OMA - Q/R - Parte 2 - Dezembro 2017


OMA - Q/R - Parte 2 - 09 de Dezembro de 2017
Mensagem de 09 de dezembro de 2017 (publicada em 23 de dezembro)
Origem francesa – recebida do site Les Transformations


Áudio da Leitura da Mensagem em Português - por Noemia
Clique aqui para fazer o download do áudio




Bem, caros amigos, queridas irmãs e irmãos, podemos continuar tudo o que têm para me dizer. Estou a escutar.


Questão: Testemunho de um irmão: no sábado passado, torci o tornozelo esquerdo, e isso causou-me uma dor muito grande, de tal modo que tive a impressão de perder a consciência. Nesse momento, surgiu uma grande tristeza e comecei a chorar, depois senti como que um grande redemoinho negro dentro de mim. Não conseguia pensar mais nada. Fiquei imóvel no escuro e perdi todas as referências. Agradeço o vosso esclarecimento.

Ah, já faz mais de um ano que eu disse que as resistências inconscientes que não tinham sido vistas estavam a ser manifestadas em diferentes partes do corpo de acordo com as sequências que eu bem expliquei. Também disse anteriormente, que as manifestações do corpo eram menos violentas desde o mês de… diremos desde o final de novembro deste ano de 2017.

Por aquilo que descreves, o que aconteceu não se trata de um entorse em si mesmo, a explicação vem da liberação da resistência inconsciente localizada no teu tornozelo esquerdo. Neste caso, os tornozelo, trata-se de algo que está relacionado com o enraizamento na terra, com o que vos permite assentarem, tomar algo para o tornar sólido, um pouco como a arquitetura dos vossos ossos que permite ficarem de pé. Aí, sendo o lado esquerdo, reenvia ao Feminino Sagrado e a uma ferida da infância, que não foi vista e que, no momento em que se manifestou e se libertou permitiu que te encontrasses na completa escuridão, quer dizer, no desaparecimento.

Isso também proporcionou a liberação emocional, pois como disse esse irmão ou essa irmã… depois chorou bastante, não apareceram imagens, como dizer : algo acerca do que desencadeou esse bloqueio na infância. Mas, no entanto, pelo facto de estar escuro depois de chorar, isso significa a libertação desta memória que é residual, e que induziu como eu disse, comportamentos que estão em ressonância com o Sagrado Feminino e que não tinham sido transcendidos, se posso dizer, ao nível por exemplo, das energias que irei mencionar: de submissão ao homem de um modo geral, o que te remete para a linhagem feminina porque está ao nível do tornozelo esquerdo. Agora, não serve para nada querer reencontrar na memória a cena que deu origem tanto a esse trauma residual, como também aos comportamentos relacionados com o feminino, pois o facto de ter chorado bastante e de ter ficado no escuro após o entorse e a dor violenta, significa a liberação desse bloqueio, se posso assim dizer, ao nível da tua consciência efémera e do teu corpo físico.

Podem ver, e aproveito a oportunidade para abrir um parêntesis e falar dos mecanismos dolorosos que ocorrem no vosso corpo. Exceto, claro, tudo o que é doença, tudo o que é uma patologia e que o remete para uma opinião médica, é claro. Agora, em termos de dores, em particular o que está relacionado com o sistema músculo-esquelético, quer seja um entorse súbito, quer seja um ataque de artrose óssea, quer seja uma limitação ou dor num segmento de um membro, eu disse que isso não poderia ficar aí, porque isso se eliminaria diretamente, não poderia mais haver aí resistências. Neste momento o que é que se passa? O emocional em geral, quer seja a cólera, quer seja a tristeza, quer seja o medo, tudo isso  se afasta, ao mesmo tempo que entram no desaparecimento. Então, trata-se de um processo que é levado a ser vivido por alguns irmãos que ficaram marcados se posso dizer, de forma involuntária e inconsciente, por bloqueios memoriais que desencadearam hábitos derivados desses mesmos bloqueios. A conjunção dos dois é eliminada de forma brutal por uma dor, aqui neste caso um entorse, mas este entorse desaparece, direi talvez tão rapidamente como aconteceu.

Quando acontece esse desbloqueio, essa liberação, não há mais razão para que uma patologia do sistema músculo-esquelético, vos possa fazer sofrer. Isso elimina-se dessa maneira. Não há outra explicação a procurar. Mas é preciso acolher também o que acontece quando isso chega, e podem ter a certeza, e podem depois verificar, que qualquer que seja o elemento ligado ao aparelho músculo-esquelético, relembro todas as como que agulhadas relacionadas com a penetração da Luz, agora não se sentem apenas ao nível das Portas ou do tronco, mas até às extremidades dos membros, pois a Luz se espalha por todos os lados. Ela ultrapassa largamente, se assim posso dizer, o espaço das Portas situadas no tronco, e corresponde agora à totalidade do vosso corpo físico, ao nível da sua actuação pela própria Luz. É claro que, quando encontra elementos ligados ao sofrimento, resistências ligadas aos hábitos resultantes de memórias residuais ligadas a bloqueios passados, aí, bem, essa liberação toma uma forma mais violenta, mas não se trata de um sofrimento que vá durar muito, como era o caso nos vários ataques orgânicos que ocorreram em alguns irmãos e irmãs desde há cerca de dois anos, em especial durante este ano.

Então, o processo de resolução de uma eliminação ao nível do sistema músculo-esquelético, em particular num traumatismo como um entorse, acontece muito mais rapidamente. Se o irmão ou irmã está presente poderá confirmar se o entorse desapareceu rapidamente ou não, uma vez que é recente.

… A pessoa não está presente.

Ah, se não está presente talvez possa confirmar noutra altura. Vamos então continuar.


Questão :  Uma irmã: A liberação agora é feita de forma diferente do que era antes? Antes, dá a impressão que acontecia de repente, assim como num processo místico em que de repente parecia passar como que a 90° no seu corpo: Boom!  Resumindo, é possível ser liberado agora quase sem dar por isso?

