ERIANE - Novembro 2017


ERIANE - 14 de Novembro de 2017
Mensagem de 14 de novembro de 2017 (publicada em 26 de novembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio



Eu sou Eriane, Rainha dos Elfos da aldeia de Eridan.


Saúdo, através de vocês, toda a comunidade humana.

Se quiserem, antes de mais nada, no momento em que me escutam, ou no momento em que me lêem, proponho que façamos silêncio. Que comunguemos nesse silêncio, antes de começar a dar algumas indicações.

… Silêncio…

Foi-me pedido pelo Alto Concelho dos Elfos que não está sediado sobre a Terra, mas que está em relação mais íntima connosco através do que vocês chamam as Estrelas, para vir, não para contar histórias, mas simplesmente para vos mostrar algumas analogias através da nossa experiência, como Elfos, aqui nesta Terra, do que se irá passar convosco quando desse retorno à Eternidade, que muitos entre vocês, tal como consigo ver daqui, estão já preparados para viver.

Nós, Elfos, tal como vocês sabem e como tive ocasião de vos dizer noutras ocasiões, não estamos submetidos aos vectores de confinamento como vocês.

Estamos em ilhas, protegidas de algum modo, por toda a parte sobre a Terra, onde o aprisionamento deste sistema solar não pôde congelar, como foi no vosso caso, o que vocês são, na Verdade. Então, pediram-me para vir falar, através das analogias com o que vivemos, nós, Elfos, na nossa vida quotidiana, acerca desse processo misterioso que está muito próximo, e que, visto do que se passa ao nível das nossas aldeias, constatamos também a proximidade de certos eventos, que visam fazer reencontrar ao nível do conjunto da Terra a sua quinta dimensão, aí onde nós evoluímos, de momento, apenas em certos lugares.

Em primeiro lugar, lembro que o elemento dominante da nossa constituição de quinta dimensão etérica, está ligado essencialmente ao Ar. Do mesmo modo que vocês sabem que os Gnomos estão ligados predominantemente, na sua constituição e manifestação, ao elemento Terra. Tal como as Ondinas estão afiliadas com a Água e que os Dragões, mesmo se eles são da terra, estão  ligados e afiliados, em ressonância com o Fogo.

Como acabei de dizer, nós, Povos da Natureza, ao contrário do que aconteceu convosco, não fomos confinados, muito simplesmente porque, desde sempre, estamos nessa dimensão que vos é prometida quando da Ascensão da Terra.

Como sabem, apenas a vossa estrutura na aparência desse corpo que habitam está submetida a esse confinamento.

A matéria etérica, que é a nossa, de nenhum modo pôde ser afectada pelas forças electromagnéticas que vos isolaram do resto da creação.

Contudo, podemos perceber, claramente - e mesmo ao redor das nossas aldeias, através dos Elfos viajantes que nos contam um pouco do que se passa - vemos muito bem que agora a Terra está prestes a se afastar da sua dimensão cristalizada para se reencontrar numa dimensão mais etérica.  Isso também vocês já sabem.

O que me pediram para explicar, não é a forma como vivemos, sobre isso já falámos antes, mas  sobre os mecanismos íntimos dos nossos veículos e da nossa consciência, que fazem com que não estejamos confinados, e assim nós somos livres.

Isso quer dizer que, como Eriane, não estou separada de nenhum Elfo. Como Eriane, não estou separada de nada. Tudo o que vocês puderam viver como experiência, durante estes numerosos anos, de qualquer natureza que seja, permitiu que se aproximassem do momento onde, imperativamente, a Inteligência da Luz vos fará abandonar esse apego ao corpo, onde ainda estão vinculados, e acrescento, mesmo quando vocês estão já liberados.  Porque o hábito de funcionar na vossa densidade, acompanha-se sempre - sobretudo para vocês humanos - de um sentimento incompleto, é certo, mas de tal densidade, que apesar da presença da consciência e do Absoluto em cada um de nós, não tanto como experiência mas como estado permanente através da forma élfica, esteve sempre presente.

Creio que foi explicada durante os últimos anos a dinâmica da vossa alma que é suposto ser a intermediária entre a vossa forma neste mundo e o Espírito que anima cada consciência e cada vida, em qualquer dimensão que seja. É certo que, quer seja ao redor das nossas aldeias, quer seja perto dos Gnomos e dos Dragões, ou das Ondinas, ou mesmo dos Povos Intergalácticos, foi facilitado, de diferentes formas, a vossa aproximação dessa Eternidade, e  de ver já, em vocês, os seus efeitos através do que chamam as Estrelas, as Portas e esse Novo Corpo que vos foi restituído.

Até agora - e tal como vos tem sido pedido insistentemente, nestes últimos tempos, através dos intervenientes que vêm ter convosco - foi pedido para continuarem tanto quanto possível a vossa vida comum, segundo o que permite a Inteligência da Luz. O que quero dizer com isto é que, brevemente, a Inteligência da Luz não mais irá intervir do mesmo modo, não mais irá desencadear Injunções da Luz mas tomará todo o lugar. E, do vosso ponto de vista, dentro dessa densidade, mesmo se a vossa consciência já foi liberada, para o vosso corpo físico, a injunção final da Luz - à qual creio que chamam estase e que restituirá a totalidade do vosso Espírito pela Ressurreição - começa desde já a manifestar-se.

Devido mesmo à vossa estrutura de carbono - e tal como já foi explicado  -  o regresso à Eternidade, ou à Luz, ou à Verdade, não pode acontecer assim de uma só vez. Isso requer uma preparação, uma transformação lenta, permitindo ao Fogo Ígneo, quando chegar o momento, de não desencadear, não apenas algumas reações desagradáveis, mas um elemento a que vocês chamam, creio, medo. Quer dizer retração da alma, quando ela existe. Pois quando há retração da alma há apreensão, em todos os sentidos do termo. Essa alma se voltando para a matéria faz com que o corpo se retraia mais, e poderá mesmo, nalgumas condições, procurar afastar-se da matéria, não para morrer ou abandonar esse corpo, mas para procurar soluções de substituição onde o medo não esteja presente e onde a retração não bloqueie a vida. E vocês sabem que isto corresponde aos objectivos das forças opostas à Luz, que, felizmente, não poderão realizar-se. É por isso que o processo de liberação do confinamento, toma um certo tempo e deverá esperar que certas circunstâncias específicas ao nível de diferentes radiações, acessíveis para vocês, sejam síncronas, tal como foi o caso há alguns anos atrás com o que foi chamado, como me disseram, as Núpcias Celestes. Pelo que percebemos nas nossas aldeias e também pelo que nos dizem os nossos Elfos mensageiros, estamos bastante confiantes que o conjunto dos marcadores da vossa Liberação e da Ascenção da Terra, estejam agora todos presentes em simultâneo.

Então, volto agora ao que preciso explicar acerca da nossa experiência, do que vivemos. 

Em primeiro lugar, não conhecemos a morte, mesmo conhecendo o nascimento. Mas mesmo o nascimento é o retorno de um corpo desgastado que partiu. É por isso que, mesmo um nascimento, para nós não é acompanhado por aquilo a que vocês chamam um aumento demográfico. O nosso número é imutável desde o início dos tempos nesta Terra. Mesmo se, é claro, temos a possibilidade, através das linhas élficas, de nos reunir em diferentes lugares deste planeta, ou em qualquer outro lugar que nos agrade, e isso por motivos que são devidos, justamente, à nossa liberdade de forma.

Como sabem, somos Elfos com características especiais de constituição. Geralmente, vivemos na proximidade das florestas. Mas em outras regiões, podemos viver também em locais onde não há árvores. E aí, ficamos perto de vulcões, perto de rochedos, de fontes termais, como é o caso de um país a que vocês chamam, creio, Islândia, onde a nossa presença é, naturalmente, perfeitamente reconhecida e integrada. Somos duas comunidades, humana e  élfica, evoluindo de forma pacífica e inteligente.

Vocês têm tido, muitos de vocês, a possibilidade de estabelecer contacto com as nossas aldeias, à sua beira, de vir perto de nós e beneficiar para além mesmo da nossa proximidade e do contacto com as nossas consciências, da atmosfera de quinta dimensão que prevalece ao seu redor, e em particular ao nível das árvores mestras.

Puderam constatar que, para além mesmo da percepção que têm das nossas presenças, ou das nossas cerimónias, reina antes de mais, nesses lugares, um sentimento de Paz a nada parecido, e também, numa palavra que me foi dada a conhecer há pouco tempo, a Vacuidade.

Com efeito, mesmo nós, Elfos, sendo desde sempre liberados, nos momentos em que fazemos cerimónias, nos momentos em que repousamos, a reconexão ao Espírito é feita a cada instante, mas preferencialmente nesses momentos. Porque é nesse estado, nesses momentos, que esquecemos que somos Elfos, e lembramos que somos, antes do mais, tal como vocês, puro Espírito. E como podem ver, o facto de viver o puro Espírito, não nos impede de habitar uma forma, que é a nossa, tal como  vocês a conhecem neste mundo.

