Luz branca – que vocês são em Infinita Presença – que vos alimenta, vos sustenta, e pacifica e resolve.  Mesmo e sobretudo se há oposição e confrontação em qualquer círculo de amizades, familiar ou afetivo, ao redor de vocês, vocês perderão o hábito de reagir, vocês perderão o hábito de situarem-se no mesmo nível do que vos perturba, para vos situarem imediatamente no nível cardíaco, ali onde não há nenhuma reação, mas onde há simplesmente evidência.


… Silêncio…


Vocês têm necessidade de outras precisões em relação ao que acabei de exprimir ?


Não há perguntas.


Então vamos continuar, neste ritmo e nesta vacuidade.

Quando a consciência ordinária estava somente presente, quaisquer que fossem as vibrações e ainda não tinha nascido, em meio ao efêmero, o corpo de Eternidade, nem a consciência eterna que se sobrepõe a fim de uma se dissolver na outra, havia experiências, havia vibrações, que envolviam, é claro, a consciência visto que a consciência era vibração.  Hoje, a imutabilidade da vacuidade de vossa Infinita Presença não pode ser envolvida pelas vibrações, sejam elas as mais intensas.  A particularidade desses momentos de felicidade e de vacuidade, para aqueles entre vocês que sentem as vibrações, corresponde realmente à fusão da Coroa cardíaca e da Coroa da cabeça, na mesma verdade, no mesmo alinhamento, tudo isso pela ativação de uma Merkabah interdimensional pessoal

Vocês constatarão também facilmente, nesses dias e semanas que estão aí, que se alguns hábitos antigos retornam, no que concerne sobretudo à predação, no que concerne sobretudo à necessidade de controlar-se, de dominar-se, vocês constatarão então uma agitação e não um apaziguamento, levando-vos progressivamente a se desembaraçarem desses hábitos, ordinários, que finalmente não são garantias, mas bem mais os hábitos que vos paralisam e vos impedem de estar na espontaneidade. Não é reproduzindo os mesmos gestos e os mesmos acontecimentos ou as mesmas frases, em função de vossos hábitos, que vocês vão se aliviar, é somente vendo a futilidade e a inutilidade de certos comportamentos, de certas palavras, de certas relações, que a felicidade crescerá.

Se todavia vocês persistem em querer manter hábitos, palavras, frases, expressões ligadas à pessoa, vocês constatarão então um sentimento de mal-estar e de desequilíbrio importante, já que nesse momento vocês se distanciam da Verdade. Então a retificação se fará por ela mesma, uma vez que vocês verão claramente, e alguns entre vocês já o vivem, o que é justo e o que não é justo, não para vosso personagem, não para outro personagem ou para qualquer situação, mas em relação à verdade da Luz, levando-vos a se reenquadrarem, a se reposicionarem, no efêmero de vossa vida, na evidência da Luz.

Portanto, todo o ordinário de vossa vida será cada vez mais colorido pela presença dessa Eternidade e de vossa supraconsciência, levando-vos a se assentarem de maneira cada vez mais durável nessa felicidade e isso, o que quer que ainda se desenrole em meio ao vosso efêmero.  Vocês constatarão aliás, que o silêncio dessa vacuidade tem efeitos resolutivos, não somente em vosso corpo, no que persiste dos hábitos, dos comportamentos, mas também em vosso ambiente.  Tentem, por exemplo, colocar-se nessa vacuidade que vem a vocês, em qualquer lugar que seja.  No momento em que isso para, saiam do lugar onde vocês estão e voltem ali depois.  Vocês estarão surpresos da qualidade vibratória do espaço no qual vocês estavam em Eternidade.

Lembrem-se também de que essa vacuidade e esse Silêncio, da Eternidade, são eminentemente, eles também, contagiosos.  Vocês constatarão também que entre irmãos e irmãs que vivem o mesmo processo, qualquer que seja o estado, que vocês terão prazer em permanecer simplesmente ali no silêncio, sem necessariamente palavras, sem necessariamente emoções, somente porque há a ressonância de coração a coração, além de toda forma como de toda história.