Não, isso é impossível porque a liberação passa por diferentes fatores. Alguns já o viveram, os primeiros pela liberação da Terra e pela Onda de Vida, quando a Onda de Vida ascendeu até ao topo do crânio, sobre o 13º Corpo ou Vajra, ou Fonte de Cristal, mas isso também foi possível depois, diretamente pelo Canal Mariano, durante estes dois últimos anos, e agora pela instalação da Luz. Mas isso não pode passar despercebido, porque é uma mudança de humor, do comportamento, da consciência, do corpo, que é de tal forma flagrante, que não pode ser questionado quando se vive esse género de processo, porque a Alegria torna-se omnipresente. Agora, não há liberdade sem Alegria. Nos Liberados Vivos pela Onda de Vida, como puderam verificar na época se isso aconteceu ao vosso redor, isso não era necessariamente acompanhado por uma Alegria permanente,  eles estavam ainda inscritos numa lógica da história, não da pessoa, mas ainda assim da história que se desenrolava no palco. Agora, já não é o caso, não é possível ignorar ou supor estar liberado, ou é ou não é, e o testemunho agora é a Alegria.

Essa Alegria sobre a qual se pode ainda menos enganar do que com o Amor, pois, como sabem, o Amor pode ser condicionado e tomar a aparência do Amor incondicionado. Mas a Alegria traduz-se ao nível da aparência, do brilho do olhar, da vossa vida quotidiana, ela é a prova pois não há aí mais apego ao funcionamento da pessoa, não há apego às regras, quaisquer que sejam, presentes nesse mundo, e isso, não é possível que passe despercebido, isso é evidente.

Não podem enganar-se, pois a Onda de Vida, e isso já foi explicado, poderia ter sido parada ao nível dos dois primeiros chacras, ou mesmo ao nível do coração, impedindo que se tivesse completado a liberação. A Onda de Vida que subia até ao coração desencadeava a vivência do Si. Mas o Si, como sabem, apresenta muitas armadilhas, em particular quando a alma está presente e usa esse Si em proveito da matéria mais do que do Espírito. Este foi o processo já explicado, esse mecanismo de basculamento, de retorno da alma seguido pela sua dissolução no Fogo Ígneo do Espírito.

Agora, o processo é diferente pois há seres que vivem essa Alegria, e portanto, essa Liberdade, sem ter passado pelos processos vibratórios. Quer dizer que passam diretamente de uma consciência comum para a Supraconsciencia. Mas não duvidem, a Supraconsciencia não pode deixar o que quer que seja de anterior, quer seja nos comportamentos, quer seja nos mecanismos do pensamento, quer seja nos mecanismos dos relacionamentos, das interações, de todas as interações que podem acontecer a qualquer nível que seja.

Então, agora, enquanto se colocarem a questão de saber se são liberados ou não, é porque não são livres. Agora, a liberação é uma evidência. Não é qualquer coisa que se possa supor, continuando a observar flutuações de humor, de estados emocionais, de pulsões que ressurgem de qualquer natureza que seja. Como eu disse, há uma espécie de fixidez dessa liberdade, que tem muitas consequências, que desencadeia muitos efeitos. Não é simplesmente uma experiência ou a capacidade de ver ou sentir por exemplo o chacra do coração ou a Coroa do Coração. É uma transformação radical.

E agora, para responder à questão, ela pode ser também brutal, instantânea, assim como pode ir acontecendo durante algumas semanas, alguns dias, mas não poderá ser durante anos, não é ! Agora, geralmente não têm, para aqueles que vivem essa Alegria sem as vibrações , não têm mais os marcadores vibratórios, quer sejam a Onda de Vida, ou a perceção do chacra do coração, agora é uma Alegria sem objeto, real, que não obedece a nada da vossa vida efémera e que no entanto está aí, o que quer que vocês façam, o que quer que vocês digam, o que quer que tenham como conceito. É independente de tudo isso. E eu vos garanto que, quando vivem essa Alegria, não a podem confundir com nada mais, isso não é possível. No entanto, com as vibrações vocês podiam confundir a energia e a vibração, apesar das explicações abundantes que nós demos sobre as diferenças entre as duas. Nós sabemos muito bem que muitos irmãos e irmãs, mesmo despertos, mascararam as coisas transformando a vibração, chamando vibração a uma vulgar energia vital, mesmo sobre um chacra. Conseguem ver a diferença ?

Agora, com a Alegria, não é possível se enganarem, pois como tenho dito, essa liberdade pela Alegria interior, pelas Teofanias ou pelas Endofanias, desencadeia a leveza a todos os pontos de vista e em todos os setores da vida. Qualquer que seja o estado anterior, quaisquer que sejam as vicissitudes da vossa vida, as obrigações, elas não se podem manter mais doravante perante a Alegria, porque a Alegria põe fim a toda e qualquer obrigação. Não se trata de uma negação da realidade, ou de uma fuga da realidade. É a aceitação plena e total da Luz, nada mais e nada menos. Todo o resto apenas são discursos, experiências como eu disse, ou sentimentos que passam, porque um sentimento não pode durar.

Sabem bem que, quando intervimos ou quando se encontram com os Povos da Natureza, o que quer que seja que vocês sentem, de visão ou de comunicação real, desaparece de seguida. Para o Liberado Vivo destes últimos tempos, e da mesma maneira para aqueles que foram liberados antes pela Onda de Vida, a Alegria fica omnipresente. Ela não pode extinguir-se, seja o que for que aconteça, seja o que for que chegue, então não se pode tratar de uma dúvida. Se vocês se questionam sobre o que vocês são, é que evidentemente vocês não chegaram lá. Não vejo como posso dizer melhor. Há aí uma tal evidência da Verdade, da Alegria, do Amor, da Luz, que isso não precisa de nenhum conceito nem de nenhuma elucidação mental, nem mesmo de qualquer experiência, mesmo que todas as experiências continuem possíveis. Deixa de haver como direi: uma pulsão da consciência para a sua manifestação nesse mundo ou em qualquer outro mundo.