A nossa constituição elementar, ao nível da nossa dimensão, como sabem, não corresponde exactamente ao que chamam os elementos aqui presentes sobre a Terra, mesmo se são semelhantes. O que nos constitui não é feito de carbono, como acontece convosco, mas corresponde à sílica, e sobretudo à Luz. De facto, a sílica tem o efeito de não ser tão densa como o carbono no seu agenciamento dentro de uma determinada forma. A sílica de que falo, é claro que não é igual à que vocês conhecem sobre a Terra, pois está, como direi, revestida de partículas adamantinas e logo, a ressonância desta sílica não é, absolutamente, a mesma da do carbono, por exemplo. Passa-se o mesmo nas outras dimensões.

O facto de ser revivificado em permanência pelo Espírito e de forma talvez mais directa no momento das nossas cerimónias, das nossas orações, ou mesmo através do que vocês chamam, creio, relações sexuais, permite-nos comungar, em muitas circunstâncias, com a nossa Eternidade, e jamais esquecer que, mesmo jogando o jogo da consciência dentro da nossa forma élfica, nós somos, antes de tudo, o mesmo Espírito. Esse conhecimento não é algo como uma memória, uma recordação ou uma informação. É um contacto real que nos revivifica a cada instante e que não nos permite esquecer que o outro somos nós, em cada um de nós mas também em todos os outros Povos da Natureza, bem como nos humanos. Isso faz toda a diferença.

Vocês sabem que o confinamento, vivido pela Terra desde há tempos imemoriais, se traduz, para vocês, por essa rarefação do Espírito, pelo facto mesmo dessa presença do corpo de carbono. Também sabem, talvez, que dentro dessa história particular, em tempos muito antigos, nós éramos muito próximos dos seres que vieram aqui a esta Terra para aqui experimentar este plano de densidade de forma livre, antes do confinamento, efectuado pelos Arcontes, como são chamados.

Assim, há mais de 300 000 anos, estávamos, de algum modo, em simbiose com os Nephilim, os gigantes, como lhes chamam. Éramos muito próximos pois eles podiam estar de forma privilegiada, ao nível das cimeiras, e sobretudo ao nível das cúpulas onde ficavam as copas das árvores e as rochas. Os Nephilim eram pedreiros que concretizavam os seus sonhos através de representações em pedra. Esta não era apenas uma forma estética de representação, mas também uma vontade de experimentação dos Nephilim, que, estando nessas esculturas em carbono, com a aproximação dos Arcontes, e para não ficarem presos a esta matriz que iria ser fechada, se viram forçados a retornar ao seu local de origem, a ser evacuados abandonando a sua forma. O que não vos foi revelado, é que foram encontrados desde há tempos muito antigos, muitos esqueletos desses Nephilim, idênticos aos dos humanos. Como podem imaginar, o  tamanho do corpo, qualquer que seja a dimensão, excepto para além do antropomorfismo, está sempre, a nível de determinado sistema solar, dependente da sua dimensão e também da composição das moléculas subtis que constituem esse sistema solar, ou o lugar de vida, qualquer que seja, a nível intra-terrestre.

O carbono - quando muitos intervenientes falam de dissolução ou de desaparecimento - o termo mais exato tal como nos apercebemos daqui, seria um processo de transmutação do carbono em sílica. Mas devido ao confinamento e à privação do Espírito, não é possível considerar uma solução de continuidade entre o vosso corpo de carbono e a vossa consciência que aí está inscrita, mesmo se estais liberados, e, de algum modo, encontrar a mesma morfologia através de uma estrutura que seria refinada e transformada em sílica. É por isso que o vosso corpo de Eternidade que está agora junto a vocês, porta agora o vosso corpo físico. Uma vez que a vossa consciência, como foi explicado, se transfere agora, em determinadas circunstâncias, do vosso corpo físico para o vosso corpo de Eternidade, dando um certo número de sinais, de sintomas e de manifestações, que creio que já vos foram descritas, pelo que me disseram.

Agora, volto a falar de nós, Elfos, porque o processo será inteiramente sobreponível a vocês. A única diferença será a duração. 

Nós, quando realizamos cerimónias, quando descansamos… - e quando digo descansar não me refiro propriamente a dormir pois nunca precisamos de dormir; quando descansamos o Espírito está lá e a nossa consciência está sempre desperta, mesmo se o nosso corpo repousa, o que, como me parece, é dificilmente o vosso caso. - então, é nesses momentos quando repousamos, que a revitalização da nossa forma se faz através do Espírito.

É certo que os processos que foram desencadeados pelas diferentes radiações que têm recebido e o estabelecimento do reino da Luz, permitiram a aproximação, passo a passo, desse estado onde se encontram agora, muitos de vocês.

Quer dizer que portam ao mesmo tempo o vosso corpo físico, com uma consciência comum, mesmo liberada, que está obrigada a estar presente para vos permitir no mínimo mexer esse corpo; e ao mesmo tempo portam o vosso Corpo de Eternidade, qualquer que seja a percepção que dele possam ter, e que é, de algum modo, como uma dupla vestimenta, que recobre o vosso corpo físico. Todos vocês sabem que, através das experiências que tiveram, por exemplo perto de nós, ao redor das nossas aldeias, vocês podem sentir essa Paz, essa harmonia, esse sentimento de leveza , tal como quando estão, por exemplo, com os gnomos para serem tratados, ou ainda quando trocam olhares calorosos de Amor com os dragões. É o mesmo processo, através de formas e de elementos diferentes, muito simplesmente.

Então, a diferença é que vocês estão obrigados a silenciar a consciência comum e o corpo, para sentir o Espírito. Sentir e viver o Espírito vos foi também sugerido - segundo me parece e através do que me foi dito - de diferentes maneiras, quer seja através do Vibral, como dizem, ao nível dos pés ou ainda através da comunicação estabelecida entre o vosso plano e os outros planos, ou ainda entre a vossa consciência comum e a vossa consciência religada ao Espírito, se assim posso dizer. Mas o Espírito não é uma consciência! É o Sopro. E a vossa consciência é alimentada por esse Sopro e vivificada em permanência pela Verdade do Espírito.

Então há agora - diria de um modo geral - uma espécie de aclimatação com a Luz, mesmo do vosso corpo físico. Todavia, vocês mesmos podem constatar, e numerosos intervenientes tal como nós, que nos comprometemos a vos manter o mais possível na vossa vida comum, para que não possam , de algum modo, escapar por algures, antes do momento chegado. Mesmo se em determinados momentos vos foi permitido viver alguns processos de consciência, onde não estavam ligados ou vinculados a esse corpo de manifestação de carbono.

As coisas vão apresentar-se de forma diferente, e creio que isso já foi dito em parte, e é aí que os meus grãos de sal de Elfo vos poderão ser úteis.

Lembrem-se dessa diferença. Vocês devem passar, para reencontrar em totalidade o Espírito, mesmo que sejam Liberados Vivos, pelo que foi chamado a estase ou pelo que foi chamado a Crucificação e a Ressurreição. Vocês sabem, pelo que vos foi dito, mas ainda não o puderam viver, excepto alguns de vocês, como experiência, diria, extrema para o vosso corpo carbonado, e que vocês chamam: “ desaparecimento”.  Esses processos que ocorreram durante os últimos anos anteriores a este, permitiram constatar que mesmo desaparecendo, o vosso corpo não corre nenhum risco, e que continuam aí. Vocês sabem que esse corpo de carbono, tal como a consciência comum, é freado por certo número de elementos que constituem  a própria matéria mas também a estrutura que reflecte a vossa conciência, quer dizer o vosso cérebro. Não me detenho aí, porque não é do meu domínio, mas foi-me pedido para re-situar esse momento em relação com o que ainda não comecei a dizer. E, se me permitem alongar-me um pouco neste preâmbulo, é para encontrar correlação com o que vai chegar até vocês, e que está em processo de andamento, de diferentes maneiras e com diferentes sinais.

Em nós Elfos, esse contacto com o Espírito é permanente. Mas é certo que, em determinados momentos privilegiados, a reconexão que nós vivemos através da nossa Fonte de Cristal, permite jamais esquecer ou ignorar o Sopro do Espírito, que nos une absolutamente todos, em qualquer forma ou dimensão onde estejamos. O que, para vocês,  é ainda difícil , apesar dos vossos contactos, pois quem de entre vocês se recorda da Fonte? Quem de entre vocês pode ir livremente ver Metatron? Para nós, isso não oferece nenhum problema pois nós sabemos que vivemos o mesmo sopro, o mesmo Espírito, a mesma unidade, e então, essa reconexão faz-se a cada momento. Mas nós nos preenchemos do Espírito quando das nossas cerimónias, quando dos nossos contactos com as árvores e do nosso trabalho com árvores e também quando vocês vêm visitar-nos. Mas especialmente nos momentos de repouso que podemos efectuar não importa quando.

Nós não estamos, como vocês, sujeitos aos ciclos que conheceis: dias e noites. Os nossos momentos de repouso podiam corresponder aos vossos momentos de alinhamento, mas os nossos momentos de alinhamento são bem mais intensos que os vossos desaparecimentos ou que as vossas visões. Porque nesse momento nós revivificamos a totalidade do nosso veículo, etérico, se podemos dizer, de quinta dimensão. O que explica que não precisemos nem de morrer, mas por vezes podemos decidir simplesmente voltar dentro de um corpo de criança, mas jamais esquecendo o que sempre fomos. É por isso que não temos problemas de educação com as nossas crianças, ao contrário do que acontece entre vocês. As nossas crianças nascem sábias, este nascimento, contrariamente ao que acontece convosco, não é acompanhado de uma ruptura.

