BIDI – PARTE 7 – Q/R – Outubro de 2017


BIDI - Parte 7 - Q/R - 18 de Outubro de 2017
Mensagem de 18 de outubro de 2017 (publicada em 01 de novembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations



Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio




Eh bem, estamos aqui de novo reunidos e vamos recomeçar.

...Silêncio…

Questão: Como no outro dia me disse para nada reter, vou testemunhar em primeiro lugar para agradecer infinitamente pela vossa Presença e por, a partir desse dia o meu Coração se ter transformado numa cascata de Amor e de Alegria. Por vezes, vai até ao limite do suportável. Queria pedir se pode dar-me um conselho para que isso não pare nunca.

Isso não pode ser parado. É impossível. Basta simplesmente, quando pensas nisso, para além de o viver, a partir de agora, e regularmente, faz com que a tua consciência, o teu pensamento, sigam para o que vives aqui no teu Coração. A Chama, o Fogo, aumentará. Não há limite. Isso pode ir, efectivamente, até a uma impressão de irradiação, de explosão, de consumação, de qualquer coisa que aparece como gigantesca, não humana, mas é a Verdade.

O Fogo Ígneo, como vocês o nomeiam, é o testemunho da vossa Eternidade. E deu também o seu testemunho, porque opera na vossa consciência, naquilo que é vivenciado, no que é sentido. Quando um contratempo paralisa a tua pessoa, mais do que querer compreender, resolver, agir, coloca-te antes aí onde há o Fogo, e todo o resto seguirá, quer isso sejam os elementos de uma resposta se precisas de responder a qualquer coisa, quer isso seja um comportamento, mas também é a cena de teatro que se clarifica assim, que se resolve assim, por si mesma. Aí está o “ deixar a vida se viver ”. Isso não é ser um legume, é ser consciente do que se vive, para além das palavras, dos pensamentos, para além da cena de teatro.

Quando isso nasce, é claro que há flutuações, que passam do Amor, da Paz, da serenidade, ao desaparecimento: é o jogo normal. Qualquer que seja a contrariedade, qualquer que seja a doença, qualquer que seja a desordem na cena de teatro, o espectador fica quieto. É esse mecanismo, se assim posso dizer, que vos é necessário pôr em prática para o tornar firme, não o mecanismo mas sim o Fogo. Vocês não poderão aí agir pela vossa própria vontade, mas por outro lado, poderão vive-lo portando a vossa consciência, a vossa atenção, sobre essa percepção, antes de mais nada, e isso será o suficiente para criar uma auto-combustão, uma consumação eterna desse Fogo de Amor. Não há melhor coisa para levar a cabo. Todo o resto seguirá. Todas as dificuldades da vida inerentes a esse mundo, se desvanecem.

É por isso que não há necessidade de pensarem, em relação a um evento, em como vocês devem reagir ou em como devem agir. Coloquem o Coração à frente, isso já foi dito. Não o coração da cabeça, mas o Santo dos Santos, sobretudo se tendes a oportunidade de o viver, de o experimentar, de ver em vocês o seu efeito. Se mantiverem essa postura e esse tipo de reação, interna, então, nada vos poderá desestabilizar. Todo o jogo daquilo a que chamam a ilusão, a matriz, é para vos afastar disso, para fazer com que estejam sempre ocupados com mil e uma coisas, todo o tempo, por meio das diversões, por meio de precisarem de ter um modo de ganhar a vida, por meio de ter de gerir uma família, os filhos, os pais. Mas se estiverem lúcidos disso, compete a vocês de não se esquecerem. E, conforme a consumação no Fogo Ígneo aumentar, nada no vosso personagem poderá aí se opor nem o reduzir, e isso muito rapidamente.

Não se preocupem com esse género de questões. Ocupem o tempo, simplesmente pensando no Coração, não se deixem enredar com o que se passa ao redor, o que quer que haja para fazer, o que quer que diga o vosso corpo ou o vosso personagem. Nada mais há a fazer quando isso é percebido e vivido. Todo o resto se faz naturalmente também. As palavras que vocês vão empregar, as situações que vão resolver-se com elegância, com facilidade. Vocês vão ficar surpreendidos, e alguns de vocês já o vivem em muitas ocasiões, aquilo a que chamam estado de Graça ou Acção de Graça. Quanto mais vocês se abandonarem, mais essa Graça, esse Fogo estará presente e mais irá agir através do vosso efémero, e mudará o rumo da história que ainda vos resta viver, por si mesmo. É natural, é espontâneo. Não há nada de mais lógico, não há nada de mais razoável, não há nada de mais seguro, de mais evidente.