E de facto, o Silêncio nesse momento, vem tomar o lugar do Verbo Creador, o Andrógino Primordial se realiza, o Verbo Creador torna-se silencioso. Já não precisa de se expressar, como foi o caso na co-creação consciente, embora possam continuar, é claro, se gostam de criar, com as mãos ou com qualquer outra coisa. Não é prejudicial. Mas sois obrigados a verificar que não existem mais funções primárias da consciência a entrar em manifestação ou em jogo. Vocês permanecem verdadeiramente fixos, ou, se preferem, imóveis, no Coração do Coração, o que quer que seja que se desenrole ao redor. É essa a grande diferença. Mas a finalidade é exatamente a mesma, quer isso tenha acontecido pela Onda de Vida, pelo Canal Mariano, ou, em alguns casos, como também aconteceu, pelo impulso Metatronico, pode ter acontecido por algum destes processos que explicámos e que talvez já tenham vivido.

Se em vocês emerge a pergunta sobre quem vocês são, então é porque não estão aí, no que são. Não há outra hipótese. Aquele que está livre sabe que não é nada porque ele o viveu, sabe que não é nada nesse mundo, qualquer que tenha sido o seu papel aí, a sua função na sociedade, no plano profissional, e até mesmo no plano espiritual. Não joga agora nenhum jogo, nem de guru, nem de mestre, nem de atração ou de sedução através de histórias. Ele é natural, e esse ser natural não se acompanha de dúvidas sobre o que é, ou de alguma atenção excessiva colocada no que quer que seja para além da verdade de quem é, que é permanente, de forma permanente, omnipresente na sua consciência. Desdobrado, lembro, pelo Corpo de Existência percebido e vivido pelo menos na sua periferia e ao nível do que emerge agora, desde há algumas semanas, ao nível da incarnação do princípio arquetipico nomeado: Estrela. Para além dos nomes das Estrelas que aí portaram essas funções, trata-se também dos nomes que vos demos correspondentes aos doze sentidos espirituais.

Vamos continuar.


Questão: Uma irmã apresenta: Olá, querido Oma, há pouco tempo disse-nos que uma Irmã Estrela iria apresentar-se do outro lado do Atlântico…

Oh! Nunca disse que ela se apresentaria, disse que ela estava do outro lado do Atlântico, e é tudo. Agora, as Irmãs Estrelas, talvez haja uma ou duas que saibam realmente que o são.

E digo sinceramente, vocês pensam que Teresa sabia que era uma Estrela? Além disso ela não era uma Estrela, ela tornou-se uma Estrela depois. Vocês sabem que há sempre três estrelas em Encarnação. Ser Estrela é algo que não se manifesta assim de um dia para o outro, é algo que está presente bem antes do nascimento, à espera das circunstâncias propícias para se manifestar. Então, claro, uma Estrela, referindo-me às Estrelas que se manifestaram entre vocês, se olharem para as suas vidas, há uma predominância completa da Luz. Quaisquer que tenham sido as suas experiências ou as histórias que viveram, a Luz estava sempre à frente do cenário. Quer dizer que essas irmãs colocaram para trás as histórias familiares, as histórias de criança, as histórias das profissões, todas as histórias.

Hoje, são muitos a poder sentir, tal como eu disse, a ativação de uma ou muitas Estrelas da vossa cabeça. É claro que as irmãs Estrelas estão presentes em todos vocês, mas é sobretudo os sentidos espirituais que se desenvolvem dentro mesmo desse mundo. Os doze sentidos espirituais nomeados, não apenas pelo nome da irmã Estrela mas pelo sentido que porta essa Estrela, de forma, diria talvez arquetipica: Precisão, Profundidade, IM, IS, ou Hic e Nunc se vocês preferem, etc. etc.

Agora quando eu digo que uma Irmã Estrela está do outro lado do Atlântico, essa é a verdade. Eu não disse qual era o país, eu não disse que ela era de uma determinada origem ou de outra ou nascida num sítio ou no outro mas que, de momento, ela estava do outro lado do Atlântico, isso é tudo. E agora não contem comigo para vos dar o nome das Estrelas incarnadas, isso compete a vocês de as reconhecer. Porque uma Estrela, vocês o sabem por exemplo quando se conectam ou quando fazem uma Teofania com Gemma, com Teresa, ou mesmo com outras Irmãs um pouco mais austeras…não irei nomear nem me vou aborrecer com as Estrelas, mas no entanto, podem perceber o que acontece mesmo durante as canalizações, ou durante as Teofanias vividas no vosso interior, quando se referem a Gemma ou a outra Irmã. Aqui é a mesma coisa. A qualidade de coração não está nas palavras ou nas declamações, mas na Verdade do que é percebido para além das palavras ou das declarações de intenções, e unicamente na vibração.

Então, como podem imaginar, se não percebem as vibrações, qualquer uma pode dizer que é uma Estrela. E se percebem as vibrações, aí, façam o que vos compete; uma Estrela incarnada quer dizer que é alguém que o foi durante a sua última vida, que viveu a Liberação e aceitou voltar neste final dos tempos para aí incarnar a função específica que porta. Ora, vocês sabem que há três Estrelas incarnadas, não é? Mas compete a vocês reconhece-las, no vosso Coração, não precisam de a ver para a ela se conectarem, isso é feito instantaneamente. E podem ver então se é o mesmo que sentem com Ananda Moyi Ma, com Gemma, com Ana ou com Teresa de Lisieux, não é mesmo? Porque não existe diferença. Quer essa Irmã tenha tido uma vida conhecida ou desconhecida, isso não faz diferença. O que é importante é a qualidade vibratória, mas se não sentem a vibração, aí podem questionar-se por muito tempo.

Lembro que muitas irmãs se têm proclamado ser Maria. Elas simplesmente esqueceram, essas irmãs, que Maria também partiu, quando da sua ascensão, com o seu corpo de carne. E eu não vejo Maria, mesmo se ela está presente em cada um de nós, uma vez que somos todos os seus filhos sem qualquer exceção desde que colocamos os pés sobre esta Terra, eu não vejo, se assim querem, essas falsas Marias agir como Maria, nem mesmo ter a mesma vibração. É fácil, escrever, vestir as mesmas roupas, ou imitar, mas a qualidade vibratória que sai espontaneamente de uma Irmã Estrela… Aí vocês não podem ser enganados. Nenhuma palavra pode traduzir a verdade a esse nível, nem nenhuma postura, nem nenhum conhecimento. É certamente e somente a qualidade vibratória, quando de uma Teofania, por exemplo, que vos dá a certeza ou não, nada mais.