Durante este período, estar o mais frequentemente possível em meio ao que é natural e essencial. Quaisquer que sejam vossas atividades, quaisquer que sejam vossas ocupações, tentem encontrar os momentos, mesmo breves, em meio a um ambiente natural, não poluído pelas egrégoras humanas, pelas remanescências das paredes, ou ainda pelos hábitos ligados aos laços ou às ocupações quaisquer que elas sejam.

Além disso vocês constatarão, pouco a pouco, que não há outra possibilidade de se reabastecer e de estar nessa alegria.  Lembrem-se : a Luz vos alimenta, a Luz vos dirige, a Luz é Inteligência, ela é Alegria, felicidade e abundância.  A abundância da qual eu falo não está ligada à materialidade, mas sim a um estado de ser, e a abundância estará presente mesmo na pobreza, e a abundância estará presente mesmo se vocês não têm um teto, a partir do instante em que vocês aquiescem, a partir do instante em que vocês dizem « sim » a essa vacuidade, a partir do instante em que vocês dizem « não » ao vosso mental, « não » às explicações, « não » às compreensões.

Evidentemente, o que eu acabo de dizer não é para aplicar de maneira formal, vocês não têm de dizer « não », vocês têm simplesmente de acolher e de não se preocuparem com nada mais.  Todos os elementos de vossa vida ordinária se porão no lugar com leveza, evidência e facilidade, vocês poderão ser tentados a dizer « como por magia maravilhosa ». Mesmo os acontecimentos os mais traumatizantes, quer isso diga respeito ao vosso corpo, quer isso diga respeito ao que vocês têm a liberar em meio ao vosso efêmero para serem livres interiormente, mesmo se eles vos parecem os mais detestáveis e os mais sofridos e dolorosos, se apagarão por eles mesmos diante da vacuidade.

Então, vocês adotarão sem dificuldade, no que concerne aos processos do Espírito, a preguiça, com evidência, pois breve não haverá mais do que ela que será eficaz. Nenhum elemento de vossa pessoa poderá agir sobre vosso humor, sobre vossa vida, sobre vossas relações.  A Inteligência da Luz toma então todos os comandos, já que é o que vocês são.  A Inteligência da Luz não pode ser comparada com nenhuma inteligência deste mundo, seja ela a mais brilhante, porque a inteligência deste mundo, a mais brilhante, é de fato apenas a reflexão do ego na Luz, enquanto que de agora em diante, na Inteligência da Luz, há a reflexão da Luz pura na Luz, ali onde não há nem fonte nem forma.


… Silêncio…


No plano comportamental, a necessidade de simplicidade estará diante da cena. Vocês fugirão das situações complicadas, não por querer evitá-las, uma vez que as situações complicadas, de qualquer natureza que seja, induzem a uma perturbação no interior de vocês.  Então nesse momento vocês serão tentados a se colocarem na vacuidade, que não é uma fuga exterior, mas sim refugiar-se na Verdade a fim de que aquilo que vos contrariava desapareça por ele mesmo, e esse será o caso.

Vocês também poderão constatar, no nível de vosso funcionamento corporal, um certo número de processos, bem reais e concretos, de rejuvenescimento e de regeneração, não para prolongar a duração da vida desse corpo, mas para permitir-lhe não ser um embaraço no momento de vossa liberação ou do Apelo de Maria.

Vocês observarão também que em algumas circunstâncias dolorosas concernentes a certas relações, vocês não poderão mais ter qualquer animosidade, nenhum desejo de reação, nenhum desejo de condenação ou de vingança, uma vez que a evidência da vacuidade será um bálsamo, de longe superior, a toda ação ou toda reação em qualquer relação que seja.