Volto então, finalmente, ao que queria dizer acerca do processo de revitalização, e que, para vocês foi nomeado os três dias de estase, esses três dias em que vocês devem desaparecer completamente do vosso corpo físico para que a Luz tome todo o lugar, seja qual for a vossa consciência. Quer tenham decidido abandonar o corpo e partir para uma outra dimensão, quer recusem viver esse processo que o vosso corpo irá viver, isso nada mudará. O importante, a esse nível, é evidentemente que o vosso corpo e a consciência comum, aos quais estão ainda vinculados, mesmo se estão liberados, permitam de alguma maneira, à Supraconsciência e ao Corpo de Eternidade, enquanto veículos primordiais, revivificar esse corpo e essa consciência, se mantiverem o corpo e a vossa consciência reencontrada, se assim posso dizer.

A duração não será ao acaso. O que nós fazemos durante um tempo de repouso que se pode qualificar de extremamente breve, para vocês necessitará a duração de 72 horas. 72 horas durante as quais uma alquimia acontece, que será própria para cada um mas que levará, sistematicamente, ao retorno e à recordação do que vocês são, quer o aceitem ou não. Como podem imaginar, alguns corpos físicos não poderão absorver e integrar essa carga de Luz, se aí existem resistências importantes. E creio que tiveram ocasião de verificar que tal foi o caso em alguns dos que vieram da última vez perto das nossas aldeias, quando houve um clarão especial de Luz emitido pela árvore mestra.

Isso corresponde ao que se passa , de um modo geral, em toda a matéria carbonada e dissociada, como dizeis, que recebe a Luz. 

Porque, efectivamente, podereis questionar-vos porque é que a Terra, de 3D dissociada, não passa simplesmente para uma 3D unificada mantendo a sua estrutura e os seus veículos de carbono. E isso não é possível! Qualquer que seja a vossa abertura, e qualquer que seja o vosso estado de Liberados Vivos. 

Porque essa matéria foi profundamente impactada, mesmo ao nível da estrutura do manto da Terra de onde vem o vosso corpo; que, como vos lembro - apesar de tudo, mesmo se vocês não pertencem a este mundo, contrariamente a nós - não pode suportar tamanha ….como hei-de dizer?…acho que podemos dizer diferença de potenciais, pois é também um fenómeno elétrico.

Vocês sabem e talvez tenham tido conhecimento através de livros sagrados, e especialmente aquele que fala de Cristo que, após a sua Ressurreição não podia ser tocado. E dizia mesmo, antes da sua ressurreição, tendo perguntado quem o tinha tocado. Porque o Corpo Ígneo, o Corpo de Existência (Estado de Ser) ou de Eternidade, na sua forma original, é aquele que ireis encontrar sobre esta Terra antes de reencontrar a vossa configuração de origem, se posso dizer. Por exemplo, mesmo se ainda não sabem, digo agora, se forem originários de Altair, a vossa forma original não tem nada a ver com a forma humana, é uma forma de águia. E assim por diante. Se a vossa forma primitiva de origem é a de um golfinho, não duvideis de que a vossa forma humana não tem nada a ver com um golfinho tal como agora conhecem, quando reencontrarem o Espírito e a vossa forma original.

E no entanto, todos sabem que nesta Terra, não correm o risco de encontrar, depois da estase, esses seres especiais das outras dimensões, quer mantenham um corpo físico ou não e, sobretudo se mantiverem ainda um corpo físico. O vosso corpo de Existência não poderá tomar a configuração ligada às vossas linhagens e à vossa origem estelar. A finalidade é de despertar o Éter da Eternidade em vocês. E vocês sabem que este ponto do Éter da Eternidade, corresponde ao Ponto ER da vossa cabeça e também, ao nível do que chamam, se me lembro, os Novos Corpos, corresponde ao nono Corpo, algures a nível do vosso peito, e também se chama ER, segundo me disseram, acho que aprendi bem no meu curso.

É, com efeito, por estes dois Pontos que reencontram e que se efusiona o Espírito. 

É certo que houve diferentes impulsões que permitiram, ao longo dos últimos anos, desenvolver estas estruturas vibrais. Não venho aí dar nenhuma achega, até porque não sei grande coisa acerca de todos esses processos.

O que quero dizer com isto é que esse corpo carbonado proveniente da matéria desta Terra, vem, decerto, e viveu o mesmo aprisionamento que vocês, excepto nos locais onde estão as nossas aldeias, e vocês são constituídos da mesma matéria. Essa matéria tem uma característica particular. Não vou aí entrar em pormenores - porque não domino essa área -  a nível do corpo físico. Mas se olharmos o carbono e o silício, podemos ver que na composição dos seus átomos, há muito poucas diferenças. As diferenças são aliás electrónicas e não concernem o núcleo, pelo menos à partida. Porque desde o momento em que o núcleo tem o mesmo número de protões que de electrões, nesse momento, essa sílica não se pode encontrar sobre a Terra. Isso acontece na Liberação final.

Não quero afastar-me do que tenho para dizer, mas já é do vosso conhecimento que, no momento do planeta grelha final, tudo desaparecerá. Aliás, já vos foi dito que, após o final, este planeta irá tornar-se um deserto e que na quinta Dimensão tudo será diferente de antes, mas tudo será muito belo e,  sobretudo, tudo será livre, mesmo o manto da Terra, na sua nova dimensão e devo lembrar que ao nível do núcleo da Terra, e mesmo na crosta terrestre, há muita sílica, bem mais do que carbono.

O processo de Liberação final, e não me refiro à estase, irá traduzir-se do mesmo modo do que ireis experimentar durante a estase. 

Quero dizer que haverá, num primeiro tempo, não uma perda da consciência comum, mas uma clarificação total dessa mesma consciência, face a face com a Luz da Eternidade. Isso irá traduzir-se por diversos mecanismos, segundo cada um e segundo a capacidade que desenvolveu, ou não, para liberar o seu Coração, quer tenham ou não passado pelas vibrações, quer tenha sido de forma natural e espontânea. Mas em muitos casos haverá decerto algumas resistências relacionadas simplesmente com o apego à vossa estrutura que, por si mesma, hoje vos vincula e liga a vossa consciência.

É por isso que, como já disse, há uma espécie de sobreposição entre o vosso Corpo de Eternidade e o vosso corpo físico, a partir de agora, e para alguns de vocês, mesmo depois da Ressurreição. O que se irá passar durante essa Ressurreição, é o retorno da vossa memória de Eternidade. Mesmo se o vosso corpo físico se mantiver e que ainda haja memórias desta vida e deste mundo, a fim de ser possível realizar o que ainda tiverem para viver e para jogar, durante, creio, cerca de 132 dias, segundo me disseram.

O processo de desaparecimento, real e concreto -  não aí onde não haverá mais consciência - mas devido à instalação, e penso que já entenderam que o Juramento e da Promessa não diz respeito ao Parabrahman, mas concerne exclusivamente ao facto de compreender e viver que não são nenhuma forma e que vêm da Luz e que são a Luz antes mesmo de ter havido qualquer manifestação dentro de qualquer forma. A forma inicial, como sabem, é a da vossa origem estelar.

Nós nos alegramos, pois podemos ver que, entre vocês há alguns que têm linhagens élficas. Infelizmente, não ireis reencontrar o vosso corpo original élfico, mas o vosso Corpo de Eternidade, naturalmente, portará essa recordação da vossa origem, do vosso primeiro nascimento dentro de uma forma. E nós nos regozijaremos de convidar, se assim posso dizer, a vossa nova consciência e o vosso veículo de Eternidade para ficarem connosco, sobretudo os de entre vocês que têm essa linhagem élfica, pois não terão necessidade de ir, por exemplo aos Círculos de Fogo, para receber o que quer que seja, nem mesmo será preciso abandonar os seus corpos físicos para permanecer connosco durante esses 132 dias. Aliás, temos já tudo preparado para a vossa chegada, que sabemos ser iminente.

Assim, durante a estase irão encontrar-se perante, não digo a morte, num primeiro tempo, mas o que se produzirá será efetivamente uma morte e uma Ressurreição. Primeiro, já sabem que haverá ruídos, o som das Trombetas do Céu e da Terra. Terá já tido lugar o Apelo de Maria, três dias antes, que terá feito ressoar em vocês a recordação da vossa filiação como seus filhos nesta Terra mas não desta Terra. Quer dizer que a vossa Consciência comum está relacionada, claro, com a matéria de constituição do vosso corpo. Mesmo se essa constituição ficou, é certo, privada do vosso Espírito, restou no vosso DNA uma codificação particular que fez com que Maria tenha repetido desde sempre que vocês são todos, sem excepção, os seus Filhos. O que corresponde exactamente a isso.