Agora também disse a todo o momento que todos vocês são Estrelas, e em todos, os sentidos espirituais entram em ação, em manifestação, por vezes de forma violenta. Vocês podem muito bem sentir isso, aí já não se trata de picadas ou agulhadas, é algo que vos emociona, uma dor específica sobre um ponto nomeado Estrela e nesse momento viver algo incrível. Isso quer dizer que despertou o sentido espiritual da Estrela aí localizada, o sentido que porta essa Estrela, real e concretamente, mas do mesmo modo vocês continuam a portar as outras onze Estrelas.

Há aí apenas a especificidade, nas três Irmãs Estrelas incarnadas, de na sua última vida terem aceitado aí estar, em vez de estarem com as suas outras Irmãs Estrelas, no processo de liberação, é tudo. Podem reconhecer isso com a vibração e, se não percebem as vibrações, reconhecem através de quê? Através das suas obras. E quando me refiro às suas obras, não me refiro exactamente a ter uma vida mística, como Teresa, ou de clausura, ou algo assim. É, antes de mais: o que aconteceu durante toda a sua vida? O que é que fez com que a Luz, desde o seu nascimento, tivesse estado sempre diante do cenário? Alguém a quem a Luz sempre acompanhou e seguiu, tal como vocês são seguidos pela Luz neste momento em que é feito o trabalho da revelação. Agora, é a Luz que vos revela, não são vocês que se revelam.

O processo de Endofania e de Teofania, não tem nada a ver com o processo da Onda de Vida, mesmo se têm a mesma finalidade. O que não impede de, paralelamente a todo o resto, viver agora a Onda de Vida num dos seus componentes ou nos seus três componentes. Mas, volto a dizer, o melhor sinal de Liberdade e de Liberação, tal como já disse, é : a perceção de um segundo corpo que se desloca independentemente do vosso corpo físico; o tilintar cristalino nos vossos ouvidos em certos momentos é escutado no centro da cabeça e é modelado segundo a posição da vossa cabeça, e isso não acontece por acaso, mas não vou entrar aí em detalhes e explicações, isso seria muito complicado, basta viver isso para compreender, não são precisas explicações; por outro lado têm esse estado de Alegria permanente que nada pode obscurecer.

Mas, uma vez mais, agora, todos são a Fonte, uma vez que reencontram o que são, quer dizer, anteriores a qualquer consciência, a qualquer forma. Porquê se limitar agora a uma Estrela, ou ficar a tentar descobrir se alguém conhecido é ou não uma Estrela? É claro, há aí, vamos dizer, uma Estrela e meia, não duas, uma e meia das três, porque a outra parte desempenhou essa função por vezes mas nem sempre, deram o seu fruto, o fruto das suas cogitações, das suas experiências, da sua vivência. Não porque eram Estrelas mas porque era a sua natureza. Nesses momentos elas investiram a sua vibração de uma Estrela. Enquanto que as Irmãs Estrelas incarnadas como Estrelas, essas, quer o saibam ou não, elas o são.

Então, não coloquem a cabeça em cogitações para saber o que é verdadeiro e o que é falso. Vivam a experiência, acolham da mesma maneira o que se apresenta. Agora, as circunstâncias não são as mesmas das que eram há dois anos, nos períodos de vai e vem, de “ tournicoti-tournicota”, como eu dizia, isso já terminou. Agora, todas as experiências trazidas à consciência, seja através de leituras, de um encontro, da vida de outro irmão, pouco importa, façam a experiência em vocês mesmos.

E é muito simples, já não é, nem mesmo a resposta do Coração: sim ou não; não é uma resposta que devem obter. Porque, mesmo uma resposta, sim ou não, não quer dizer nada, ainda se trata de dualidade. É mais: será que essa irmã que diz ser Estrela, vos dá a viver o mesmo estado vibratório que Gemma, por exemplo, quando entram em ressonância com ela? Isto, no caso de sentirem a vibração. Agora, se não sentem a vibração, isso apenas poderá ser uma suposição. Quer seja verdadeiro ou falso, nada muda, pois agora já não há o risco de ser conduzido, se assim posso dizer, por uma falsa Maria ou por um falso Melquisedec, excepto para a Verdade. Então, não fiquem em cogitações, como de costume, para saber: é verdadeiro, é falso, é realmente uma Estrela não se trata de uma Estrela falsa, ou está a mentir, ou está a dizer a verdade. Nada disso, agora não precisam disso. E se agora aparecessem milhares de São Francisco de Assis imitando Cristo, todos poderiam ser credíveis, todos poderiam ser Cristo, no entanto não poderiam ser o Cristo histórico, mas qual é a importância disso? O mesmo é válido para as Estrelas.

Mas, uma vez mais, todos têm as doze Estrelas, ilustradas ao nível da cabeça e ao nível das Postas, então, sirvam-se disso à vontade. Não é preciso qualquer técnica, apenas é preciso ser verdadeiro e acolher a Luz, é tudo. É certo que isso é o vosso hábito, de compreender, de explicar, de saber se é verdadeiro ou falso. Mas enquanto ficarem nessa atitude de querer saber se é verdadeiro ou falso, se é ajustado ou não, permanecem na dualidade.  Aquele que está na Alegria, permanece aí, quer esteja perante algo verdadeiro ou falso, isso não interfere no estado de Alegria. E agora, isso também não pode mudar o rumo da história, como foi o caso num certo momento já passado, apesar da liberação da Terra, onde não foi mudado o rumo da história mas causou atrasos no desenrolar da história. Hoje, não é mais esse o caso.