… Silêncio…


Vocês também poderão observar, muito proximamente, em relação ao que foi enunciado, tanto pelo Comandante como por Maria, a respeito do mês de novembro de vosso ano de 2017, vocês poderão observar com evidência que mesmo no que não vos concerne diretamente nas vossas relações pessoais, mas que concerne a alguns setores do mundo onde se desenrolarão os eventos climáticos, geofísicos e humanos, qualificados pelo ego de catastróficos, vocês se colocarão, sem o querer, em alegria. Não uma alegria sádica, não uma alegria perversa, mas uma alegria sem objeto, ao verem por trás das aparências do sofrimento, a liberação que está em curso.

Progressivamente a vacuidade se instalará, vocês observarão cada vez menos atração pelos eventos deste mundo, cada vez menos atração pela exteriorização da consciência eterna em meio ao vosso efêmero, efêmero que, eu vos lembro, é chamado a desaparecer em totalidade, corpo e memórias, exceto as circunstâncias particulares que nós já evocamos largamente.

A medida em que esse desinteresse pela tela do mundo aparecerá, vocês constatarão uma invasão pela Luz branca e pela vacuidade, e pela Evidência, levando-vos progressivamente a soltar todas as atenções pelo mundo, todos os olhares sobre que está neste mundo, permitindo-vos então, no momento vindo, responder ao Apelo de Maria o mais cedo possível, antes mesmo da estase. E também de reagirem na Inteligência da Luz, se em vossa região ou em alguns locais de vosso ambiente, os sons do céu e da Terra se manifestam.  Esse som do céu e da Terra terá efeitos, é claro, sobre a vacuidade e sobre a felicidade. Somente o ego é aterrorizado, somente o Si é interrogativo, mas haverá uma ressonância comum com o que foi nomeado os cantos do céu e da Terra.

Os testemunhos de vosso Despertar, em particular nomeados os Siddhis e em particular os Nada, quer dizer os sons percebidos nos ouvidos e na cabeça, mudam uma oitava e flutuam de maneira cada vez mais harmônica e harmoniosa.  Os sentidos, que seja o sentido tátil, o sentido gustativo e todos os sentidos, modificam-se neste momento mesmo visto que a primazia dos sentidos da Eternidade, ligados às funções espirituais nomeadas Estrelas, assumem sobre vossos cinco sentidos. Eu vos lembro que há doze.

Não hesitem em intervir espontaneamente nos espaços de silêncio se há questionamentos, necessidade de esclarecimentos.


Há uma questão.

Escutemos.

Questão : o que se passará com o corpo daqueles que serão evacuados e que levarão as memórias ?

Eles concluirão tranquilamente a vida desse corpo em meio a um ambiente exótico que será muito enriquecedor, qualquer que seja o destino. Se tal é o desejo, porque a partir do momento em que as memórias são recuperadas, vocês têm a total liberdade de colocar fim por vocês mesmos, no mundo em que vocês estiverem, à existência desse corpo, simplesmente parando vosso coração órgão.  Mas o interesse intelectual pode todavia existir e subsistir, dando-vos a desfrutar ainda na matéria, apesar de vossa liberação, de perceber o que são alguns desses mundos de 3ª dimensão unificada. Vocês serão acolhidos como um estrangeiro digno, nos ambientes que não oferecerão nenhuma correspondência com o que vocês conhecem na terra, independente do povo e da forma onde vocês serão convidados.

Nesse processo da liberação final, há então perda total da identificação ao corpo e também à consciência, qualquer que ela seja.  Esta é a antecâmara do Absoluto, quer dizer a felicidade.


Questão : aqueles que estarão na antecâmara do Absoluto, se reunirão ao Absoluto ou permanecerão na antecâmara ?

Bem-amada, você não pode reunir-se ao Absoluto porque é o que você é, em qualquer forma que seja além deste mundo, portanto não há nenhuma diferença.  Há apenas a consciência ordinária e o ego que pensam estar localizados em um lugar preciso.  Como você constatará, eu não posso te dar palavras concernentes a isso uma vez que tua consciência será multifocal ou multi-local,  quer você seja Absoluto ou estabelecida em uma dada dimensão. Nada está cristalizado, tudo é livre.  Portanto nenhum elemento de referência em meio a este mundo pode ser de alguma utilidade, porque as leis não são as mesmas e a Liberdade não tem nada a ver.  Lembre-se de que em meio à Liberdade, qualquer que seja a forma emprestada em um mundo dado, você apreenderá, porque o vive, que você não é de modo algum esse corpo ou essa forma que evolui em um determinado mundo.