Claro que os vossos cientistas poderiam entreter-se a procurar esses elementos na vossa estrutura genética, a que vocês chamam, creio, DNA, os códigos que estão ligados a Maria; mas esse conhecimento, hoje, seria estéril, mesmo se alguns de entre vocês tenham acesso a esse conhecimento ou o portem como memória, em particular os que têm linhagens arcturianas, vegalianas, pleiadianas ou ainda andromedianas, que são povos que vivem em  3D unificada.

Em 3D unificada a persistência da consciência é possível porque as camadas electrónicas dos átomos de sílica são um pouco diferentes das camadas do que eles se tornaram nesta Terra; não para nós, Povos da Natureza, é claro, mas para vocês que receberam os elementos químicos através da vossa mãe e não da mesma maneira que acontece nas nossas aldeias. Duvido muito que possam ter nascido nas nossas aldeias, ou na proximidade das nossas aldeias.

O que quer dizer que as experiências que irão viver, com intensidade, agora, e que creio que vos foram descritas por um arcanjo que não recordo, mas também pelo próprio Metatron, vão levar-vos a viver o desaparecimento do vosso corpo e o vosso nascimento no seio da Luz, aí onde não há nem forma, nem conceito, nem ideia, e uma consciência que não pode ser localizada. Ora, a perda de localização da consciência, não tanto enquanto experiência de deslocalização, ou de Comunhão, mas a perda da Consciência comum, não através de um sono, mas com a aparição da Luz Branca, e a Consciência comum irá experimentar isso, não tem nada a ver com o que se passa durante um sono reparador, mas é antes, como vos foi dito, a actualização total do Juramento e da Promessa.

O recordar da vossa filiação dentro do vosso DNA através do Apelo de Maria; o reviver da vossa Fonte, que vocês são na totalidade, antes mesmo do aparecimento na primeira forma; a lembrança da primeira forma, mesmo se de regresso não possam portar o corpo de origem que tinham na primeira manifestação da consciência; e, o mais importante, o desencravar, literalmente, do hábito de ter um corpo. Não se trata aqui dos hábitos de comportamento ou das extensas experiências que tiveram neste mundo, mas refiro-me aqui, simplesmente, ao hábito de estar numa forma, ao hábito de um corpo material, e sobretudo ao hábito de nascer e de morrer. Pois a partir desse momento, mesmo se devem morrer no vosso corpo físico, não voltarão a conhecer a morte, quer dizer, o esquecimento. Mesmo se mudarem de forma, tal como expliquei, como acontece aqui quando voltamos como crianças.  Já aconteceu, durante as minhas numerosas peregrinações, ter tido a experiência de ter tido um filho que tinha sido o meu avô. De forma humorística posso dizer que ter o seu avô como filho simplifica muito as coisas ao nível de educação, e nos coloca, também, não numa forma de regularidade e de hábito, mas numa liberdade total de jogo da Consciência, na forma que habitamos, mesmo sendo puro Espírito.

Vocês irão, então, reencontrar a totalidade do Espírito. E como devem já saber, para isso, a ressonância do Apelo de Maria deve acontecer, antes da interrupção da rotação da Terra, e antes que alguns eventos impressionantes aconteçam, e que não concernem senão a loucura humana, mas bem mais, as resistências ligadas à própria matéria, independentemente da Consciência.

Quanto mais não seja, através de monumentos que existem há muitos, muitos anos, têm milénios sobre esta Terra e são portadores, como já vos foi dito, de certas forças de predação. As linhas de predação, isso já foi explicado, foram substituídas tanto quanto foi possível pelas linhas élficas de liberação. Não vou voltar a explicar, pois já tive ocasião de falar sobre isso  há cerca de dois anos.

No processo da estase, o desaparecimento da forma, e não da consciência comum, é necessário e obrigatório. É esse acontecimento que poderá desencadear retração se a alma ainda persiste. Como sabem, a alma está voltada para a matéria, em consequência do confinamento. Nós estamos em 5D, não temos problemas ao nível da alma. Não a conhecemos, sequer. Apenas me disseram, simplesmente, que é um médium que vos dá uma coloração, como nós podemos ver na vossa aura, ou em certas partes da vossa aura.

Em suma, não importa, não quero falar daquilo que desconheço, mas simplesmente, tentem imaginar, não o vosso desaparecimento, mas o vosso retorno para onde estareis em beatitude. Tentem viver essa Luz Branca tal como podem experimentar, alguns de vocês, na Infinita Presença, e é a beatitude, porque não desaparecem. Mesmo se não o percebem, vocês estão bem, enquanto consciência comum inserida no corpo. 

A Supraconsciência será também desperta, o que explica a ressíntese do vosso Corpo de Eternidade. Tudo isso já foi vivido ou pelo menos é conhecido pelos que têm seguido um pouco os processos de Liberação da Terra.

O choque resulta daí, porque a vossa Consciência comum não pode existir sem o corpo, pois fica sem suporte, sem referência. E é isso, o desaparecimento da forma e a tomada de consciência de que não são essa forma na consciência comum, enquanto se estabelece a Supraconsciência, que poderá desencadear uma certa forma de resistência que não será devida, é claro, à Supraconsciência, mas ao hábito de estar dentro de uma forma. Esse hábito de estar dentro de uma forma, neste mundo, infelizmente é inviolável e os processos de estase, os processos de fusão e os numerosos processos vibrais vividos ao longo dos últimos anos, permitiram ao maior número possível de irmãos e irmãs a sua aclimatação a essa passagem.

A Consciência comum que vive a Luz Branca, não é o mesmo que a Consciência comum sobreposta à Supraconsciência que vive a Luz Branca. Vocês sabem bem que vocês despertos, vibrando, irradiando, de qualquer modo que seja, quando a Luz Branca chega, mesmo se a Luz Branca chega com intensidade, isso não mete medo, bem ao contrário. Mas não é o caso durante a estase, porque a consciência comum, aí não se vai afastar face à Supraconsciência. A Supraconsciência, aí, irá afastar-se para permitir a transmutação da alma e a transmutação da vossa matéria, qualquer que seja o vosso destino, se realizar sob a influência e sob o Sopro do Espírito. Haverá, portanto, durante o Apelo de Maria e a estase, um processo extremamente preciso, a nível fisiológico, energético, e da consciência.

O que vos digo não se destina a sobrecarregar a vossa mente, ou a dar um conhecimento para vos distrair. É sobre um processo que irão ter a oportunidade de viver até ao Apelo de Maria, pelo menos um número importante de vocês, tudo isso já foi explicado.

Antes da estase, o Apelo de Maria ressoará na vossa orelha esquerda. É do vosso conhecimento, que Maria está relacionada com o Triângulo da Água e também com o Ponto ER no topo da cabeça, enquanto Creadora. O Canal Mariano, essa estrutura que está situada no vosso lado esquerdo, que eu posso ver quando vocês me visitam, será também conectada e fusionada com esse Triângulo do AR. O Apelo de Maria, chegando então, vai destrancar o AR. Esse será o primeiro Elemento que será destrancado. O último Elemento de desbloqueio será a Terra, no processo final do planeta grelha, como lhe chamou o Comandante dos Anciãos. Acho que aprendi bem a minha lição.

Onde quero chegar é que o período que agora se abre, que já se abriu, dá-vos a possibilidade, não tanto em meditando ou em vos alinhando, ou em vibrando, mas mais estando na Natureza, simplesmente passeando. Mesmo se não há aí aldeias de Elfos, ou comunidades de Dragões, ou Ondinas por perto, ou Gnomos nas proximidades. Toda a Natureza está repleta de Luz, e já vos foi dito porquê. Ainda que a Luz esteja por todo lado, é muito mais limitada nas comunidades humanas chamadas cidades, aldeias ou comunidades. Com efeito, a Natureza  rodeia muitos de vocês, onde quer que habitem. A única possibilidade real de recurso para revitalização com o Espírito, é, portanto, no seio da Natureza e não apenas nas florestas, mas onde não há presença de pessoas aí vivendo, onde não há estruturas organizadas pela sociedade humana.

É nesses locais que poderão começar a viver - e também durante as vossas noites, segundo me disseram,  mas também com alguns intervenientes, e creio que será o caso durante as intervenções que virão depois de mim - onde poderão ter a possibilidade de se fundir com o Branco, mesmo portando a vossa alma e sem que ela se retraia, antes do Apelo de Maria. Muito simplesmente porque o Canal Mariano está presente e a junção de Canal Mariano com o Triângulo do AR não pode ser acompanhada de uma retração, mas apenas de um mecanismo de expansão, doravante.

A Consciência comum irá então aclimatar-se ao veículo de Eternidade, no máximo em três dias e três noites, em 72 horas. O que quero dizer com isso é que quando despertarem da estase, serão ainda portadores das memórias da Consciência comum, aligeiradas, é claro, pelo Corpo de Eternidade e pelo Apelo de Maria, e pela Ressurreição. Mas será preciso, é do vosso conhecimento, para aqueles que não deixarem esse plano durante o Apelo de Maria, ou durante os 132 dias, será preciso viver isso no momento final da Ascensão, no momento final da Liberação. Foi-me dito que tudo isso já foi explicado durante todos estes anos e principalmente no período das Núpcias Celestes, creio.