É parecido em relação às duas testemunhas; podem aí encontrar 2 pessoas de carne e osso, Enoque e Moisés, mas aquele que vive o Cristo, em qualquer estado que seja, é também uma testemunha. Testemunha a Verdade através da sua Presença, não através das suas palavras ou dos seus discursos, ou das suas ações, mas simplesmente ao estar aí. Não precisa de criar cenários nem histórias, nem coisas que se inscrevem em cenários, isso não serve para nada. Mas tudo será efectivamente revelado e tudo se revela.

Vocês sabem que, naquilo que se vive, todos aqueles que nos seguiram e talvez tivessem vivido o que temos dito desde há muitos anos, através de diferentes canais, é sempre o mesmo. Ou são verdadeiros ou não são verdadeiros, ou são Amor ou não são Amor. Não é preciso nenhuma justificação, nenhuma explicação ou argumento, qualquer que seja. Ou isso é verdadeiro ou não é. Mas quer vocês digam que é verdadeiro ou que é falso, isso também nada quer dizer, pois que se encontram o que é falso, isso também serve para vos forjar na Eternidade, e se encontram a Verdade, do mesmo modo, isso serve para vos forjar na Eternidade, isso não faz qualquer diferença.

Nenhuma Estrela, nenhum mestre que assim se nomeie sobre a Terra poderão agora desviar-vos, mesmo se vos seduziram por algum tempo. Eu falo, claro, em relação àqueles que vibram. O problema é bastante diferente para aqueles que estão ainda à espera e não vivem estritamente nada. Eles precisam de orientação, de pontos de referência, precisam de se aproximar de um guru, de um mestre, e esperam aí encontrar a solução. Mas sempre digo a esses irmãos e irmãs que a solução está, real e concretamente, em cada um e em nenhum outro lugar.

Acreditam que quando Cristo caminhou pelas ruas, foi reconhecido como Cristo por todos? Houve muitos que lhe atiraram pedras. Ele foi até dependurado, mais crucificado, mas também foi pendurado pelos pés, a um dado momento, mas isso não consta dos evangelhos. Mas, bem, isso não é importante, ele deu realidade ao Dependurado, o arcano do tarô, mas isso já não tem qualquer importância, nestes tempos. Já não estamos nos tempos reduzidos onde ainda havia expectativas em certos eventos, hoje estamos a viver os eventos. E o essencial, repito, é a Alegria que não depende de nenhuma circunstância das vossas vidas, do vosso corpo, dos vossos relacionamentos, ou de se encontrarem com uma Estrela, com Cristo, com Maria, ou com quem quer que seja. Pois que agora, se ainda procuram qualquer coisa do género, se se questionam se é verdadeiro ou falso que se trata de uma Estrela, aí vocês se afastam muito simplesmente do vosso Coração, vocês se afastam da humildade e da simplicidade, vocês revivem histórias. E ainda uma vez mais, vou terminar com estas palavras para esta questão: vocês são todas as Estrelas, sem excepção.

Então, agora podemos continuar.


Questão: de uma irmã presente: No início da sua intervenção precedente, em visão interior apareceu-me o vosso rosto. Depois afastou-se e deu lugar a um rosto feminino, depois a outros rostos, até ao infinito, geralmente masculinos e desconhecidos para mim. Decidi, voluntariamente afastar esse desfile para escutar melhor o que era dito. O que é que se passou? Muito obrigada.

Bem, tu viste, na visão interior, a minha incarnação como Omraam , mas também as minhas vidas passadas. Muito simplesmente, em essência espiritual. E aí, isso está relacionado diretamente com o Triângulo de Fogo, não é a terceira visão, é o Triângulo de Fogo que, quando está retornado, dá essa percepção. É o que digo, por exemplo, quando me escutam, mas também, por exemplo em relação à questão anterior sobre as Estrelas, é a mesma coisa. Escutem, mas não apenas as palavras, e aliás a um dado momento tu mesma o dizes, que fizeste parar as visões para escutar as palavras, mas para além de escutar as palavras, escutem a Presença que está aí, e isso se faz apenas pelo Silêncio.

Bem, não é pelo meu sotaque que vocês me reconhecem, é pela qualidade vibratória. Também não pode ser pela minha forma pois que ela já não está presente, nem através do canal. Era possível, para muitos de vocês, quando da revelação das linhagens, ver ao nível do Triângulo de Fogo, sobre a fronte, o desfile das vossas sucessivas reincarnações, da mesma maneira que foi possível ver as linhagens dos outros e as suas origens estelares. E, nessa época, quando alguns irmãos e irmãs viam as vidas e as linhagens dos outros, eu disse que não servia de nada dizer-lhes que tinham tal ou tal linhagem, pois essa revelação apenas devia vir do interior de cada um. Quaisquer que sejam os vossos dons, se vocês anunciam a qualquer outro a sua linhagem, que lhe era desconhecida, vocês cometem um erro enorme. E quando penso que há pelo mundo fora quem comercialize isso, vocês aí percebem. Esse é um engano completo. Mas, bem, cada um faz o que quer e cada um enfrentará as consequências das suas ações, claro.

O Julgamento Final é o perdão completo, mas para que haja perdão é preciso saber o que é preciso perdoar, é preciso ver isso. Vocês não podem pedir o perdão ou a Graça assim, global, a menos que sejam liberados e nesse caso isso é concedido automaticamente. Mas, durante o processo normal do Apelo de Maria, nos três dias de escuridão, não é assim. Vocês ficarão face a face, como no momento da morte, pois que a estase não é nada menos que uma morte e uma ressurreição, como é anunciado nas escrituras, nos evangelhos. Então, é claro que há quem tenha imaginado que todos os mortos iriam sair dos seus túmulos, mas isso é uma heresia. Vocês iriam reencontrar-se, se esse fosse o caso, cerca de 300 ou 400 milhões sobre essa Terra. Não, é a ressurreição dos mortos, do que estava morto, em vocês, e também das vossas memórias estelares, carmicas, e que agora são evacuadas perante a Alegria.