…Silêncio…

Vocês viveram a intervenção do que foi chamado o Impessoal, que desencadeou alguns desses estados mas do exterior, para vos permitir experimentar, degustar isso. Mas agora, isso nasce de vocês mesmos, porque o personagem é posto de lado. É extremamente fácil. Se vos parece complicado, então isso não está na ordem natural das coisas. Deixem que o natural se viva, se faça, se desenrole. A vossa única intervenção é de o ver, de o apreciar, de o saborear. Isso irá reforçar a vossa identificação com o natural, com o Fogo Ígneo, com o Corpo de Existência ( Ndt: Também nomeado Corpo de Estado de Ser).

O Fogo Ígneo, que é o que descreves, e é o que outros também já descreveram, é a antecâmara do Absoluto. São as circunstâncias actuais que permitem, espontaneamente, permanecer onde não poderiam ficar anteriormente, porque tal como vos dissemos tantas vezes, ora estavam presentes, ora desapareciam. Hoje, vocês estão lúcidos sobre o que se passa. Não há que se esforçar. Esse estado se mantém e é mantido por si mesmo, a partir do momento em que vocês não fazem intervir a vossa história, as dúvidas, as suposições, e que se deixam ficar no personagem natural, verdadeiro e espontâneo.

Mas agradeço o teu testemunho. Vejamos se há outros. É importante, não para mim, nem para vocês, mas para o Um por todos, todos os que irão escutar ou ler, ver que não é preciso estar num trono com uma túnica laranja e um chapéu sobre a cabeça, que não é preciso uma roupa especial, uma postura especial. Já não há necessidade de nenhuma decoração, de muletas. A consciência é pura. Ela o será cada vez mais. 


Questão : Há dias experimentei uma intensa vibração no Coração e um júbilo. Hoje é um fenómeno diferente, é uma compressão intensa na zona cardíaca, sem efeito vibratório.

É isso o mais importante. Vocês passam da Coroa, como lhe chamaram, da vibração, ao Silêncio, mas também à compressão. É normal. O movimento do que foi chamado a Coroa Ascensional, o Fogo Ígneo que aí está, dá essa alternância de vibração, de júbilo, de êxtase, e por vezes de íntase, com uma densidade, uma forma de pressão, que pode às vezes parecer dolorosa, quer seja ao centro quer seja sobre os pontos dos lados. É completamente lógico.

Não é diferente. O sentir é diferente, porque volto a lembrar que tudo é emitido daqui e tudo retorna aqui. É o objectivo das minhas intervenções para além das palavras, de fazer ressoar dentro de vocês. Não é para vos enviar energia ou Luz. Vocês o são. O objectivo é o de fazer com que vocês se reencontrem. Já tive ocasião de explicar porque é que falo tão forte, na minha voz. Porque é o Verbo. Poderia estar aqui a dizer palavras que não tivessem qualquer significado, isso teria o mesmo efeito.

Da mesma maneira, quando estava incarnado, os que vinham até mim não falavam necessariamente na minha Língua. Havia um tradutor, é certo, mas o mais importante não era a compreensão, era o ressentir instantâneo, pois uma vez que não se entendiam as palavras, a escuta se fazia a um outro nível. O que quer dizer que hoje, aqueles que podem me escutar sem nada entender porque não é na sua Língua, viverão a mesma coisa, mesmo até mais facilmente. Mas não posso ficar em silêncio porque a recepção do silêncio se traduz também pelo silêncio da percepção, o Absoluto. O que se produz, quer seja pelo Fogo Ígneo ou pela compressão, é para permitir manter, assentar a vossa Existência no seio do efémero que desaparece; o seu desaparecimento virá em breve, completamente.