O processo da estase irá tornar visível tudo o que vos foi escondido, tanto no vosso interior como no vosso exterior. Para alguns de vocês que começam, por curiosidade, a permanecer no seu interior, no seu corpo físico, poderão ter a surpresa de constatar que por vezes há um certo bestiário com muitos animais coloridos.

Posso tranquilizar vocês ou não, mas em todo o caso não se trata de um sonho, mas da estrita Verdade. E essa clarificação vai permitir ver que, quer vocês vão para os Círculos de Fogo ou que permaneçam em estase, aí onde permanecem os desencarnados neste momento, ou que estejam na Natureza com o vosso Corpo de Eternidade e o vosso corpo físico, isso não mudará nada. Haverá sempre, para vocês, (essa clarificação) até ao momento final, excepto para aqueles que, por suas memórias, forem levados por certos povos de 3D unificada, que pertencem à Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, mas isso concernirá apenas algumas poucas pessoas.

Isso quer dizer que a quinta Dimensão, através, não mais dos vossos olhos físicos mas através dos olhos de Eternidade, que, venho lembrar, são um sistema de informação e não um sistema biológico, vai permitir-vos ver tudo o que vos tem sido ainda escondido até agora. Quer dizer que vereis então, não através de sensações ou de energias mas pela visão real e concreta, tudo o que ainda resta em vocês, tudo o que ainda resta em cada um, de oposição à Luz, apesar da reconexão com o Amor e da vivência do Amor. É assim que se realizará, se posso dizer, a solução final e o evento final desta Terra.

Então, irão viver experiências, ou já vivem - onde não há desaparecimento, na Supraconsciência, - onde há a memória e a clarificação da vossa Consciência por esse Branco. Esse branco é também ligado à Unidade, ao Arcanjo Uriel, a uma das Estrelas da qual não recordo o nome, e também ao que chamam, não Arcanjo mas Lorde Metatron.

Esse Branco é fundamental, pois é Ele, e não a vossa Supraconsciência, que põe fim ao hábito de um corpo. Então, a partir desse momento, irão aperceber-se, em certas experiências, - se tiverem essa oportunidade antes da estase - daquilo que temos dito, não eu mas outros intervenientes, acerca da impossibilidade de manter a vossa vida efémero nos seus diferentes sectores. E creio que intervirá, depois de mim, uma Estrela da qual não recordo o nome, para falar acerca do funcionamento humano e revelará de algum modo esse processo natural que vai, pela Inteligência da Luz, implicar um desvio total dos polos de interesse, dos polos de obrigações actuais, nesse mundo. Muitos de vocês já vivem isso. E podem simplesmente constatar isso mesmo através de um desinteresse, mas também, como vocês dizem, por vezes há um sentimento de não mais suportar esse corpo, essa vida, mesmo estando repletos de Amor. É exatamente esse processo que ocorre, mesmo sem ver a Luz Branca.

A partir do momento em que a atração à matéria - não me refiro à dissolução da alma -, mas desde que essa atração à matéria deixe de existir ao nível da alma, embora persista, é claro, tal como disse, ao nível desse corpo físico : a Liberdade aparece! Nesse momento há realmente uma transubstanciação, se o vosso corpo físico se mantém sobre a Terra, permitindo a dissolução de tudo o que era em carbono, passando então ao vosso Corpo de Eternidade pela Inteligência da Luz. Não apenas nas partículas adamantinas, mas pela transmutação direta de certos componentes do vosso corpo físico que são em carbono, e, claro, em particular ao nível de muitas moléculas do vosso corpo que deixarão de ter utilidade após a estase - em particular o que está ligado ao funcionamento do sistema digestivo. Não esperem que haja banquetes connosco, ou nos Círculos de Fogo, ou mesmo se permanecerem em plena natureza durante os 130 e mais alguns dias que terão a passar.

Algumas necessidades fisiológicas começaram já a modificar-se profundamente, em muitos de vocês. E chamo também a vossa atenção para a possibilidade de haver ainda apetite, uma vez que falo do sistema digestivo. Até pode acontecer que, por vezes, esse apetite tome proporções alarmantes. Isso traduz simplesmente o vosso apego habitual à matéria e vos impede de aproveitar a Liberdade, mesmo se estão vibrantes. Claro que não é caso para deixar de comer se o corpo pede comida, quer isso seja por gulodice, por hábito ou por necessidade fisiológica.

Tudo isso será profundamente diferente, se permanecerem na Terra ao despertar da estase, depois das 72 horas, porque o vosso corpo de carbono, mesmo estando presente, não terá o mesmo funcionamento. Não haverá necessidade, nem de dormir, nem de se sustentar, nem de se alimentar, nem de qualquer prazer ou obrigação, uma vez que o corpo é dublado, vos recordo, pelo Corpo de Eternidade. Então, um conjunto de funções que hoje são ainda absolutamente normais, na vossa vida, deixará de existir, muito simplesmente, nesse corpo, se o conservarem depois. Podem ver, assim, que não há nada a preparar em relação à estase, mesmo se ainda ignoram o vosso futuro. Especialmente alimentos, ou roupas ou o que quer que seja, pensando assim prevenir alguma necessidade do vosso corpo. Porque esse corpo carbonado, - mesmo se continuar presente com a mesma fisionomia, - será profundamente diferente ao nível da sua fisiologia. O que quero dizer com isto - e uma vez que tenho estado a falar de alimentos - é que, no caso de agora ter a impressão de ter um apetite muito maior, no caso de agora constatar que a avidez pelo vida efémera é ainda maior, é que o vosso hábito de um corpo é mais forte que a dissolução da vossa alma. Não sintam aí alguma culpabilidade mas simplesmente estejam lúcidos acerca do que em vocês acontece.

O afluxo de Luz - e talvez o possam ter constatado aqui mesmo, alguns de vocês que se aproximaram das nossas aldeias ou mesmo perto de certos intervenientes dos Povos da Natureza ou dos chamados Anciãos ou Estrelas ou outros - esse afluxo alivia e dá Alegria. E paradoxalmente, existem reflexos que ocorrem nesses momentos, em que o corpo convida a comer, supostamente para os fazer voltar ao chão. Não se enganem, é apenas o hábito do vosso corpo que faz isso, e com isso vos impede de aceder à totalidade dos vossos potenciais e desencadeia resistências, que não correspondem a anomalias de funcionamento da vossa consciência mas bem mais a uma anomalia do vosso corpo.

Tudo o que conhecem hoje em relação ao vosso mecanismo de funcionamento, não terá nada a ver com o que é agora  - e não apenas no que concerne aos alimentos - quer permanecerem num corpo físico, quer o corpo desapareça e permaneçam na atmosfera da Terra.

Assim, as experiências que são agora propostas e vos cairão em cima, como é bom de ver, são para vos levar, radicalmente, a perder os hábitos comportamentais da matéria. E isso diz respeito, penso que já compreenderam, não apenas ao que entra no vosso corpo ou ao que dele sai, mas também aos ritmos mais importantes com respeito a tudo o que é ligado aos hábitos do corpo ou às necessidade habituais do corpo, quaisquer que sejam, sem excepção. Muitos de vocês, aliás, já vivem isso mesmo. Entre alguns Liberados Vivos, efectivamente, há uma força de vida eterna omnipresente, o que explica a sua leveza, mas não há mais qualquer necessidade com respeito a esse corpo.  E isso em relação aos alimentos, às bebidas ou a tudo o mais que concerne a manutenção da vida dentro de um corpo de carbono.

A diferença ocorrerá - tal como disse - pela constatação de que, à medida das vossas experiências onde a consciência comum fica imersa na Supraconciência e também no Branco, aí, não será apenas uma questão de processo vibratório ou de expansão da Consciência, mas de transmutação total da vossa fisiologia, da vossa aparência, do vosso corpo; e isso num tempo extremamente curto. Talvez possam ter constatado essas mudanças nalguns irmãos e irmãs, desde há cerca de 18 meses para cá, traduzindo-se por coisas inabituais. A fisiologia será profundamente transformada.

Proponho então, que permitam às injunções da Luz  proporcionar essas experiências, mesmo se, doravante, elas podem, nalguns casos, impedir concretamente de levar a cabo as vossas actividades habituais. Não são vocês que decidem mas a Inteligência da Luz. Num determinado estádio de imersão no Branco, quando a vossa forma e a vossa consciência comum saem da forma e permanecem no Branco, poderão verificar mudanças importantes. Não é apenas um processo de cura como acontece quando estão perto dos Gnomos. Não é apenas um processo de Fogo de Amor como acontece quando estão perto dos Dragões. Não é apenas um processo de viver a Paz ao redor das nossas aldeias, mas antes de constatar de forma simultânea, que quanto mais emergem no Branco, menos conseguem interagir nesse mundo. Não se trata de mecanismos de pré-estase, quer dizer, de desaparecimento da Consciência e de retorno no seio da Consciência. É, antes do mais, a persistência da Consciência comum residual mas transmutada assim como o corpo é transmutado. Não se espantem, então, com um certo número de mecanismos possam ocorrer.  O desaparecimento do sono, por completo. O desaparecimento completo da possibilidade de levar a cabo algumas actividades, que não corresponde a um cansaço da actividade em si, mas a um cansaço do hábito.