O Absoluto não sendo um lugar, nem um espaço, nem um tempo, como você quer residir no Absoluto ?  A beatitude é permanente.  No Absoluto como na Infinita Presença que eu acabei de descrever concernente ao que se desenrola agora, vocês veem todos os possíveis, vocês são todos os possíveis, passado, presente, multidimensionais, em todos os espaços e além de todo espaço, vocês são tudo isso ao mesmo tempo. Portanto não há sujeição à uma forma em meio à Liberdade no corpo de Eternidade.  Então querer representar ou imaginar o que será isso depois, não serve para estritamente nada, enquanto isso não é vivido, porque não há nenhuma palavra que pode traduzir isso, não há nenhuma língua, mesmo nas línguas sagradas, nenhuma palavra pode traduzir isso.  Só pode haver metáforas, as alegorias ou as palavras de substituição, mas nenhuma palavra pode traduzir isso.  São os últimos apegos à tua forma que te fazem colocar essa questão, porque o apego à forma é consecutivo ao confinamento em meio a este mundo, a consciência estando identificada a esse corpo.

A consciência como a a-consciência em definitivo não têm necessidade de uma forma fixa, nem de permanecer, tal como vocês o concebem hoje em um corpo, em um lugar preciso, uma vez que vocês estão por toda parte, realmente e concretamente.


… Silêncio…


Questão : no corpo de Existência, existe uma forma de respiração sutil ?

Sim. Essa respiração não está ligada ao ar, mas ao que eu nomearia a oscilação dos Agni Deva ou partículas adamantinas que constituem teu corpo de Existência.  É uma oscilação, o termo o mais exato, dando a impressão de uma forma, efetivamente que jamais é delimitada de maneira tão precisa quanto um corpo humano.  Não há nenhum confinamento no corpo de Eternidade, tudo é permeável.  Não há nenhuma necessidade de proteger o que quer que seja.  Tudo o que é encontrado em vossa forma fusiona com todas as formas quando de cada encontro, e o encontro não tem necessidade de ser face à face nem na mesma dimensão, nem no mesmo lugar.


… Silêncio…



Questão : você pode desenvolver sobre o falar em línguas ?

O falar em línguas não corresponde aos conceitos.  Corresponde às sílabas que são pronunciadas, mas não correspondem a nenhuma língua conhecida neste mundo.  É a interface entre a Eternidade e o efêmero, que às vezes pode produzir a emissão de sílabas, vibrais, não tendo outro sentido além do que é vibrado pela pronunciação, mas levando sempre a um alargamento da própria consciência e uma amplificação da beatitude, da felicidade e da Paz.  O que é nomeado, em termos eruditos, « glossolalia », não tem nada a ver com uma linguagem traduzindo as ideias, mas uma linguagem traduzindo a Luz e somente a Luz, além de todo conceito como de toda forma.

A particularidade do falar em línguas é de fazer descer as Línguas de Fogo sobre a cabeça e permitir acender o Fogo no nível da pequena Coroa da cabeça.  Se isso se produz, eu particularizo que não se trata de sumério primário ou de Gina Abul original, tratam-se realmente e concretamente de sílabas que não têm nada a ver com uma língua presente na superfície deste mundo, como em qualquer outro universo de 3ª dimensão, dissociada ou unificada.  Esse falar em línguas corresponde ao Verbo.  O Verbo não tem necessidade de conceitos, não tem necessidade de referenciais, ele é espontâneo.  É assim que se manifesta em vosso mundo, em certas circunstâncias, a dança da Luz.  Eu te remeto para isso ao falar em línguas vivido e descrito nos diferentes Evangelhos concernente ao Pentecostes ou a descida do Espírito santo.


Questão : quando de um protocolo com os óleos essenciais, eu falei em voz alta e disse palavras que eu não conhecia e que eu não poderia repetir.