Então, o que descreves é uma etapa, mas que não se trata de ser antes ou depois, é uma respiração onde o movimento é também livre, para o exterior ou para o interior. Se for para o interior isso aperta, pesa, comprime. Se for para o exterior, abre, rejubila, é o êxtase. Na compressão há a íntase. Os dois vão em sincronia. Quer dizer que, progressivamente, tu ou outros irão constatar que há, ao mesmo tempo a consumação, o júbilo, a Alegria, a Eternidade, e ao mesmo tempo há como que um vai e vem que dá essa compressão, até ao silêncio total. Não se trata de etapas, é uma percepção. Essa percepção se inscreve na alquimia actual, final. Um como o outro, têm os mesmos efeitos sobre a Paz, sobre a espontaneidade, e sobre a capacidade de ficarem no centro da roda em qualquer circunstância que seja.

… Silêncio…

E irás constatar, segundo o momento que te é próprio, que a um dado momento, quer haja vibração, quer haja compressão, quer não haja nada, isso não altera nada. Evidentemente, esse não é o caso antes de viver isso, pois há sempre dúvidas e interrogações, os prós e os contras, verdadeiro ou falso. Mas aí, tudo é verdadeiro uma vez que tu o vives. São apenas os dois lados de uma mesma moeda. Dizemos que no batimento do coração há a sístole e a diástole. Para o Coração de Eternidade, esse diamante que aí está, é a mesma coisa. É a partir dele que, tal como irão viver, vocês mudarão de estado e de forma, de dimensão como dizem, e o Absoluto, também. Vocês sentem que tudo isso é Um, mas não é mais o nada, pois já não estão no ego. Já não podem nomear isso o nada, é a beatitude total, sem júbilo, mas na imobilidade.

O que se instala, nesse estado cardíaco é para perceber, para deixar essa Luz que vocês são, alimentar, para além da distância e para além do tempo, o conjunto das consciências, sem distinção, tal como o faz o Sol com os seus raios. Não são vocês que decidem mais nada.

Aliás, muitos de vocês falaram de Alegria eterna, sem terem sentido a Coroa do Coração. Nas minhas entrevistas, quando estava incarnado, dizia mesmo aos que me vinham visitar para abandonarem todas essas histórias dos chacras, dos corpos, das dimensões. Vão para o essencial, não ponham aí camadas intermediárias. O Coração está a nu.

Outro testemunho ou outra questão.


Questão: as suas palavras escritas poderão ter tanta força como as suas palavras faladas?

Sim. Olhem, hoje em dia, os meus livros, que não fui eu que escrevi mas são transcrições de palavras minhas na minha língua original. Como é evidente, há alguns erros das palavras, mas o efeito é o mesmo, simplesmente vocês estão hoje num estado diferente, em que o vosso acolhimento está mais facilitado.

Antes, nos anos anteriores, puderam ver que vocês desapareciam, apesar da minha alta voz. Hoje, quem é que desaparece ao escutar-me? Quem é que adormeceu? Ninguém. O jogo da consciência, o jogo da Vida, revelam este mistério, esta passagem que não é uma passagem, aqui mesmo, no meio da ilusão. Vocês estão no Coração do Coração, no Santo dos Santos. Sem comentários, sem medos. É claro que os reflexos da pessoa fazem com que ainda se questionem em como hão-de fazer para que isso perdure, ou para que não se transforme em outra coisa. Isso é impossível, não se preocupem com isso. Não deixem intervir os conceitos, mas o perceptível,  o que sentem; não coloquem aí imagens, não coloquem aí a vossa história, fiquem a nu. Não há nada mais a fazer. Absolutamente nada mais. Todo o resto é supérfluo. Tudo está aí.

Não acreditem em mim, experimentem isso, vivam isso. Não há nenhum esforço a fazer. E é claro que é preciso ser sério, mas ser sério não quer dizer ser rigoroso, pesado. Ser sério quer dizer ser honesto. Deixem aparecer essa perceção, qualquer que ela seja, nessa região do vosso peito. Se isso vos chama pela manifestação da Alegria, do júbilo, ou mesmo da excitação, porque não? Deixem sair. Se isso vos chama pela compressão, o movimento é inverso, mas isso participa da mesma verdade.

Quem mais?

…Silêncio…

Questão : Desde há duas noites, fui acordada por uma torrente de Fogo de Amor, um Fogo devorador de Amor, mas deixo-me ir, deixo-me atravessar, e quero partilhar isto convosco.

Nós todos te agradecemos. Vocês são muitos a viver isso, neste momento, ou noutros momentos. Vocês não precisam de nada mais. Tudo está aí. Todo o resto segue o seu rumo.