Essas mudanças podem ocorrer também entre os casais. Podem ocorrer também nalguns relacionamentos. Se isso acontece, não procurem outras causas. É apenas a imersão no Branco e aliás poderão verificar. E quando estiverem imersos no Branco, - como disse - mesmo se for apenas alguns instantes em certas ocasiões, poderão ver que o corpo, muito simplesmente, deixará de responder. Isso será precedido pela impressão de oscilar e não de vertigens como acontecia até agora. Quando sentirem essa oscilação do vosso corpo físico, dou um conselho, vão logo deitar-se. É o melhor. Pois aí, não haverá apenas desaparecimento mas haverá… ficarão no Branco! E tudo o que estiver no ecrã da vossa mente, a vossa história, a actividade que iam realizar, tudo isso simplesmente desaparecerá de vocês.

Portanto, não negligenciem as injunções da Luz, e, aliás de qualquer maneira não será possível negligenciá-las.  Mas, mesmo se isso acontece, no decorrer da vossa vontade de meditar, de vos alinhar, escutando alguns intervenientes, centrando a atenção no vosso interior, se isso acontece, acompanhem preferencialmente o que acontece em vocês.  Não resistam! Qualquer que seja a urgência ou a obrigação no seio do efémero, do que estavam a fazer ou em vias de fazer, não hesitem porque, como foi dito, a Eternidade toma todo o espaço do efémero.

E muito em breve irão descobrir por vocês mesmos, se já não é o caso, que não poderão mais funcionar como antes. Quer queiram quer não! É aí que mostram se aceitam ou não! É aí que mostram se resistem ou não à Inteligência da Luz; não apenas como experiência ou como um estado vivido de forma efémera, mas sim como uma instalação da Eternidade, mesmo antes do Apelo de Maria.

Então, quaisquer que sejam os sintomas que se produzem no vosso corpo, mesmo se podem parecer, em alguns casos, inquietantes, não se alarmem! Quanto mais o Branco aumentar, mais irá intervir, ao nível do vosso corpo e da vossa Consciência.

Vocês nada poderão controlar, nada poderão dirigir. Quer dizer que haverá um abandono, real e concreto, de qualquer vontade pessoal. Não porque decidiram isso, mas porque as condições da vossa fisiologia, da vossa consciência, não o permitem de todo. Alguns não conseguirão mais escutar música. Alguns não conseguirão mais ficar a assistir às imagens nos ecrãs. Outros não vão conseguir trabalhar. Outros não vão conseguir deslocar-se. Não resistam, pois é exactamente o que vos falta para que o Apelo de Maria e a vossa Ressurreição ocorram nas melhores circunstâncias.

Lembro que a Ressurreição, mesmo se são Liberados Vivos, é totalmente desconhecida para vocês. Jamais a viveram. E a sua preparação está a decorrer agora. A isso foi chamado, creio, a Crucificação. E, ser crucificado, é realmente sofrer à medida que o Espírito se desenrola. E os sofrimentos são apenas devidos à resistência da própria matéria e a certos medos de desaparecimento. Aqueles de entre vocês que já viveram desaparecimentos, não têm nenhum problema com os mecanismos da consciência, mas convém também respeitar o vosso corpo naquilo que ele vos pede. Sobretudo nesses momentos em que a Luz Branca será vivida e no decorrer desses estados que serão cada vez mais extensos, se todavia vos é dado algum tempo antes da visibilidade de Nibiru ou do Apelo de Maria.

Assim, e mesmo antes da estase, se um certo número de eventos ocorrer na vossa vida, quer isso seja relacionado com a vossa intimidade, com a vossa região ou com o vosso país, não procurem prevenir-se do que quer que seja. Não procurem evitar o que quer que seja. Acima de tudo, obedeçam às injunções da Luz! Que não serão mais, como já disse, desaparecimentos, mas antes uma revitalização através do Espírito, tal como acontece connosco nos nossos momento de repouso e nas nossas cerimónias - dos quais falei atrás -. Já não se trata de uma Teofania Perpétua, mas verdadeiramente da instalação da Eternidade no mais íntimo do vosso corpo. É isso que desencadeia as modificações. Que desencadeou, até agora - tal como me disseram que já foi explicado - os mecanismos de resistência e de dores do seu corpo físico. Hoje poderão ver que, sem qualquer excepção, se o Branco aparece e se instala não poderão mais continuar como antes. E esses períodos serão cada vez maiores. Disseram-me, aliás, que intervirá a seguir uma Estrela que já falou sobre isso há alguns anos atrás, acerca do que se passou com ela. E isso acontecerá, exactamente da mesma maneira para vocês. Mas deixarei essa irmã Estrela, dizer o que tem a dizer em relação à sua experiência humana.

A mim, apenas foi pedido par fazer uma correlação com o que nós vivemos, pois lembro que já vivemos isso a cada minuto, a cada dia, a cada ocasião. Quero dizer, com isso, que podemos livremente mudar de forma a qualquer momento e deixá-la parar. A nossa consciência jamais pára. E, nesse momento, penetramos diretamente, em Consciência, numa outra Consciência, esperando que ocorra a gestação, se ela ocorre, como acontece em alguns Povos, assim como acontece convosco. Há, então, partilha de um corpo. Não se trata de uma possessão mas sim da demonstração real e concreta que vocês podem ser não importa qual forma, mesmo uma forma que se cria ou uma forma muito antiga, isso não muda nada, pois não é a forma que é imortal, nem o veículo, mas sim a consciência. E essa Consciência jamais terá fim.

Lembrem-se, o que quer que aconteça neste período que precede a pré-estase, - e que agora concerne toda a humanidade - ou em todo o caso as almas humanas ou humanos com alma, como dizem, - vai ver um tal intensidade que ninguém poderá ignorar. Fiquem bem vigilantes para não resistirem em qualquer circunstância que seja. Fiquem bem vigilantes para fazerem a diferença entre as vossas obrigações, o que ainda vos é permitido levar a cabo, e as injunções da Luz da vossa própria Eternidade que irão suprimir das vossas vidas, certos elementos, certas pessoas, certas actividades, certos funcionamentos fisiológicos, simplesmente porque isso estará totalmente de acordo com o que deve acontecer para vocês - mesmo se seja difícil de aceitarem isso-. Lembrem o que foi dito com frequência: que vocês São a Vida e não a vossa vida. Não se trata de um jogo de palavras nem de algo que é dito para parecer bonito. Trata-se da estrita Verdade! E, de experimentar e viver isso, diretamente, pela instalação da Luz Branca, quer dizer do que chamam o fim do eu, creio.

É aí que irão encontrar a Paz. Mesmo a Paz desse corpo, quaisquer que sejam os sofrimentos e quaisquer que sejam os ataques. É nesses momentos que desaparecerá naturalmente o primeiro medo, que está ligado ao desaparecimento do corpo, quer estejam já liberados ou não. E isso muda completamente o vosso modo de viver, de pensar, de se relacionar, e, como poderão ver, muda o modo como entram em ressonância connosco, Elfos, ou com os outros Povos da Natureza. De algum modo, a Ressurreição ligada ao Apelo de Maria e à estase, logo à paragem do movimento de rotação da Terra, mas não ainda ao basculamento dos pólos que ocorrerá num tempo em que mais ninguém poderá estar na superfície da Terra, excepto aqueles que aí ficarão num corpo de santidade. E, como já disse, essencialmente aqueles que têm uma linhagem élfica e que quiserem ficar connosco, a fim de reencontrar e viver como consciência livre dentro de uma forma élfica, e que será, assim pensamos, uma experiência muito agradável, do mesmo modo que acontecerá com outras dimensões mais etéricas.  

Assim, nos momentos em que a Luz o convida a descansar… e isso será perceptível não apenas por uma qualquer fraqueza percebida, mas sobretudo por uma actividade percebida, sentida ou não sentida por aqueles que nada sentem. Mas mesmo esses que nada sentem, deverão sentir uma forma de presença ou de dor de cabeça situada numa zona restrita ao redor da Pequena Coroa. Aí, onde se encontram as quatro Fontes dos Elementos que se estendem ao nível da fronte, atrás da cabeça, e sobre as orelhas. É o Éter! Esse Ponto ER do Éter e as quatro Fontes dos Elementos que estão ao seu redor, vão chamar pelo impulso Metatrónico… desde que sintam isso, preparem-se para o Branco!

Aqueles que nada percebem, sentirão simplesmente que não estão doentes mas que tudo está confuso. Quer sejam os cinco sentidos, quer sejam os pensamentos, quer seja a percepção do corpo. Se isso acontece não há nada que o valha para evitar que isso aconteça, nenhuma obrigação ou responsabilidade. Cabe a vocês ver e decidir, mas nesses momentos não devem hesitar! Se persistirem no erro, em relação ao que vos é pedido pela Luz, então sofrerão as consequências, infelizmente e felizmente, porque o corpo irá permitir eliminar isso. De uma forma dolorosa, é certo, em alguns casos, tal como tem acontecido com alguns de vocês durante estes últimos meses, aqui e em todos os lugares.

Então, quando a vontade de repousar está aí… porque de momento podem ainda efectivamente decidir, mas diria que as primeiras injunções não dependem de vocês, nem de qualquer alinhamento interior, nem de nenhum sono, nem de nenhuma vibração. - … é nesse momento, se a vossa Consciência comum ainda funcionar, que estarão perante o dilema de assumir as vossas responsabilidades ou a vossa Liberdade. Não há meia medida!