Pode ser efetivamente isso, mas o Verbo que escapa assim de você nesses momentos tem efeitos, é claro, vibratórios, e permite amplificar a percepção das Portas, Estrelas, Coroas, chakras e a vibração de uma maneira geral, porque trata-se do Verbo.  O Verbo não é inteligível pelo mental ou pelo intelecto, nem mesmo através de qualquer linguística.  Esse Verbo é vibração pura dirigindo-se à Luz e não ao cérebro ou a uma compreensão, mas ele é ativo.


Questão : como se traduz a penetração do Cubo Metatrônico no nível da cabeça atualmente ? Quais são os sintomas ?

Por todas essas coisas que acabamos de falar.  O desdobramento da Eternidade em meio ao efêmero, que alguns entre vocês vivem agora, está ligado à colocação em ação dos Hayot Ha Kodesh, procedentes, como talvez vocês o sabem, da Civilização dos Triângulos, quer vocês tenham uma origem ou não, uma linhagem ou não, em ressonância com isso, pois, eu vos lembro, a própria constituição desse corpo físico é apenas a precipitação de um certo número de triângulos de agenciamento da vida, que são os Hayot Ha Kodesh.  O Cubo Metatrônico penetrando na cabeça, ativa, é claro, a Merkabah interdimensional, e permite justamente à consciência de Eternidade entrar em manifestação na tela deste mundo, dando-vos a ver que vocês não são essa pessoa e isso, de maneira evidente.  Pois como foi colocado há pouco, se eu não conduzo meu carro, quem o conduz ?  Quem fala em meu interior quando a criança interior se exprime ?  O Cubo Metatrônico vai impactar em prioridade os quatro pontos dos quatro Hayot Ha Kodesh da cabeça, permitindo o desdobramento, justamente, da consciência eterna e do corpo de Eternidade, e acendendo na mesma ocasião a Merkabah interdimensional pessoal e coletiva.

Agora eu poderia desenvolver, por exemplo, em relação à glossolalia.  A glossolalia é a colocação em ação, não do chakra da garganta, portanto da palavra, mas do corpo que está situado imediatamente acima, quer dizer a Porta IM sob o queixo, ou Porta da comunicação ou corpo de comunicação com o Divino.  Naquele momento, o que sai de vossa boca e de vossa garganta não são mais as palavras, mas as sílabas vibrais.


… Silêncio…


Questão : você falou de doze sentidos ?

Eu falei de doze Estrelas, sim, mas eu não compreendi onde está a questão ?


Questão : eu tinha compreendido que aqui nós temos 5 sentidos, e em outras dimensões nós temos 12.

É exato. Além disso eles levam os nomes das Estrelas. Vocês não podem falar de gosto pois a partir da 5D, vocês não têm mais boca ; vocês não podem falar de audição, pois vocês não têm mais ouvidos ; vocês não podem falar de visão, pois vocês não têm mais olhos, mesmo se eles aparecem em meio a um antropomorfismo.  O funcionamento se faz pelo corpo de Eternidade, pela vibração e pela consciência, e não tem necessidade de nenhum retransmissor.

Vou tomar um exemplo muito simples : a colocação em ação, no corpo de Eternidade, de HIC e NUNC, corresponde ao pensamento da consciência de ir em tal lugar.  O deslocamento é instantâneo, porque é um deslocamento dimensional que não conhece a distância nem o tempo.  O pensamento, como vocês o vivem já aqui mesmo, é acompanhado da consciência, e nesse caso preciso, a partir do instante em que não há mais corpo físico, o veículo de Eternidade ou corpo de Existência faz instantaneamente a viagem.  Não há nenhuma distância, nenhum espaço.