…Silêncio…

Quem mais, antes de terminarmos?


Questão :  Há alguma forma de manter o estado em que ficamos quando escutamos as suas palavras?

Não há nenhum meio, nenhuma técnica, a consciência é nua. Porta a tua consciência, sem pensamentos, sem emoções, sobre o que é percebido e é tudo. E eu não preciso de estar presente para que vivam isso.

Vocês receberam inumeráveis técnicas, a última das quais dada por um Arcanjo. É tão simples que não precisa de nada. Vocês têm de tal forma o hábito de depender de alguma coisa, que não depender de nada vos parece sem sentido, mas ireis habituar-vos, não se preocupem. Para além de portar a atenção, a consciência, o pensamento, sobre o que se vive, não há nada mais a fazer. Sobretudo não peçam nada. Não fiquem a pensar no que vocês sentiram há uma hora ou na noite anterior, esperando fazer com que isso se reviva. Portem-se aí, simplesmente, em consciência, no Santo dos Santos. É tudo.

…Silêncio…

E lembrem-se que quando vocês são isso, que isso é natural, todo o ambiente que vos rodeia e toda a Terra o sentem. Isso foi descrito quando eu estava incarnado, mas as pessoas não conheciam a energia e além disso, não serviria de nada. Eles falavam de impressão, de ambiente, de Presença. É tudo.

…Silêncio…

E não relacionem o que vocês vivem com a minha presença, senão vocês criam uma distância. São vocês mesmos que se colocam aí. Eu não enviei nem emiti nenhuma energia, apenas há o Verbo, o sopro do Espírito. O sopro do Espírito não é uma energia, mesmo que vocês o sintam. Ele é reconhecido como uma evidência, não pela vossa cabeça mas pelo vosso Coração.

Quem quer falar?


Questão : Diríamos mesmo que você sopra nas brasas...

É claro que eu sopro nas brasas. Mas não fui eu que acendi o Fogo. Ele se acende por si mesmo. E vocês também, vocês podem soprar nas vossas brasas, por vosso pensamento, não pelo mental, mas pela vossa consciência que se vira para essa morada, porque é um lugar, aqui, nesse saco de carne.

…Silêncio…

Então, esgotaram as perguntas, os depoimentos, as declarações? Já estão saciados?


Sim. Não há mais perguntas nem testemunhos. Toda a nossa gratidão.

Então, se ainda houver tempo....ainda tenho tempo?


Sim.

Bem, então, iremos fazer a mesma coisa através do silêncio. Vocês apenas têm uma coisa a fazer: é estarem aí, no Coração, sem nenhum pensamento, sem nenhum desejo, sem nenhuma vontade. Apenas acolham.

...Silêncio...

Bem, Bidi agradece o vosso acolhimento, o vosso Amor, a vossa Presença, o facto de terem aceitado ficar a nu, na Alegria.

...Silêncio ...

Bem, Bidi vai saudá-los e agradecer também. E digo o que irão dizer, vocês, e que eu disse da outra vez.

( em coro ) : Um por todos e todos por Um.

Vocês têm boa memória. Então vamos. Eu vos deixo.

Obrigada. Até sempre.

Até sempre. Mas noutros lugares.



***

Tradução do Francês: Maria Beatriz Pires 



PDF (Link para download) : bidi - PARTE 7 - QR - Outubro 2017

3 comentários:

  1. Vocês têm de tal forma o hábito de depender de alguma coisa, que não depender de nada vos parece sem sentido, mas ireis habituar-vos, não se preocupem.
    .........
    Aí está o “ deixar a vida se viver ”. Isso não é ser um legume, é ser consciente do que se vive, para além das palavras, dos pensamentos, para além da cena de teatro.
    .........
    Vocês apenas têm uma coisa a fazer: é estarem aí, no Coração, sem nenhum pensamento, sem nenhum desejo, sem nenhuma vontade. Apenas acolham.

    ResponderExcluir
  2. Vão para o essencial, não ponham aí camadas intermediárias. O Coração está a nu.
    Grato Maria Beatriz
    de coração a coração

    ResponderExcluir
  3. Gratissima Maria Beatriz.
    SILÊNCIO.
    Até sempre, mas noutros lugares.

    OHGLORIA, OHGLORIA, OHGLORIA!!

    Em Luz, Sara.

    ResponderExcluir