Alguns de vocês serão deixados tranquilos até à estase. Para isso, continuem a levar a vossa vida da forma a mais simples e humilde possível, tal como foi explicado. Pelo contrário, se as injunções da Luz vos chamam a repousar, não resistam de modo nenhum. É aí que mostram a vocês mesmos se a Luz e que São foi para vocês um divertimento ou se é a Verdade. Não há nenhuma obrigação em relação a isso, ao contrário do que foi solicitado a muitos de vocês em todos estes anos.

Mas não tomem as rédeas. Uma vez mais, não é porque algo pesa nas vossas vidas que vão decidir se libertar. A Liberação, nestes casos, não é decidida certamente pela vossa vontade pessoal, mas faz-se pela Luz. Mas não poderão procrastinar, quer dizer, hesitar. Sejam francos, claros e precisos!

Dei algumas primícias, creio que um Arcanjo falou de alguns sintomas que poderiam manifestar-se, que vão tornar-se cada vez mais extensivos para os sintomas que alguns já vivem, e que noutros vão aparecer, e que noutros vão desaparecer. Mas, em todo o caso, haverá uma modificação importante do funcionamento do vosso corpo, das energias para aqueles que as sentem, mas também da própria Luz em vocês.

Na verdade, o que estou a dizer, para além dos dados técnicos, é sobretudo acerca da capacidade que têm de ser, muito frequentemente, testemunha e observador do que está a acontecer, pelo impulso da Luz, também. Mas, o novo impulso Metatrónico não permite mais isso. Porque, a determinado momento, irão ver que há uma antinomia, ao viver isso, …tudo o que diz respeito ao efémero - e que, no entanto, foi e é ainda de ordem da vossa responsabilidade -   e que deverá  ceder perante o apelo da Liberdade. E aí, terão de posicionar-se. E não há melhor experiência a fazer para essa escolha do que ver por si mesmo o que se irá passar. Porque posso garantir, que a um dado momento, todos vocês, sem qualquer excepção, irão resistir.

E vocês colocam como prioridade que têm uma família a alimentar. Que têm um trabalho onde têm de cumprir. Que têm coisas a fazer. E quando constatarem o que acontece nesses momentos, serão obrigados a se renderem às evidências. Mais não posso dizer. Porque essas experiências necessitam também de uma certa forma de surpresa, tal como o Apelo de Maria e o Choque da Humanidade. Aí, é o vosso choque pessoal. Onde quer que estejam, agora, com quem quer que estejam. Quer estejam despertos, Liberados Vivos, ou que não sintam nada, de momento, não mudará nada. É nisso que me foi pedido para  vos prevenir.

Os nossos momentos de repouso são totalmente livres. É claro que, por vezes, a nossa estrutura e a nossa forma de Elfo pode, por vezes, nos chamar à ordem e pedir ou mesmo exigir um descanso. Mas o nosso repouso tem a duração de alguns dos vossos segundos. Porque, nesse momento, o Espírito, que sempre está presente, vem revivificar espontânea e naturalmente, também pelo parar da actividade, penso que compreenderam isso, ou através de uma eventual cerimónia. Nesses momentos acontece uma regeneração, o que não é necessário no nosso caso onde acontece uma revivificação. Para vocês trata-se mais de uma regeneração. E essa regeneração poderá parecer surpreendente, sobretudo para aqueles que têm já o pressentimento de que deixarão de habitar esse corpo. No entanto, é a melhor maneira de viver a estase, - não o Apelo de Maria, que todos reconhecerão - mas os três dias de estase. Porque vos temos dito, e muitas vezes, e eu também : haverá, apesar de tudo, mesmo sendo Liberado Vivo, o hábito da consciência comum dentro de um corpo. É certo que a Supraconsciência modificou as coisas de forma considerável, e também a Inteligência da Luz e o impulso Metatrónico final, antes da entrega das últimas Chaves, dão a viver isso com intensidade.

Então, repito que mais vale viver essa injunção da Luz Branca na natureza ou perto das nossa aldeias do que num local de trabalho. E, como disse, isso não será ao acaso, pois haverá sinais de alerta. A sensação de oscilação do corpo, a sensação de ter toda a vossa pele como que revestida por outra veste, formigando ou vibrando, o aparecimento, mesmo de olhos abertos, da Luz Branca, ou, assim que fecham os olhos, se sentirem preenchidos pela Luz Branca.

Compete a vocês fazerem a experiência e decidir. Tentem continuar a levar as vossas actividades, os vossos pensamentos, o vosso trabalho, as vossas obrigações, e tentem abandonar tudo isso. Irão ver, muito rapidamente, que a vossa vida efémera será sentida como um fardo. Nesse momento vocês se sentirão Vivos. Não na negação da vida, mas ao oposto, completamente Vivos. E aliás poderão ver o corpo e a vossa vida habitual como algo que já não faz sentido. E quanto mais abandonarem isso, mais em Alegria vão ficar.

Decerto isso não diz respeito a toda a humanidade, mas, no entanto, diz respeito a uma grande proporção. E quanto mais os dias passarem antes do Apelo de Maria e antes da visibilidade de Nibiru, mais o processo estará adiantado. É, evidentemente, muito útil. A oportunidade do que vocês chamam o tempo, permite ajustar o que se irá passar, antecipando o que se irá viver durante a estase. Além disso, se aceitam o Branco, a injunção Metatrónica, nesses momento ficarão nessa Felicidade sem nome que se aproximará de vocês por etapas, dia após dia, até se instalar definitivamente.

Isto foi o que me foi pedido para partilhar convosco, como preâmbulo da intervenção de uma certa Estrela. Penso que após a minha intervenção virá também um Dragão visitar-vos para vos explicar o seu ponto de vista e a sua experiência em relação a isso.

Se houver oportunidade, vou dar ainda alguns minutos, para responder a alguma pergunta que tenham a fazer em relação com o que acabo de dizer. Mas, por favor, não me peçam para revelar outros elementos referentes ao Apelo de Maria, ou à estase, ou aos momentos finais. Apenas relacionado com o que acabei de dizer, se precisarem de algum esclarecimento, então eu escuto.


Questão : Em geral, quanto tempo poderá durar para nós esse efeito de névoa onde somos levados a permanecer deitados?

Em geral, restará o tempo suficiente para mudarem de actividade, se assim posso dizer. E, aliás, isso aparecerá de forma ligeira e irá reforçar-se no espaço de alguns minutos, para alguns, ou de algumas horas, para outros. Mas poderão ver essa progressão, quer seja rápida ou lenta, e estarão aptos para perceber o momento em que simplesmente não poderão mais resistir, muito simplesmente.

Alguns de vocês aproveitarão imediatamente esses sinais e sintomas de alerta, para se deitarem, se estiverem em casa, ou se estenderem na Natureza, se aí estiverem. Lembrem-se que será sempre mais agradável na natureza, mesmo se a temporada não é favorável para aí se deitarem.  Quando digo deitar-se, não é preciso, obrigatoriamente, de se deitarem. Mas é preciso, obrigatoriamente, entrar em seu interior. Ou seja, se possível ficar em Teofania ou em Endofania, ou em alinhamento, se nada sentem, e ficar em imobilidade. Aliás, irão ver que terão alguma dificuldade em se deslocar, com as oscilações do corpo. Elas não estão relacionadas com uma doença, mas sim com essa injunção Metatrónica, que fará sentir, lembro, mesmo antes dos sinais de pré-aviso, como que uma presença por cima da vossa cabeça, não acima da cabeça mas em contacto com a Pequena Coroa da cabeça. O que foi chamado, penso, o impulso Metatrónico ou o cubo Metatrónico.

Então, não se preocupem com os sinais de pré-aviso, pois quando os viver, irá sentir-se bem se tiver um minuto ou uma hora para obedecer. Em regra geral, terão sempre tempo, segundo a Inteligência da Luz, para terminar uma actividade que está a decorrer, ou uma viagem, ou alguma outra coisa. Mas é preferível não planejar nada mais a seguir. Quanto à duração desse estado, vai ser cada vez mais extensivo, e não posso precisar a sua duração nas primeiras vezes. Porque é evidente que a duração será diferente conforme haja ou não apego à matéria e aos hábitos. O que quer dizer que aqueles de entre vocês que não têm mais hábitos, e que não têm mais obrigações para com a sociedade, têm efectivamente, mais facilidade para viver isso em toda a liberdade, em comparação com os que ainda têm responsabilidades ou actividades. Mas lembrem-se que isso está do mesmo modo aberto a todos.



Questão : O processo será gradual em várias vezes? 

Em geral, é preferível viver esse ecrã Branco na totalidade, mesmo se ele vos aparece em alguns estados, em algumas meditações. Mas, na verdade, a repetição e a intensidade que vão aumentando progressivamente, bem como a sua frequência, é um elemento importante. Duvido que, mesmo num liberado vivo, que já perdeu quase todos os hábitos, isso possa ser feito no espaço de um instante, pois que mesmo a estase precisará ter a duração de 72 horas. Aí, será questão de alguns minutos, de algumas horas, ou mesmo de alguns dias, em função das necessidades. Lembro que não são vocês que decidem. Lembro também que não é nenhuma entidade de Luz, exterior a vocês, que decide, mas simplesmente a Inteligência da Luz presente em vocês ao nível do vosso Corpo de Eternidade.