Da mesma maneira, vou tomar um outro exemplo ;  quando das experiências tomadas em meio a um mundo unificado, eu vos lembro que não é necessário esperar passar por uma etapa nomeada nascimento, adolescência, velhice ou outra.  É por isso que não podemos em caso algum sobrepor o que quer que seja da Liberdade com este mundo. Não há nem nascimento, nem morte, o que quer que se produza, há somente translação dimensional ou translação em ultratemporalidade, no nível de um outro espaço.  Isso não conhece o tempo nem a fadiga, e faz-se unicamente pela colocação em ressonância de algumas funções de vosso corpo de Eternidade ligadas aos doze sentidos. É a ressonância de vosso corpo de Eternidade em relação à consciência, que vos faz, se posso dizer, mudar de ambiente, mas vocês não mudam nisso. É bem por isso que tudo está no interior de vosso coração, em qualquer mundo que seja.  Ainda uma vez, vocês não têm nenhum meio, com vossa consciência ordinária ou com vosso cérebro, de compreender isso, é impossível.

Da mesma maneira que aqui vocês habitam um corpo, e somente um corpo, senão isso se chama possessão, nos mundos livres vocês habitam todos os corpos possíveis uma vez que são os mesmos.

Que seja um corpo de Eternidade, que seja o que vocês chamam um sol, um planeta ou o conjunto do sistema solar, ou o conjunto de uma dada dimensão.  Mas isso não vos é acessível hoje, mesmo na representação mental.  É nesse sentido que há de algum modo uma reaclimatação à vossa eternidade, que portanto começou desde agora, antes mesmo de uma eventual estadia nos Círculos de Fogo dos Anciãos.

Além disso, através de algumas das oscilações que vocês vivem na consciência do corpo de Eternidade, vocês vão constatar que certas zonas de vibrações, ou de oscilações mais exatamente, vão produzir-se na percepção de vosso corpo de Eternidade, em função mesmo do que vocês pensam, do que vocês exploram em meio a este mundo.  Os sentidos são a informação.  Se vocês preferem, em termos eletrônicos, vocês poderão chamar isso um sensor.  Vocês tornam-se um sensor e um emissor que não tem necessidade de um corpo, no sentido biológico, mas de uma estrutura feita de circuitos que não são somente as circulações de elétrons, mas circulações da Luz autêntica, da qual vocês são constituídos, que isso seja no corpo de Eternidade como na constituição de vossa primeira consciência.


… Silêncio…


Vocês também vão constatar, mesmo ainda estando presentes nesse corpo de carne e de vossa vida efêmera, que a Luz e a Eternidade, seja no corpo de Eternidade como em meio a esta última consciência, basta-se a ela mesma.  Ela é autônoma em totalidade e não tem necessidade de nada mais.  Esse é o pré-requisito ao vosso retorno em eternidade e à vossa liberdade – de movimentos, de experiências, de consciência – em qualquer mundo que seja.


… Silêncio…


Bem-amados, vocês têm outros testemunhos ou outros questionamentos, porque quanto a mim, penso ter dado a volta ao que eu tinha a dizer, mas sempre é possível dizer outras coisas em função de vossas perguntas concernentes sempre ao mesmo processo que está em obra.  Senão eu permanecerei em silêncio com vocês o tempo necessário, até o fim do tempo que me é concedido em vosso mundo neste dia.


Não há mais questões e o tempo concedido chegou ao seu fim.

Então permitam-me, com intensidade e com força, estabelecer-me com vocês nesta Verdade e nesta vacuidade, onde quer que vocês estejam, aqui ou em outros lugares, no instante em que vocês escutam, em que vocês leem e em que vocês estão presentes.


… Silêncio…


Bem-amado filho do Único, eu rendo graças ao teu acolhimento e à tua Luz.  Eu sou Anael Arcanjo, Anjo da Relação, do Amor e da comunicação, e eu permaneço em cada um de vocês.

Até logo e até sempre.