O que quero dizer com isso é que hoje, e vocês podem ver isso a cada dia até mesmo através das experiências  bastante agradáveis que vivem, se vocês alimentam a experiência e a ela ficam apegados , a alegria desaparece, se deixarem a experiência livre, a Alegria aumentará. Quer seja com os Elfos, com os Dragões, connosco ou entre vocês. Tal como eu disse, não há alibi que se mantenha diante da Luz. Não precisam de nenhum alibi. Não tinha dito isso antes deste ano, pois que tinham muitos alibis. E aliás dizia para manterem as vossas ocupações, para fazerem o que a vida vos trazia como ocupação, de cumprirem as vossas obrigações, de manter essa vida. Mas agora, a Luz é mais forte que vocês e mais forte que nós. Não podem lutar contra. Isso é o que acontece para cada um e cada uma sobre essa Terra, qualquer que seja o seu posicionamento: liberado, seguindo uma religião, completamente ateu, pouco importa.

Nesses tempos, as histórias se fecham. Não façam nascer outras histórias. Afirmem a vossa Presença no Silêncio e deixem a Luz ser, é tudo.  E aí podem ver que é simples, fácil e é evidente, muito mais do que com a Onda de Vida e através das vibrações da Onda de Vida. E depois, lembro que, independentemente dos marcadores, por exemplo, quando uma Presença se aproxima, não falo de aproximação visual, como foi o caso desta irmã, mas por exemplo, quando uma Irmã ou um Irmão Melquisedec, ou um Arcanjo, desce sobre o vosso Canal Mariano, vocês sentem isso. Mas passa-se o mesmo em relação às Irmãs Estrelas incarnadas, refiro-me àqueles que sentem as vibrações.
Aqueles que nada sentem, não têm forma de saber, a não ser através dos resultados. Mas vocês não correm o risco de ser levados para outro lugar diferente do que o que está de acordo com o que são mesmo através dos erros.

Então, se assim o aceitarem, é altura de parar esse jogo particular, que foi útil durante algum tempo, de tentar podar os ramos secos, quer dizer, cortar as sombras, os engramas, as memórias, os comportamentos, as crenças, os conceitos, as ideias. Agora, a postura mais adequada, diria, é a de acolhimento sem condição de tudo o que se apresenta. Mais uma vez, isso não quer dizer deixar de se ocupar do seu corpo. Por exemplo,  se há um entorse há que tratar, colocar uma ligadura, e tudo o que for necessário, mas é preciso se ocupar disso, como podem ver. Mas não procurem o meio dia às 14h.

Quanto menos controlarem, mais em alegria podem ficar, mesmo em relação ao desenrolar do dia a dia, em qualquer ação, em qualquer circunstância. E quanto mais tentarem dirigir, controlar, mais se irão encontrar numa enorme tristeza. Pois quando a Alegria começa a aparecer com mais frequência, depois quando vos deixa, vocês se sentem órfãos, e aí vão tentar por tudo fazer com que regresse. Ora, querer fazer com que ela regresse, afasta-vos ainda mais. Devemos inverter o movimento. Não são vocês que procuram, é a Luz que vos procura. Sobretudo agora. Então, quando pedimos para ficarem tranquilos, e que aconselhámos a serem espontâneos, até a serem preguiçosos, isso não foi por acaso, foi para preparar o que estão a viver agora.

E a Luz está de tal maneira próximo da vossa consciência, se assim posso dizer,  que não há diferença entre uma Irmã Estrela incarnada e Gemma Galgani. Quando entram em comunhão com ela, podem sentir a mesma Paz, a mesma Alegria, quer sintam ou não as vibrações, podem verificar.

A partir daí, nada há para julgar,  nada há para condenar, apenas há que viver a experiência que chega à vossa consciência, quer seja portada por uma leitura, por um irmão, por uma irmã, ou por não importa quem. Sem isso, ao discriminarem para saber se é verdadeiro ou falso, vocês se afastam simplesmente de vocês mesmos.

E vocês poderão ver isso com força e intensidade, não através das vibrações mas aí vocês estão todos  concernidos, em todas as circunstâncias das vossas vidas, e sem poder explicar isso, porque a Alegria será sem objeto, mas a tristeza será também sem objeto. E aliás é um bom marcador para o que estão em vias de fazer, de viver ou de dizer: Será que a Alegria está presente ou a tristeza tomou o lugar da Alegria? E se é a tristeza, podem estar certos de que não estão na Verdade. Então, não se trata de uma pergunta, como há uns anos atrás, com a resposta pelo coração, como era o caso para os alimentos, ou para uma resposta espontânea; não, é uma Evidência. E essa Evidência, mesmo se vocês reconhecem uma Irmã Estrela, uma determinada irmã como sendo verdadeiramente uma Estrela, isso não deve mudar nada. Gemma, Teresa, Maria, estão também presentes nas Irmãs Estrelas incarnadas.

Além disso, de agora em diante para cada um de vocês, da forma como a Luz está presente, e como vocês viveram, alguns foram chamados individualmente pelas Estrelas, há já alguns anos, era o Apelo de Maria individual, se assim posso dizer, mas agora passa-se o mesmo, e ainda mais rápido. Lembrem-se do que dizia Bidi, com a sua voz estrondosa, que a busca é uma farsa. Então, não apenas agora, eu digo, ao nível em que se encontram, não teria dito isto no ano em que Bidi chegou, mas agora digo: parem de correr atrás de quimeras, tudo está aí no meio do seu peito, não há nada mais, qualquer que seja o vosso olhar, com os olhos físicos ou com as visões subtis. É claro que haverá sempre irmãos e irmãs que irão responder que é preciso progredir, ter o conhecimento, quer dizer a via seca, como se diz em alquimia, mas essa via seca é um beco sem saída, ela apenas alimenta o ego, pois acumula experiências e conhecimentos sem liberar o Coração.

Podemos continuar.


Questão : Uma irmã apresenta: Olá, Oma. Em três ocasiões, no mês passado, senti uma necessidade muito forte de não mais estar no meu corpo físico, essa sensação tendo sido acompanhada por desconforto físico, com os batimentos cardíacos a ficarem mais lentos. Acolhi essa sensação sem pânico, ficando consciente da passagem de um estado a outro. Restou daí uma grande Paz, serenidade, depois desses episódios. Tinha realmente a impressão de já não pertencer a este corpo, e uma forte vontade de sair dele. Grata por me esclarecer acerca disso. Com todo o meu amor, agradeço.