Além disso, para aqueles que estão atentos, aqui ou noutros lugares, ouvindo ou lendo, à priori, devem sentir a Pequena Coroa da cabeça. Mas lembrem-se que esse é um prenúncio. Os verdadeiros sinais de pré-aviso virão depois. Doravante, isso será segundo certa ordem: oscilação, névoa dos sentidos, não desaparecendo, como antes.

…Silêncio…

Creio que vai sendo agora tempo de regressar à minha aldeia. Repito, aliás que, depois do Solstício de Inverno, e mesmo agora no mês que decorre, não iremos organizar mais cerimónias, mas, no entanto, a Luz é omnipresente e também está reforçada.

Eu sou Eriane, rainha dos Elfos da aldeia de Eridan e abençoo cada um dos vossos Corações.

Até breve.

E agradeço a qualidade do vosso acolhimento e especialmente da vossa escuta.

Obrigada.


***

Tradução do Francês: Maria Beatriz Pires



PDF (Link para download) : ERIANE - 14 de Novembro de 2017


10 comentários:

  1. Pelo que percebemos nas nossas aldeias e também pelo que nos dizem os nossos Elfos mensageiros, estamos bastante confiantes que o conjunto dos marcadores da vossa Liberação e da Ascenção da Terra, estejam agora todos presentes em simultâneo.
    .........
    Aliás, já vos foi dito que, após o final, este planeta irá tornar-se um deserto e que na quinta Dimensão tudo será diferente de antes, mas tudo será muito belo e, sobretudo, tudo será livre.
    .........
    E como devem já saber, para isso, a ressonância do Apelo de Maria deve acontecer, antes da interrupção da rotação da Terra, e antes que alguns eventos impressionantes aconteçam, e que não concernem senão a loucura humana, mas bem mais, as resistências ligadas à própria matéria, independentemente da Consciência.
    .........
    A única possibilidade real de recurso para revitalização com o Espírito, é, portanto, no seio da Natureza e não apenas nas florestas, mas onde não há presença de pessoas aí vivendo, onde não há estruturas organizadas pela sociedade humana.
    .........
    Quer dizer que haverá um abandono, real e concreto, de qualquer vontade pessoal. Não porque decidiram isso, mas porque as condições da vossa fisiologia, da vossa consciência, não o permitem de todo.
    .........
    E aliás poderão ver o corpo e a vossa vida habitual como algo que já não faz sentido. E quanto mais abandonarem isso, mais em Alegria vão ficar.

    ResponderExcluir
  2. Uma mensagem essencial, visto que Eriane nos apresenta um verdadeiro manual do que devemos esperar que ocorra no período entre o apelo e a parada rotacional. Vejo que todos nós teremos grandes surpresas nestes momentos em função da Revelação Consciencial... Nos cabe estar serenos para aceitar com humildade o que chegará até nós.

    ResponderExcluir
  3. Não que precisávamos saber os pormenores, mas acaba sendo mais uma contribuição para silenciar o nosso insaciável mental. Muito legal!
    Aproveito para agradecer a todos que participam em cada etapa de divulgação desta magnificas mensagens. O meu muito obrigado!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Maria Beatriz Pires por mais esta magnifica e trabalhosa tradução. Agradeço também aos demais tradutores(as) sem os quais estaríamos confinados e ignorantes de quem, realmente, somos. E também ao nosso comandante encarnado (kkk) Manoel. Obrigado!

    ResponderExcluir
  5. meu querido Egidio realmente não poderia haver uma síntese mais clara. Um grande abraço e realmente Rendo Graças ao grupo que nos proporciona tais vivencias.Como dizem nossos companheiros e Interventores até breve. Comunhão em Luz Autentica sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edméia, senti também isso que você expressou como síntese clara. Graças !

      Excluir
    2. Gente....eu não entendi nada....vou ter que reler varias vezes....kkkkk!!! Fazia tempo que isso não acontecia....acho que o mental derreteu no Fogo Ígneo!! (Como diz Bidi, se não entendeu nada, tanto melhor!)

      Excluir
  6. "(...) Esse Branco é fundamental, pois é Ele, e não a vossa Supraconsciência, que põe fim ao hábito de um corpo. Então, a partir desse momento, irão aperceber-se, em certas experiências, - se tiverem essa oportunidade antes da estase - daquilo que temos dito, não eu mas outros intervenientes, acerca da impossibilidade de manter a vossa vida efémero nos seus diferentes sectores. E creio que intervirá, depois de mim, uma Estrela da qual não recordo o nome, para falar acerca do funcionamento humano e revelará de algum modo esse processo natural que vai, pela Inteligência da Luz, implicar um desvio total dos polos de interesse, dos polos de obrigações actuais, nesse mundo. Muitos de vocês já vivem isso. E podem simplesmente constatar isso mesmo através de um desinteresse, mas também, como vocês dizem, por vezes há um sentimento de não mais suportar esse corpo, essa vida, mesmo estando repletos de Amor. É exatamente esse processo que ocorre, mesmo sem ver a Luz Branca.(...)"

    "(...)Vocês nada poderão controlar, nada poderão dirigir. Quer dizer que haverá um abandono, real e concreto, de qualquer vontade pessoal. Não porque decidiram isso, mas porque as condições da vossa fisiologia, da vossa consciência, não o permitem de todo. Alguns não conseguirão mais escutar música. Alguns não conseguirão mais ficar a assistir às imagens nos ecrãs. Outros não vão conseguir trabalhar. Outros não vão conseguir deslocar-se. Não resistam, pois é exactamente o que vos falta para que o Apelo de Maria e a vossa Ressurreição ocorram nas melhores circunstâncias.(...)"

    "(...) Decerto isso não diz respeito a toda a humanidade, mas, no entanto, diz respeito a uma grande proporção. E quanto mais os dias passarem antes do Apelo de Maria e antes da visibilidade de Nibiru, mais o processo estará adiantado. É, evidentemente, muito útil. A oportunidade do que vocês chamam o tempo, permite ajustar o que se irá passar, antecipando o que se irá viver durante a estase. Além disso, se aceitam o Branco, a injunção Metatrónica, nesses momento ficarão nessa Felicidade sem nome que se aproximará de vocês por etapas, dia após dia, até se instalar definitivamente.

    .................................................

    Gratidão aos povos da natureza, gratidão às tradutoras e a todos os envolvidos neste maravilhoso Serviço de Luz!!!


    ResponderExcluir
  7. deslumbrante esta mensagem em totalidade
    Mas não tomem as rédeas. Uma vez mais, não é porque algo pesa nas vossas vidas que vão decidir se libertar. A Liberação, nestes casos, não é decidida certamente pela vossa vontade pessoal, mas faz-se pela Luz. Mas não poderão procrastinar, quer dizer, hesitar. Sejam francos, claros e precisos!
    ...
    Na verdade, o que estou a dizer, para além dos dados técnicos, é sobretudo acerca da capacidade que têm de ser, muito frequentemente, testemunha e observador do que está a acontecer, pelo impulso da Luz, também. Mas, o novo impulso Metatrónico não permite mais isso. Porque, a determinado momento, irão ver que há uma antinomia, ao viver isso, …tudo o que diz respeito ao efémero - e que, no entanto, foi e é ainda de ordem da vossa responsabilidade - e que deverá ceder perante o apelo da Liberdade. E aí, terão de posicionar-se. E não há melhor experiência a fazer para essa escolha do que ver por si mesmo o que se irá passar. Porque posso garantir, que a um dado momento, todos vocês, sem qualquer excepção, irão resistir.
    Então, repito que mais vale viver essa injunção da Luz Branca na natureza ou perto das nossa aldeias do que num local de trabalho. E, como disse, isso não será ao acaso, pois haverá sinais de alerta. A sensação de oscilação do corpo, a sensação de ter toda a vossa pele como que revestida por outra veste, formigando ou vibrando, o aparecimento, mesmo de olhos abertos, da Luz Branca, ou, assim que fecham os olhos, se sentirem preenchidos pela Luz Branca.
    grato Maria Beatriz
    Rendo Graças

    ResponderExcluir
  8. Bem inegavelmente estamos diante de um ‘Belezura Celestial’. Esta Graciosidade de “Eriane, rainha dos Elfos da aldeia de Eridan”, nos trouxe, mais uma vez, uma Mensagem, que sentimos que cada ponto, tem o impulso de ser vivido no encontro com a Luz...

    “Onde quero chegar é que o período que agora se abre, que já se abriu, dá-vos a possibilidade, não tanto em meditando ou em vos alinhando, ou em vibrando, mas mais estando na Natureza, simplesmente passeando. “

    “Toda a Natureza está repleta de Luz, e já vos foi dito porquê.”

    Sintam o 'convite' deste vídeo, na Natureza, encaminhado, por um 'Especial Amigo':

    https://youtu.be/PuljBCnVr2E

    Que a "Luz Branca', cada dia seja em abundância.....

    ResponderExcluir