***


Tradução do Francês: Ligia Borges
https://lestransformations.wordpress.com/



PDF (Link para download) : ANAEL - PARTE 1B - NOVEMBRO 2017


8 comentários:

  1. Do mesmo modo e de maneira prévia, eu vos expliquei já desde muito tempo que quando da dispersão e acumulação das partículas adamantinas constituindo a Luz, existiam as possibilidades de sentir pontualmente, fora das Portas e das Estrelas, sensações de vibração, de picotamento, de golpes de agulha, traduzindo aí também a tomada de posse de vosso corpo eterno sobre vosso corpo físico.
    .........
    À medida em que a liberação atualizar-se de maneira cada vez mais extensiva e em um número sempre maior de irmãos e de irmãs humanos encarnados, vocês constatarão facilmente o desaparecimento, não da pessoa, mas o desaparecimento de tudo o que está ligado à pessoa. Isso concerne tanto às necessidades vitais como às necessidades sociais, como às necessidades afetivas.
    .........
    O exercício mais importante em meio a vossa pessoa hoje, para colocar em operação, não é a meditação, nem mesmo a experiência a mais transcendental, mas sim de vos habituarem a essa vacuidade, de pensamentos, de emoções, de imagens, de conceitos, de vibrações, ou de percepções do corpo. O que quer que seja que possa ser percebido, as percepções passarão ao segundo plano a partir do instante em que vocês acolhem esse Silêncio e essa vacuidade particular. Tudo decorre daí.
    .........
    As modificações de vossa fisiologia, importantes, concernentes às necessidades qualificadas de vitais, quer isso concirna aos alimentos, quer isso concirna à palavra, à necessidade de falar, o silêncio se imporá como a melhor evidência e a melhor resposta a qualquer problemática que seja, a fim de acolher a injunção da Luz e a Inteligência da Luz, e de deixá-la pôr-se em obra.
    .........
    Se todavia vocês persistem em querer manter hábitos, palavras, frases, expressões ligadas à pessoa, vocês constatarão então um sentimento de mal-estar e de desequilíbrio importante, já que nesse momento vocês se distanciam da Verdade.
    .........
    Ainda uma vez, vocês não têm nenhum meio, com vossa consciência ordinária ou com vosso cérebro, de compreender isso, é impossível.

    ResponderExcluir
  2. Imagina, para uns, já há á
    antecipação das vivências dos Círculos de Fogo. Vivemos de fato em dois mundos. Incrível!!

    OHGLORIA, OHGLORIA, OHGLORIA!!
    Em Luz, Sara.

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado, Lígia, pelo seu valoroso trabalho. Rendo Graças.

    ResponderExcluir
  4. Se todavia vocês persistem em querer manter hábitos, palavras, frases, expressões ligadas à pessoa, vocês constatarão então um sentimento de mal-estar e de desequilíbrio importante, já que nesse momento vocês se distanciam da Verdade. Então a retificação se fará por ela mesma, uma vez que vocês verão claramente, e alguns entre vocês já o vivem, o que é justo e o que não é justo, não para vosso personagem, não para outro personagem ou para qualquer situação, mas em relação à verdade da Luz, levando-vos a se reenquadrarem, a se reposicionarem, no efêmero de vossa vida, na evidência da Luz.
    Lembrem-se também de que essa vacuidade e esse Silêncio, da Eternidade, são eminentemente, eles também, contagiosos. Vocês constatarão também que entre irmãos e irmãs que vivem o mesmo processo, qualquer que seja o estado, que vocês terão prazer em permanecer simplesmente ali no silêncio, sem necessariamente palavras, sem necessariamente emoções, somente porque há a ressonância de coração a coração, além de toda forma como de toda história.
    Grato Ligia
    Rendo Graças

    ResponderExcluir
  5. "(...) talvez vocês percebam em meio a este Silêncio, a vacuidade é uma plenitude onde nada pode faltar, nem forma, nem história, nem cenário. Quando a consciência está imóvel, nesse momento vocês reencontram isso. O exercício mais importante em meio a vossa pessoa hoje, para colocar em operação, não é a meditação, nem mesmo a experiência a mais transcendental, mas sim de vos habituarem a essa vacuidade, de pensamentos, de emoções, de imagens, de conceitos, de vibrações, ou de percepções do corpo. O que quer que seja que possa ser percebido, as percepções passarão ao segundo plano a partir do instante em que vocês acolhem esse Silêncio e essa vacuidade particular. Tudo decorre daí. (...)"