Bem, é exactamente a mesma coisa nos processos que acontecem actualmente com o Corpo de Eternidade que vos duplica, vocês vivem realmente uma passagem. Vocês não pensam que a Consciência vai habitar esse corpo, depois o Corpo de Existência, depois a ausência de corpo, com evidência. Vocês têm apego à matéria, mesmo liberados, por hábito, tenho insistido nesse ponto. Todos os modos de funcionamento, e também os meus, quando estava incarnado, todos os modos de funcionamento, de compreensão, mesmo energéticos e vibrais, são adaptados a esse mundo.

Ora, hoje, são muitos a sentir que nada têm a fazer nesse mundo. Então, isso não quer dizer que querem suicidar-se, ou que estão com um doença psiquiátrica, é preciso assumir, salvo se a Luz vos chama e vos coloca num êxtase de 24 horas por dia. De qualquer modo, não têm nenhuma maneira de fazer a continuidade do que quer que seja de efémero. Mas isso não são vocês que decidem. Se isso acontece é porque isso assim deve acontecer. Então, o facto de viver a passagem, é simplesmente a tua consciência que foi transferida para o Corpo de Eternidade, por algum espaço de tempo, por experiência, mas isso bastou para compreender e viver a Liberdade.

Para já, a liberdade de viver que não é esse corpo, não falo de liberado vivo, mas liberado dos conceitos, das crenças, de acreditar em qualquer evolução ou melhoria, é sempre apenas a pessoa que melhora. Mas através da pessoa nunca irão encontrar a Eternidade, como dizia Bidi. Este é o princípio da ilusão luciferiana, o de vos fazer crer que através dos conhecimentos, quaisquer que sejam, vocês poderiam ser liberados.  Mas se não houvesse os ciclos da Terra a cada 50 000 anos, sendo este o sexto ciclo, vocês estariam aí eternamente, se assim posso dizer, trancados mas não num corpo biológico, em placas de circuito impressas em sílica, quer dizer, na ciência informática, na besta binária. Vocês se tornariam a besta binária, em nível colectivo. E o grau de sofrimento para retirar a consciência dessa prisão, é muito mais severo do que no confinamento biológico, pois é um confinamento electrónico diretamente satânico, claro, não deixa senão pouca esperança de sucesso para se desacostumar e se sentir vivo.

Então, o que essa irmã viveu, foi efectivamente a sua ressurreição. Para além do mais, ela diz que depois se sentiu diferente.  Agora, o que difere em relação há uns meses atrás, é que já não se trata de experiências mas de estados fixos e permanentes, que, uma vez mais, não podem deixar qualquer dúvida. Mas este “ qualquer dúvida” não se refere a uma afirmação do género: “ eu estou liberada, eu sou isto, eu sou aquilo”, bem ao contrário, isso desencadeia ainda mais humildade e ainda mais desaparecimento do cenário do mundo e das histórias do mundo. Para além do mais, podemos ver que, sem ser a Mãe, porque tinha um papel a desempenhar junto com Sri Aurobindo, me parece que por parte da maioria das Irmãs Estrelas, será que houve muitas intervenções, entrevistas, conferências ou documentos escritos?  Gemma Galgani? Não deixou nada escrito. Teresa? Escreveu, ainda em criança, “ História de Uma Alma”. A Irmã Yvonne? Apenas deixou escrita uma oração. Hildegarde?  Bem, ela deixou tudo escrito, tudo o que poderia ser escrito foi retransmitido por Hildegarde. Mas o importante é a Presença, bem mais do que o conhecimento.

Então, o que vivenciaste foi a passagem da consciência na Eternidade, no Corpo de Eternidade e, como disseste, houve um antes e um depois, foi fulminante. Não é possível continuar como antes quando se dá a passagem no Corpo de Eternidade e que se percebe o Corpo de Eternidade. É impossível. As mudanças desencadeadas são cada vez mais intensas, mesmo ao nível do personagem, quer seja do vosso agrado ou não.E essa noção de sacrifício, de abandono, que temos explicado ao longo do tempo, de muitas maneiras, é a realidade do que são chamados a viver agora, inteiramente.

Então, vamos a outra questão.


Questão:  Sonhos de uma irmã ausente:

Primeiro sonho: na noite de 30 de Novembro, antes de acordar, ouvi um nome: Adelaide. Pela manhã, logo a seguir, penso ter compreendido: Adélia…mais: Aid, festa de Adélia. Intrigada fui pesquisar e encontrei a festa, a 24 de Dezembro.

Segundo sonho: durante a Comunhão de 1 de dezembro com o Arcanjo Miguel, houve uma grande revolução à nossa volta e íamos a correr, mas sem medo. Chegámos a uma garagem para nos abrigarmos, depois começámos a ver gotas cor de rosa e verdes penduradas no teto. Caiam sobre nós e ouvimos dizer “ Atenção, isso é mercúrio”. Então, tentámos evita-las mas uma delas caiu sobre o Ponto ER da cabeça, e aí constatei que era agradável e fresca e deixou-me bem. Então acordei. Existe alguma relação entre os dois sonhos? Poderá esclarecer sobre isso? Gratidão e Alegria.

No primeiro sonho, esse nome corresponde ao nome dessa irmã ou não?

…Não, é um nome que ela escutou imediatamente antes de acordar.

Então, ela transforma o nome Adelaide em “Adélia Aid”.

…Foi isso, e ela viu que havia uma festa de Adélia a 24 de Dezembro.

Também poderia tratar-se de Adélia com outro nome : a-d-e-l, que não tem o mesmo significado em sumerio.

…Sim, é disso que ela fala, a-d-e-l , festa de Adélia, foi o que ela viu depois, foi o que ela escutou, é isso.

Então, aí, como não tenho a certeza de ter uma explicação adequada, vou abster-me.