    " (...) em relação ao que foi enunciado, tanto pelo Comandante como por Maria, a respeito do mês de novembro de vosso ano de 2017, vocês poderão observar com evidência que mesmo no que não vos concerne diretamente nas vossas relações pessoais, mas que concerne a alguns setores do mundo onde se desenrolarão os eventos climáticos, geofísicos e humanos, qualificados pelo ego de catastróficos, vocês se colocarão, sem o querer, em alegria. Não uma alegria sádica, não uma alegria perversa, mas uma alegria sem objeto, ao verem por trás das aparências do sofrimento, a liberação que está em curso. (...) Progressivamente a vacuidade se instalará, vocês observarão cada vez menos atração pelos eventos deste mundo, cada vez menos atração pela exteriorização da consciência eterna em meio ao vosso efêmero, efêmero que, eu vos lembro, é chamado a desaparecer em totalidade, corpo e memórias (...)"

    "(...)As modificações de vossa fisiologia, importantes, concernentes às necessidades qualificadas de vitais, quer isso concirna aos alimentos, quer isso concirna à palavra, à necessidade de falar, o silêncio se imporá como a melhor evidência e a melhor resposta a qualquer problemática que seja, a fim de acolher a injunção da Luz e a Inteligência da Luz, e de deixá-la pôr-se em obra.(...)"

    " (...) Modificação das necessidades fisiológicas em alimentos, em contatos, em relações. O silêncio será de algum modo mais falante do que as palavras e os conceitos pois haverá uma compreensão direta do silêncio, correspondente ao que foi evocado como os esboços do que vocês poderiam nomear telepatia. (...)"

    "(...) A modificação dos gostos alimentares, a modificação dos gostos de vestuário, a modificação de vossas expressões de frases. De fato, as palavras são substituídas pelo Verbo, quer vocês o queiram ou não. Portanto, vocês perceberão a futilidade das tagarelices, a futilidade dos julgamentos e dos discursos estéreis, que contudo são o apanágio do ser humano em meio a este mundo confinado. (...)"


    "(...) Uma atração cada vez mais importante, não para a espiritualidade, as experiências, mas pelo silêncio em meio à natureza, pelo silêncio em meio às vossas atividades efêmeras. A necessidade de fugir, não para se prevenir, de tudo o que vos aparece como tumultuoso, como incômodo. Falo em particular, aí, da aglomeração dos humanos nas cidades, por exemplo. Tudo o que vos parecia útil no desenrolar de vossa vida, vos parecerá totalmente inútil, isso concerne aos reflexos comportamentais, aos hábitos de orientar-se por horários, em relação, por exemplo, aos horários das refeições – vocês não seguirão mais os ritmos do efêmero, mas os ritmos da Eternidade.(...)"

    "(...) A medida em que esse desinteresse pela tela do mundo aparecerá, vocês constatarão uma invasão pela Luz branca e pela vacuidade, e pela Evidência, levando-vos progressivamente a soltar todas as atenções pelo mundo, todos os olhares sobre que está neste mundo, permitindo-vos então, no momento vindo, responder ao Apelo de Maria o mais cedo possível, antes mesmo da estase. (...)"

    .........................

    Profundo estado de Gratidão e imensa Alegria em poder constatar por mim e em mim várias das situações tão amorosamente explicadas por ANAEL.


    ResponderExcluir
  6. A que doçura de Anael... Como nos fortaleceu na Luz, que somos, da forma a mais didática possível...

    “A medida em que esse desinteresse pela tela do mundo aparecerá, vocês constatarão uma invasão pela Luz branca e pela vacuidade, e pela Evidência, levando-vos progressivamente a soltar todas as atenções pelo mundo, todos os olhares sobre que está neste mundo, permitindo-vos então, no momento vindo, responder ao Apelo de Maria o mais cedo possível, antes mesmo da estase. »

    Bençãos são infinitas, sobre nós...
    Noemia

    ResponderExcluir