No que diz respeito ao segundo sonho, abrigar-se, ver gotas coloridas, é exatamente o que se irá passar. É quando desce o Fogo do Céu que acompanha Nibiru e o Fogo Micaélico, e desta vez vai ser mesmo algo palpável, quer dizer vão ser mesmo bolas de fogo que vão chegar à Terra e tocar o solo, não apenas os vulcões. Se querem saber, isso realmente causa queimaduras, mas essa irmã diz que aí, ela recebeu essa gota, de alguma forma esse veneno, pois efectivamente é um veneno para o corpo biológico, e no entanto, facilitou o quê? O seu bem estar. Ou seja, através do veneno que tocou o ponto de entrada da Luz, o Ponto ER, doravante, pelo Cubo Metatrónico, e não pelo baço ou pelo coração, ou pelo fígado, ou pelos pés, mas acima de tudo pelo centro da cabeça, e nesse momento ela ficou bem, mas não se sabe se o corpo físico sofreu queimaduras, se desapareceu ou não.

Mas não posso fazer uma ligação formal com o primeiro sonho, uma vez que não estou certo de que Adélia seguido de aid, signifique algo relacionado com o dia 24 de dezembro. Talvez possa ser o nome dado por uma Irmã Estrela, ou uma Irmã, muito simplesmente, que se aproximou e se apresentou. Também não me parece que Adelaide seja um nome de alma ou de espírito, parece complexo demais para isso. Em geral, tal como disse há cerca de 7/8 anos, os nomes de alma ou de espírito, são sempre compostos por duas sílabas, raramente de três. Ora A-de-lai-de, tem um pouco mais, não é mesmo? Então, aí não tenho nada a dizer. Será uma irmã que se aproximou? Em todo o caso não me parece que esse seja o seu nome de alma, ou de espírito, o seu nome de Eternidade, porque é um nome muito grande.

Agora, olhar para Adelia e aid e associar ao dia 24 de dezembro, parece possível. Talvez ela tenha a resposta a esse sonho no dia 24 de dezembro. Mas não posso mistura-lo com o segundo sonho, pois o segundo sonho corresponde realmente aos eventos que ocorrerão durante os 132 dias. Diariamente, muitas bolas de fogo cairão do céu, a maior parte da terra ficará recoberta de sílica, sabem disso. O carbono, o que chamamos a camada vegetal do manto terrestre, deixará de existir. É o que já está em vias de acontecer em muitas regiões, por vezes desencadeado por Miguel, e outras vezes devido à ação das forças arconticas que literalmente queimam certas regiões e alguns corpos também, neste momento.

É a última questão, então estamos terminar. Voltarei necessariamente no final das intervenções, seja qual for o tempo necessário. É tudo o que tinha a dizer. Então, posso concluir que o meu tempo partilhado terminou.

Sim, é isso!

Então, queridos amigos, queridos irmãos e irmãs, agora, em conjunto, vamos fazer Silêncio, na Comunhão da Teofania e da Endofania. Não é preciso pensar em mim, nem em ninguém em especial, pensem em vocês mesmos, no vosso Coração, e não acrescentem aí nada mais, nenhuma Comunhão exterior, quer seja comigo ou com o vosso vizinho ou qualquer outra pessoa. Entrem totalmente no vosso Coração.

…Silêncio…

Agradeço aos meus queridos amigos, e agora despeço-me até ao final das palestras, e digo também, para alguns de vocês, até à noite.



***


Tradução do Francês: Maria Beatriz Pires 

https://lestransformations.wordpress.com/2017/12/14/o-m-aivanhov-partie-2-decembre-2017/



PDF (Link para download) : OMA - QR - Parte 2 - Dezembro 2017


3 comentários:

  1. Mas o Si, como sabem, apresenta muitas armadilhas, em particular quando a alma está presente e usa esse Si em proveito da matéria mais do que do Espírito. Este foi o processo já explicado, esse mecanismo de basculamento, de retorno da alma seguido pela sua dissolução no Fogo Ígneo do Espírito.
    .........
    Já não estamos nos tempos reduzidos onde ainda havia expectativas em certos eventos, hoje estamos a viver os eventos.
    .........
    Nesses tempos, as histórias se fecham. Não façam nascer outras histórias. Afirmem a vossa Presença no Silêncio e deixem a Luz ser, é tudo.
    .........
    Parem de correr atrás de quimeras, tudo está aí no meio do seu peito, não há nada mais, qualquer que seja o vosso olhar, com os olhos físicos ou com as visões subtis.

    ResponderExcluir
  2. ...Maria também partiu, quando da sua ascensão, com o seu corpo de carne. E eu não vejo Maria, mesmo se ela está presente em cada um de nós, uma vez que somos todos os seus filhos sem qualquer exceção desde que colocamos os pés sobre esta Terra...


    ...Mas, durante o processo normal do Apelo de Maria, nos três dias de escuridão, não é assim. Vocês ficarão face a face, como no momento da morte, pois que a estase não é nada menos que uma morte e uma ressurreição, como é anunciado nas escrituras, nos evangelhos. Então, é claro que há quem tenha imaginado que todos os mortos iriam sair dos seus túmulos, mas isso é uma heresia. Vocês iriam reencontrar-se, se esse fosse o caso, cerca de 300 ou 400 milhões sobre essa Terra. Não, é a ressurreição dos mortos, do que estava morto, em vocês, e também das vossas memórias estelares, carmicas, e que agora são evacuadas perante a Alegria.

    ****

    Aos pouquinho Aïva passa a limpo a nossa história.

    Grata a todos,
    Em Luz, Sara.

    ResponderExcluir
  3. Então, o que vivenciaste foi a passagem da consciência na Eternidade, no Corpo de Eternidade e, como disseste, houve um antes e um depois, foi fulminante. Não é possível continuar como antes quando se dá a passagem no Corpo de Eternidade e que se percebe o Corpo de Eternidade. É impossível. As mudanças desencadeadas são cada vez mais intensas, mesmo ao nível do personagem, quer seja do vosso agrado ou não.E essa noção de sacrifício, de abandono, que temos explicado ao longo do tempo, de muitas maneiras, é a realidade do que são chamados a viver agora, inteiramente.
    Grato Maria Beatriz
    Rendo Graças

    ResponderExcluir